06/03/16

Política Nacional - A visão Histórica do meu Colega e Amigo, Professor Guilherme Koehler, acerca da desordem em que a Revolução nos atolou...



«Pela História e pela Universalidade da Cristandade.

Na Monarquia Tradicional, os povos não tinham problemas para partilhar a sua sorte política, viviam sem medo de perder a identidade, com a certeza de que cada poder estava condenado à realização dos seus próprios fins e, por isso, limitado por eles de uma forma implicitamente livre e completamente oposta ao carácter absoluto e único da actual doutrina da soberania.

A raiz da interdependência que havia entre as políticas multinacionais do Império Português e a autonomia subsidiária, foi desfeita pela nova ordem estabelecida pela Revolução. 

Destruíram-se as sociedades intermédias e gerou-se uma ligação directa e despótica entre o Estado e o indivíduo que deu origem ao axioma da não separação entre o Estado e a Nação, sendo declarado o exclusivismo dos povos subjacente ao nacionalismo que não nasce de um longo processo histórico, mas da vitória de uma doutrina contrária à universalidade da Cristandade.

Instaurou-se a democracia liberal que é o sistema político do capitalismo financeiro, onde a verdadeira representatividade está sequestrada, sob a falácia do “determinado” e “inevitável”, implantou a partidocracia em que os partidos políticos não são mais do que os gestores de uma política ao serviço da ordem internacional do grande capital.» in https://www.facebook.com/groups/monastab/1013219545398513/?notif_t=group_activity

Sem comentários:

Enviar um comentário