19/10/17

Música Pop/Country - James Vernon Taylor (Boston, 12 de março de 1948) é um músico norte-americano, compositor e intérprete da fusão do "country-gospel-rock".


Carol King & James Taylor - "You've Got a Friend"


JAMES TAYLOR - "Here comes the sun" - (by George Harrison)


(James Taylor & Neil Young)


James Taylor - "Fire and Rain" - (Live 1970)


James Taylor - "Fire and Rain"



James Taylor - "Carolina In My Mind"



"Fire And Rain
James Taylor

Just yesterday morning they let me know you were gone
Suzanne, the plans they made put an end to you
I walked out this morning and I wrote down this song
I just can't remember who to send it to

I've seen fire and I've seen rain
I've seen sunny days that I thought would never end
I've seen lonely times when I could not find a friend
But I always thought that I'd see you again

Won't you look down upon me, Jesus
You got to help me make a stand
You just got to see me through another day
My body's achin' and my time is at hand
And I won't make it any other way

Oh I've seen fire and I've seen rain
I've seen sunny days that I thought would never end
I've seen lonely times when I could not find a friend
But I always thought that I'd see you again

Been walkin' my mind to an easy time
My back turned towards the sun
Lord knows when the cold wind blows
It'll turn your head around
Well, there's hours of time on the telephone line
To talk about things to come
Sweet dreams and flying machines in pieces on the ground

Oh, I've seen fire and I've seen rain
I've seen sunny days that I thought would never end
I've seen lonely times when I could not find a friend
But I always thought that I'd see you, baby, one more time againnow
Thought I'd see you one more time again
There's just a few things comin' my way this time around now
Thought I'd see you, thought I'd see you

Fire and rain"

Zoologia - O projeto “Life Med-Wolf – Boas Práticas para a Conservação do Lobo em Regiões Mediterrânicas”, destinado a diminuir o conflito entre as atividades humanas e a presença do lobo em zonas rurais dos distritos da Guarda e Castelo Branco, está a chegar ao fim.



«Projeto para estudar e diminuir os prejuízos dos lobo-ibéricos em zonas rurais vai terminar

Projeto apoiou o uso de vedações elétricas e a utilização de cães de gado nos concelhos de Figueira de Castelo Rodrigo, Pinhel, Almeida, Guarda e Sabugal que resultou na redução de animais atacados por lobos.

O projeto “Life Med-Wolf – Boas Práticas para a Conservação do Lobo em Regiões Mediterrânicas”, destinado a diminuir o conflito entre as atividades humanas e a presença do lobo em zonas rurais dos distritos da Guarda e Castelo Branco, está a chegar ao fim.

Iniciada em setembro de 2012, a iniciativa coordenada em Portugal pelo Grupo Lobo, da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa – decorreu em simultâneo na província italiana de Grosseto – termina no final deste ano.

O objetivo das várias ações levadas a cabos nestes quatro anos e meio era minimizar os prejuízos das explorações pecuárias e sensibilizar criadores de gado, as populações e os mais jovens para a importância do lobo-ibérico, além de estudar o último dos grandes carnívoros de Portugal. Neste período foram realizados inquéritos ao público, produzidos conteúdos escolares e divulgada informação sobre este predador tão ameaçado e que é uma espécie protegida no nosso país. Contudo, o projeto atuou sobretudo na prevenção de prejuízos, apoiando o uso de vedações elétricas, a utilização de bons cães de proteção e um maneio correto do gado para reduzir o risco de ataques do lobo.

Os criadores de gado foram o público-alvo do projeto, tendo recebido 31 cães da Serra da Estrela, selecionados pelas suas aptidões para guardar o gado e apoiados pelo projeto, em termos veterinários e de alimentação, sem custos para as explorações pecuárias. Estes cães de gado entraram “ao serviço” em 16 explorações, maioritariamente de bovinos e ovinos, uma de caprinos e outra de burros, situadas nos concelhos de Figueira de Castelo Rodrigo, Pinhel, Almeida, Guarda e Sabugal. Segundo informação do Grupo Lobo, esta medida resultou na redução «de 60 por cento do número de animais afetados por ataques de lobos. São resultados ainda preliminares, pois muitos dos cães ainda não atingiram a maturidade», refere a associação.

Dezanove criadores receberam, também graciosamente, material para a construção de vedações à prova de lobo, tendo sido instaladas 34 vedações (27 em Almeida, 4 em Pinhel, 2 na Guarda e 1 no Sabugal), que protegeram perto de 3.000 animais (2.000 bovinos, 880 ovelhas e 26 avestruzes). «De 0,24 ataques por mês que cada uma destas explorações sofria, em média, passou-se para 0,04 – uma redução de 83,3 por cento. O número de cabeças de gado afetadas foi reduzido em 88,1por cento», adianta o Grupo Lobo.

A vertente científica foi outro dos pilares deste projeto, tendo sido implementado um programa de monitorização das populações lupinas na área de intervenção e realizadas várias reuniões técnicas de intercâmbio transnacional, bem como o IV Congresso Ibérico do Lobo, realizado em Castelo Branco. Também o contacto com os jovens mereceu destaque através de inúmeras atividades, enquanto a população da área do projeto foi alvo de duas sondagens, em 2013 e 2017. «Constatou-se que, apesar da intensificação da presença do lobo, as atitudes face a este predador conseguiram sentir uma ligeira evolução positiva», acrescentam os responsáveis em comunicado. O Ecoturismo centrado na presença tutelar deste predador também esteve na origem de cinco passeios pedestres.

«A coexistência entre o Homem e o lobo na região raiana pode ser mais harmoniosa e proveitosa. Para isso, este projeto teve como missão principal apoiar os interessados locais na resolução dos conflitos com um predador que tem um importante lugar na nossa História, na nossa Cultura e também na preservação de um equilíbrio ecológico fundamental para muitas atividades económicas», conclui o Grupo Lobo, que apresentou na semana passada um balanço do seu trabalho.

População de lobos estável em Portugal

Em novembro de 2016, o projeto “Life Med-Wolf” divulgou os primeiros dados sobre a população de lobos ibéricos em Portugal que revelavam que a população se tem mantido estável nos últimos anos e está distribuída por zonas do Norte e Centro.

A espécie existe na área do Minho, Peneda/Gerês e norte do distrito de Bragança, «em que a população tem uma boa densidade e é estável». Há também lobos na Serra da Arada (Viseu) até à zona de Trancoso (Guarda), com uma população «de baixa densidade, mas estável», enquanto no distrito de Vila Real os animais têm diminuído ao longo da última década. Já na zona da raia, entre os rios Douro e Tejo, existe outra população identificada que é «muito flutuante e dinâmica, sobretudo ao nível de novos indivíduos», adiantou na altura o presidente do Grupo Lobo, Francisco Fonseca.

A associação tem um centro de recuperação do lobo ibérico, perto de Mafra, onde os animais são tratados para serem devolvidos à natureza.

Por: Luis Martins» in http://24.sapo.pt/vida/artigos/projeto-para-estudar-e-diminuir-os-prejuizos-dos-lobo-ibericos-em-zonas-rurais-vai-terminar

Desporto Automóvel - João Francisco Vieira prossegui este fim de semana o seu programa desportivo de 2017 na Taça Nacional de Ralis Terra, romando bem a sul do país, para nova edição do Rali Vila do Bispo.



«João Vieira vence P1 em Vila do Bispo

João Francisco Vieira prossegui este fim de semana o seu programa desportivo de 2017 na Taça Nacional de Ralis Terra, romando bem a sul do país, para nova edição do Rali Vila do Bispo.

A prova algarvia disputada em piso de terra encerrou a competição e João Francisco Vieira não poderia ter melhor desfecho já que garantiu a vitória entre os P1.

O piloto que foi navegado por Daniel Pereira tinha ainda em aberto a conquista do título, mas a diferença de pontos não era de todo fácil de recuperar.

Como refere o piloto de Amarante, “foi um rali muito difícil uma vez que não conseguimos ter nenhum troço isento de problemas, à excepção da Super especial de sábado, onde fomos os mais rápidos nas duas rodas motrizes.

Logo na primeira especial de domingo, ao km 7 excedi-me num corte e danificamos uma suspensão, o que nos levou a efectuar os restantes troços da manhã com uma suspensão partida.

A Monteiros Competições fez um excelente trabalho e conseguiu reparar o carro na assistência. Nas restantes especiais de classificação ultrapassamos sempre o concorrente que partia à nossa frente em plena classificativa o que nos obrigava a travar bruscamente em algumas zonas por falta de visibilidade com o pó que estava no ar, o que dificultou e muito a nossa tarefa em terminar o rali! Felizmente concluímos as 9 difíceis especiais, vencemos e conseguimos garantir a 2ª posição dos P1 na Taça após as 6 provas!

Fica um agradecimento ao Daniel Pereira, que mais uma vez esteve ao melhor nível, à Monteiros Competições que foram incansáveis para nos entregarem um carro perfeito e obviamente aos nossos patrocinadores, Município de Amarante, Jorge Amortecedores, MCoutinho, Madalena Ginásio, Terra Arquitectos sem os quais não poderíamos estar presentes!”

João Francisco Vieira terminou assim o Rali Vila do Bispo na 1ª posição dos P1, sendo ainda os 7º na classificação geral!» in http://www.autonews.pt/desporto/33992-joao-vieira-vence-p1-em-vila-do-bispo/

18/10/17

Liga dos Campeões: RB Leipzig 3 vs F.C. do Porto 2 - Com este resultado, os azuis e brancos caem para o terceiro lugar do Grupo G da Liga dos Campeões, com três pontos, menos seis do que o Besiktas, primeiro.



«DERROTA ATRASA DRAGÕES NA CORRIDA AOS “OITAVOS”

FC Porto perdeu por 3-2 com o Leipzig, na Alemanha, na terceira jornada da Liga dos Campeões.

Ainda não foi desta vez que o FC Porto voltou a vencer na Alemanha. Esta terça-feira, perdeu diante do Leipzig por 3-2, num jogo em que não esteve particularmente inspirado e que foi decidido na primeira parte, período em que se marcaram os cinco golos. Com este resultado, os azuis e brancos caem para o terceiro lugar do Grupo G da Liga dos Campeões, com três pontos, menos seis do que o Besiktas, primeiro, e menos um do que o Leipzig, segundo, adversário que reencontrarão no próximo 1 de novembro, no Estádio do Dragão, na quarta jornada da competição.

Sérgio Conceição apostou num onze muito diferente daquele que apresentou no jogo da Taça de Portugal frente ao Lusitano de Évora (6-0) – resistiram quatro jogadores -, mas muito próximo daquele que fez alinhar de início na vitória categórica no Mónaco (3-0), na segunda jornada da Champions. A diferença esteve na defesa: Layún ocupou o lado direito e na baliza José Sá fez a sua estreia absoluta na competição maior de clubes europeus.

O guarda-redes não teve um início de jogo fácil, aliás como toda a equipa portista, que teve que enfrentar uma verdadeira avalanche ofensiva dos germânicos que começou a produzir efeitos bem cedo: num lance nascido de um pontapé de canto, o capitão Orban aproveitou para inaugurar o marcador (8m). O golo madrugador tirou estabilidade ao FC Porto, que sentia algumas dificuldades em ligar o seu jogo e também em parar o ataque do Leipzig - em 15 minutos, os alemães já tinham rematado seis vezes, beneficiado de três cantos e mostravam por que foram uma das equipas mais rematadoras nas duas primeiras jornadas da Champions.

A verdade é que o primeiro ataque dos portistas no encontro resultou no empate. A resposta surgiu na mesma moeda: na sequência de um lançamento de linha lateral, a bola chegou a Aboubakar que, ao segundo poste, não perdoou e apontou o 11.º golo nesta temporada em outros tantos jogos, o terceiro nesta edição da Liga dos Campeões.

A partir daí, a partida entrou numa fase de maior acalmia até se tornar novamente frenética a partir do minuto 38. Foi nessa altura que o Leipzig, por intermédio de Forsberg, se recolou em vantagem, que seria ampliada, três minutos depois, por Augustin (41m). O intervalo estava à porta e a tarefa complicava-se para o FC Porto que, ainda assim, foi a tempo de reagir e reduzir a desvantagem para a margem mínima, novamente de bola parada. Desta vez, um canto cobrado por Alex Telles foi aproveitado da melhor forma por Marcano, que apareceu entre os centrais contrários para reduzir a desvantagem (44m) - foi a estreia do central a marcar na competição.

O espetáculo da primeira parte não teve repercussão na segunda: o ritmo foi bastante menos intenso e as oportunidades de golo praticamente não existiram. A melhor pertenceu ao Leipzig, quando Marcano tirou em cima da linha uma bola saída dos pés de Bruma (62m). O jogo não estava a correr particularmente bem aos Dragões e Sérgio Conceição tentou alterar o rumo dos acontecimentos para chegar ao empate. Primeiro lançou Óliver, depois Corona e Hernâni, terminando a equipa a jogar num 4-2-4, que acabou por não surtir o efeito desejado, num jogo que não começou sem antes ser cumprido um minuto de silêncio em memória das vítimas dos incêndios que recentemente assolaram Portugal​.

No próximo sábado, às 20h30, está de volta a Liga, com uma receção ao Paços de Ferreira. É o primeiro de dois jogos consecutivos no Estádio do Dragão, já que para a terça-feira seguinte, às 20h15, está agendada a estreia na Taça da Liga, diante do Leixões.

VER FICHA DE JOGO» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/derrota-atrasa-dragoes-na-corrida-aos-%E2%80%9Coitavos%E2%80%9D-10-17-2017.aspx


(RB Leipzig vs Porto 3-2 (GOALS HIGHLIGHTS) UEFA Champions League 17-10-2017)

F.C. do Porto Solidariedade - Cumpriu-se na noite desta terça-feira, na RB Arena, em Leipzig, um minuto de silêncio em memória das vítimas dos incêndios em Portugal, 41 delas mortais, segundo a última atualização.



«MINUTO DE SILÊNCIO CUMPRIDO EM LEIPZIG

Pedido do FC Porto em memória das vítimas dos incêndios em Portugal.

Cumpriu-se na noite desta terça-feira, na RB Arena, em Leipzig, um minuto de silêncio em memória das vítimas dos incêndios em Portugal, 41 delas mortais, segundo a última atualização. O FC Porto efetuou o pedido a que a UEFA acedeu, antes do apito inicial do jogo frente ao Leipzig, a contar para a terceira jornada do grupo G da Liga dos Campeões.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/futebol-minuto-silencio-leipzig.aspx

F.C. do Porto Bilhar - A equipa de bilhar às três tabelas do FC Porto venceu na noite de segunda-feira o Dragon Force, por 3-1, na primeira jornada do Torneio de Abertura (zona Norte, série um).



«VITÓRIA SOBRE O DRAGON FORCE NA ESTREIA NO TORNEIO DE ABERTURA

Equipa de bilhar às três tabelas triunfou por 3-1.

A equipa de bilhar às três tabelas do FC Porto venceu na noite de segunda-feira o Dragon Force, por 3-1, na primeira jornada do Torneio de Abertura (zona Norte, série um). Na Academia de Bilhar do Estádio do Dragão, apenas Rui Manuel Costa perdeu o seu jogo (40-39 frente a Hugo Costa, em 43 entradas). Fernando Cunha (36-31, em 50 entradas), João Ferreira (40-24, em 31 entradas) e Santos Oliveira (40-16, em 29 entradas) derrotaram os seus rivais, respetivamente Vítor Pinto, Jorge Costa e Manuel de Sousa.

Na próxima jornada, a segunda, agendada para esta quarta-feira (21h30), os portistas recebem a equipa do Norton de Matos, novamente no Estádio do Dragão.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/vitoria-na-estreia-no-Torneio-de-Abertura.aspx

Youth League: Leipzig 0 vs F.C. do Porto 2 - A equipa de Sub-19 somou esta terça-feira, na Alemanha, frente ao Leipzig, a segunda vitória nesta edição da Youth League (2-0) e deu um passo importante rumo ao apuramento para a próxima fase da competição.



«SUB-19: TRÊS PONTOS GARANTIDOS EM QUATRO MINUTOS

Vit​ória do FC Porto sobre o Leipzig (2-0), na Alemanha, na terceira jornada da Youth League.

A equipa de Sub-19 somou esta terça-feira, na Alemanha, frente ao Leipzig, a segunda vitória nesta edição da Youth League (2-0) e deu um passo importante rumo ao apuramento para a próxima fase da competição. Diogo Dalot (79m) e Romário Baró (82m) marcaram os golos dos jovens Dragões, que na próxima jornada, a quarta, recebem a equipa alemã (1 de novembro, 14h00, SportTV).

Foi uma primeira parte equilibrada aquela que se assistiu no Estádio Cottaweg, na Academia de Leipzig, apesar de um ligeiro ascendente dos portistas, que remataram mais, tiveram mais posse de bola e que criaram a primeira grande oportunidade de golo do jogo - logo aos sete minutos, o guarda-redes Krahl negou a festa a Junior Maleck. Aos 22 minutos, os alemães responderam na mesma moeda e só não marcaram porque Diogo Costa o impediu com uma bela defesa. O encontro estava animado, mas foi para o intervalo sem que o marcador tivesse funcionado.

O segundo tempo ainda foi mais equilibrado, com ambas as equipas a ameaçarem o golo: primeiro foi Krahl a nega-lo a Diogo Dalot (59m), depois foi Diogo Costa a fazer o mesmo a Hoppe (71m). Nesta altura, já Romário Baró tinha sido lançado em campo por João Brandão e a aposta do treinador portista não podia ter sido mais acertada. 

O médio ofensivo do FC Porto participou na jogada que deu origem ao 1-0, apontado por Dalot (79m) – foi o segundo golo do jovem defesa nesta edição da Youth League, depois de também ter marcado frente na goleada imposta ao Besiktas na jornada de estreia (5-1). Quatro minutos depois, os papéis inverteram-se: Dalot serviu Baró para o segundo golo da partida, confirmando três pontos importantes para os azuis e brancos, que se mantêm na segunda posição do Grupo G, agora com seis pontos, menos três do que o Mónaco, primeiro, e mais cinco do que o Besiktas e o Leipzig, segundo e terceiros classificados.

Os Sub-19 vão agora preparar a deslocação a Chaves, a contar para o campeonato, que está marcada para o próximo sábado às 15h00 e que tem transmissão em direto assegurada pelo Porto Canal.

FICHA DE JOGO

LEIPZIG-FC PORTO, 0-2
Youth League, 3.ª jornada, Grupo G
17 de outubro de 2017
Estádio Cottaweg, Academia do RB Leipzig, Alemanha

Assistência: 520 espetadores

Árbitro: Ognjen Valjić (Bielorrússia) 
Assistentes: Sreten Udovičić e Amer Macić
Quarto árbitro: Lasse Koslowski (Alemanha)

LEIPZIG: Krahl; Yilmaz, Minz, Krüger, Stierlin, Mekonnen de Oliveira, Hoppe, Senkbeil (cap.), Fonatine, Schmidt e Schimmel
Substituições: Krüger por Dauter (61m), Schimmel por Holm (61m) e Fontaine por Hartmann (73m)
Não utilizados: Müler, Schelenz, Born e Aslan
Treinador: Robert Klauβ

FC PORTO: Diogo Costa; Diogo Dalot, Diogo Queirós, Claudio Silva, Tiago Lopes, Rui Pires, Paulo Estrela, Mateus Barbosa, Moreto Cassamá (cap.), Junior Maleck e Madi Queta
Substituições: Paulo Estrela por Romário Baró (58m), Madi Queta por João Mário (66m), Júnior Maleck por Jorge Teixeira (80m)
Não utilizados: Ricardo Silva, Diogo Bessa, Pedro Justiniano e João Lameira
Treinador: João Brandão

Ao intervalo: 0-0
Marcadores: Diogo Dalot (79m) e Romário Baró (82m)

Disciplina: cartão amarelo a ​Diogo Queirós (11m).» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/sub-19-leipezig-fcporto-3jor-youth-league-17-18.aspx

F.C. do Porto Atletas Internacionais - O FC Porto é o clube mais representado na equipa que disputa o II Torneio Terras do Demo, frente à Roménia, na modalidade de Andebol.



«CINCO DRAGÕES CHAMADOS À SELEÇÃO DE ANDEBOL

FC Porto é o clube mais representado na equipa que disputa o II Torneio Terras do Demo, frente à Roménia.

O guarda-redes Alfredo Quintana, o ponta Diogo Branquinho (na foto), o pivô Daymaro Salina e os centrais Rui Silva e Miguel Martins foram chamados à seleção nacional de andebol. Os cinco jogadores do FC Porto, o clube mais representado na convocatória, vão representar Portugal no duplo-compromisso com a Roménia, no Pavilhão Municipal de Moimenta da Beira, para a disputa do II Torneio Terras do Demo. Saliente-se ainda a inclusão na lista de Alexis Borges, pivô emprestado pelos azuis e brancos ao FC Barcelona.

O primeiro encontro será disputado a 25 de outubro, quarta-feira, às 11h00, e o segundo às 21h00 de dia 27, sexta-feira, com transmissão em direto no Porto Canal. Portugal está a preparar para a qualificação europeia de acesso ao play-off para o Campeonato do Mundo de 2019, de 12 a 14 de janeiro de 2018, com a Polónia, Chipre e Kosovo como adversários.

Lista dos 19 jogadores convocados: Alfredo Quintana (FC Porto), Hugo Figueira (Benfica) e Ricardo Candeias (Chartres Métropole, França) (guarda-redes); Fábio Antunes (Benfica), Diogo Branquinho (FC Porto), Pedro Portela (Sporting), Carlos Martins (ABC), Alexis Borges (FC Barcelona, Espanha), Tiago Rocha (Sporting), Daymaro Salina (FC Porto), Fábio Magalhães (Chartres Métropole, França), Gilberto Duarte (Wisla Plock, Polónia), Alexandre Cavalcanti (Benfica), Wilson Davyes (Dunquerque, França), Jorge Silva (Granollers, Espanha), Rui Silva (FC Porto), Miguel Martins (FC Porto), Edmilson Araújo (Sporting) e Diogo Silva (Avanca).» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/cinco-drag%C3%B5es-chamados-a-selecao-de-andebol_torneio-terras-demo.aspx

17/10/17

Política Nacional - À semelhança do que aconteceu em 2017, também em 2018 os pensionistas deverão contar com uma redução do rendimento líquido no início do ano face ao valor a que estavam habituados.



«Subsídio de Natal volta a trocar contas dos pensionistas no início do ano

O subsídio de natal vai ser pago por inteiro em 2018, caindo a lógica de duodécimos. Tal como este ano, é de esperar que o rendimento disponível comece por descer, para depois crescer.

À semelhança do que aconteceu em 2017, também em 2018 os pensionistas deverão contar com uma redução do rendimento líquido no início do ano face ao valor a que estavam habituados. Mas isto não quer dizer que a pensão vá encolher: aliás, no conjunto do ano, é de esperar que todos saiam a ganhar. A alteração acontece porque o Governo decidiu regressar ao regime normal de pagamento do subsídio de Natal: em 2018, esta prestação vai ser paga por inteiro no final do ano.

O que muda então? Este ano, metade do subsídio de Natal tem vindo a ser distribuída por duodécimos e os restantes 50% serão pagos em novembro no caso da Caixa Geral de Aposentações (CGA) e, em dezembro, no caso da Segurança Social. Se em 2018 os duodécimos desaparecem — e o subsídio de Natal volta ao regime normal de pagamento, por inteiro, no final do ano — é de esperar que o rendimento líquido destas pessoas caia no início do ano mas recupere no final. Porém, também é preciso saber se há alterações nas tabelas de retenção na fonte de IRS que possam ter impacto positivo em alguns níveis de rendimentos.

Pensões: quem tem direito a dois aumentos em 2018?

No conjunto do ano, todos saem a ganhar: as pensões vão ser atualizadas em janeiro tendo por base os mecanismos previstos na lei e o Governo já indiciou que a economia terá avançado o suficiente no terceiro trimestre (pelo menos 2,44%) para que os aumentos sejam agora mais significativos, o que, somado à inflação mais elevada, atira o primeiro escalão das reformas — a maioria — para subidas que poderão rondar 1,7% (se assumirmos que a inflação relevante para o cálculo fica em 1,2%). As pensões mais altas têm aumentos inferiores mas também são atualizadas, ao contrário do que era habitual. E em agosto, está prometido novo aumento, desta vez por pensionista, mas apenas na medida do necessário para completar uma subida mínima de seis ou de dez euros, incorporando já a atualização de janeiro.

Como foi este ano?

Já este ano se verificou o mesmo movimento: o valor que chegou às contas dos pensionistas foi mais baixo em janeiro face aos meses de 2016, mesmo num cenário em que a maioria das pensões aumentou logo 0,5%. Foi este o resultado da transição entre um subsídio inteiro em duodécimos (em 2016) e o faseamento de apenas 50% da prestação (em 2017). Portanto, os reformados têm vindo a receber menos face a 2016 mas no conjunto do ano não saem a perder e, aliás, a maioria até ficará a ganhar: além da atualização de 0,5% em janeiro nas pensões até 842,63 euros, os pensionistas que, no total, recebiam até 631,98 euros, também tiveram aumento extra em agosto. No início do ano, o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social fez um conjunto de simulações para explicar aos pensionistas o impacto das mudanças.
Prova dos 9: as pensões vão crescer mais em 2018?

Nos novos cálculos há, assim, alterações a ter em conta: em 2017, a atualização de janeiro foi de apenas 0,5% e só abrangeu o primeiro escalão de pensões; em 2018, todos os escalões deverão são aumentados, com especial impacto nas reformas mais baixas, que vão subir acima da inflação. Este crescimento mais elevado ajuda a mitigar o efeito da perda do duodécimo.

Além disso, há medidas de alívio fiscal, e é preciso conhecer as novas tabelas de retenção na fonte para perceber se podem vir a ter algum impacto no rendimento líquido dos pensionistas logo no início do ano, ainda que uma parte significativa já esteja sujeita a taxa zero. Também já se sabe que o Bloco de Esquerda vai insistir num complemento de reforma para os pensionistas que foram afetados pelo fator de sustentabilidade agravado a partir de 2014.

O que muda no rendimento líquido? Numa pensão de 500 euros, por exemplo, o pensionista recebe hoje 520,83 euros mensais, já que 20,83 euros correspondem ao duodécimo do subsídio de natal. A isto acresce, na altura correspondente, o subsídio de férias e, no final do ano, 50% do subsídio de Natal. Se assumirmos que esta pensão tem um aumento de 1,7% em janeiro de 2018, o reformado ficará a ganhar 508,5 euros, já que o subsídio de Natal deixa de ser pago em duodécimos. O rendimento disponível é assim mais baixo face ao valor habitual deste ano, ainda que a comparação não possa ser feita diretamente com o mês dezembro, já que, nessa altura, os pensionistas (da Segurança Social) vão receber ainda metade do subsídio de Natal — este ano, era possível comparar diretamente o rendimento de janeiro de 2017 e de dezembro de 2016 porque todo o subsídio de Natal estava em duodécimos naquela altura.

Como aumentaram as pensões em 2017?

Na Função Pública, os duodécimos também desaparecem, mas neste caso é preciso ter em conta o efeitos do descongelamento das progressões, além das mexidas no IRS.
O regresso ao regime normal de pagamento de subsídios em 2018 já estava previsto no Orçamento do Estado (OE) para 2017. E isto mantém-se, já que o OE para 2018 não introduz qualquer norma transitória sobre o assunto, como vinha acontecendo nos últimos anos. O pagamento em duodécimos foi introduzido em 2013, e foi a forma de atenuar a perceção do enorme aumento de impostos anunciado na altura. No ano passado, o Governo começou a mudar esta lógica: em 2017, só metade (e não 100%) do subsídio de natal foi distribuído ao longo do ano e este ano é concretizado o regresso ao regime normal.» in http://www.sapo.pt/noticias/economia/subsidio-de-natal-volta-a-trocar-contas-dos_59e59cc2011e9b6f125cceb4

Política de Educação - Governo vai apagar nove anos e meio de trabalho dos professores para as progressões. Ignorando este tempo de serviço há 60 mil professores que não vão conseguir chegar ao topo de carreira.



«Mais de metade dos professores não vão chegar ao topo de carreira

Governo vai apagar nove anos e meio de trabalho dos professores para as progressões. Ignorando este tempo de serviço há 60 mil professores que não vão conseguir chegar ao topo de carreira.

O governo não vai ter em conta nove anos e meio de trabalho dos professores para efeitos de progressão na carreira no próximo ano, de acordo com a proposta de Orçamento do Estado para 2018 entregue no parlamento. Ou seja, os anos em que os professores trabalharam com o congelamento do tempo de serviço da função pública – entre 31 de agosto de 2005 a 31 de dezembro de 2007 e desde 1 de janeiro de 2011 até 31 de dezembro de 2017 – não serão tidos em conta.

Sem este tempo de serviço contabilizado, “mais de metade dos professores dos quadros, que rondam os 110 mil, nunca chegarão ao topo de carreira, mesmo que trabalhem até aos 70 anos”, a idade máxima de trabalho na função pública permitida por lei, disse ao i Vítor Godinho, dirigente da Fenprof. “No mínimo são entre 55 mil e 60 mil professores que não vão chegar ao topo”, frisa Vítor Godinho.

Isto porque, explicou o dirigente da Fenprof, “mais de metade dos docentes estão entre o 3.º e o 4.º escalão”, tendo em média “21 anos de serviço e cerca de 45 anos de idade”. Ora, tendo em conta que para progredir é exigido em cada escalão quatro anos de tempo de serviço (à exceção de um escalão onde são exigidos apenas dois anos), são necessários mais 26  ou 22 anos de serviço para que estes docentes cheguem ao 10.º escalão, o último.

Além disso, há escalões, o 5.º e o 7.º, para os quais a progressão está sujeita a vagas: nem todos os professores progridem no imediato para estes escalões.

Com todo este cenário, no mínimo, quando chegarem ao 10.º escalão os docentes, terão 71 ou 67 anos de idade.

Caso os nove anos e meio de tempo de serviço fossem contabilizados, os docentes iriam progredir entre dois ou três escalões na sua carreira, traduzindo-se isso uma diferença salarial na ordem dos 500 a 900 euros mensais. E deste acréscimo salarial que os professores iriam receber, o governo quer pagar apenas 25% desse valor, entre janeiro e setembro, sendo que a partir desse mês iria ser acrescido de mais 25%, de acordo com a proposta de OE 2018.    

Sindicatos ameaçam com protestos

A não contagem dos nove anos e meio está longe de aceite pela Fenprof e pela Federação Nacional de Educação (FNE),  com quem o Ministério da Educação recusa reunir para discutir o assunto. O gabinete de Tiago Brandão Rodrigues alega que as regras da progressão para os professores já foram discutidas com a tutela da Administração Pública e que a Educação “só pode negociar questões sem incidência orçamental”, disse ao i a Fenprof que, na última sexta-feira, pediu uma reunião urgente com a tutela. Já a FNE ainda não recebeu a resposta da tutela ao pedido de reunião.

A Fenprof já fez saber que vai endurecer o tom dos protestos e os professores vão aderir à greve nacional da Administração Pública marcada para dia 27 de outubro e à manifestação nacional da CGTP no dia 8 de novembro. No entanto, o sindicato está já a estudar outras formas de protesto de professores. Também a FNE diz ao i que considera ser “inaceitável” que o ME não reúna com o sindicato estando no seu horizonte a marcação de greve.

Questionado pelo i sobre as regras de descongelamento e de progressões o Ministério da Educação não respondeu a qualquer questão colocada.» in https://sol.sapo.pt/artigo/584860

Política de Educação - O governo volta a cortar as verbas para a Educação no próximo ano, ao contrário do que diz no relatório do Orçamento do Estado, quando se refere que há um aumento no investimento para o básico e secundário.



«Educação sofre corte de 182 milhões de euros em 2018

Pela segunda vez consecutiva o governo volta a tentar esconder um corte nas verbas disponíveis para o básico e secundário. Em 2018, a tutela de Tiago Brandão Rodrigues terá 6.173,1 milhões de euros disponíveis. Menos 182 milhões (2,9%) face aos 6.355,6 milhões de euros que realmente fora gastos em 2017. A redução das verbas para 2018 é superior à registada no ano passado, quando foi de 169, 5 milhões de euros.

O governo volta a cortar as verbas para a Educação no próximo ano, ao contrário do que diz no relatório do Orçamento do Estado, quando se refere que há um aumento no investimento para o básico e secundário.

Na realidade, em 2018, o Ministério da Educação terá menos 182 milhões de euros disponíveis face ao total das verbas disponíveis este ano. Uma redução de 2,9% face à despesa de 2017. E é um corte nas verbas superior ao registado no ano passado que ascendeu a 169,5 milhões de euros.

De acordo com os números inscritos no relatório do OE 2018, a tutela de Tiago Brandão Rodrigues tem uma despesa prevista de 6. 173,1 milhões de euros. E até ao fim de 2017 o governo prevê gastar 6.355,6 milhões de euros. Contas feitas, são menos 182 milhões de euros.

No entanto, o governo escreve no mesmo relatório que há um aumento nas verbas disponíveis na ordem dos 150 milhões de euros (2,5%).

A diferença está na forma como o Executivo trata e divulga os dados. O governo compara os valores que são inicialmente estimados, ignorando o que realmente é gasto. Ou seja, para o Executivo, o valor tido em referência é o valor que estimou gastar em 2017, excluindo todos os acréscimos e reforços que foi tendo ao longo do ano (o executado).

É a segunda vez consecutiva que o Executivo usa esta estratégia para dizer que há um reforço no investimento da Educação, quando na realidade o que existe é uma redução. Já no ano passado

No entanto, fora da despesa prevista de 6.173,1 milhões de euros não estão contabilizados os reforços necessários para cobrir a correção salarial que resultará do descongelamento das carreiras, de acordo com o documento ontem entregue pelo ministro das Finanças no parlamento.» in https://sol.sapo.pt/artigo/584508/educacao-sofre-corte-de-182-milhoes-de-euros-em-2018

Religião - O papa Francisco proclamou hoje como santo o sacerdote português Ambrósio Francisco Ferro, morto no Brasil em 3 de outubro de 1645 durante perseguições anticatólicas, por tropas holandesas, anunciou a Agência Ecclesia.



«Há um novo santo português. Papa Francisco proclamou santo o padre Ambrósio Francisco Ferro

O papa Francisco proclamou hoje como santo o sacerdote português Ambrósio Francisco Ferro, morto no Brasil em 3 de outubro de 1645 durante perseguições anticatólicas, por tropas holandesas, anunciou a Agência Ecclesia.

A fórmula de canonização foi proclamada em latim no início da missa celebrada na Praça de São Pedro, Vaticano, perante milhares de pessoas, adianta a Ecclesia.

O novo santo faz parte do grupo dos chamados “protomártires do Brasil”, que foram mortos no atual território da Arquidiocese de Natal, então sob jurisdição portuguesa.

Na missa de canonização celebrada pelo papa são canonizados ao todo 35 novos santos, incluindo Ambrósio Ferro.

Ambrósio Francisco Ferro era vigário de Rio Grande e terá sido torturado e assassinado no chamado “massacre de Uruaçú”, onde outras vítimas também foram torturadas, nomeadamente cortando-lhes a língua para que não proferissem orações católicas. No local do massacre foi erigido um monumento aos mártires, visitado especialmente em outubro.

Os fiéis católicos foram beatificados pelo papa João Paulo II, em março de 2000, e o anúncio da canonização de hoje foi feito em abril passado.

Além dos mártires resultantes das perseguições na arquidiocese de Natal, entre julho e outubro de 1645 nas localidades de Cunhau e Uruaçú, são canonizados também os mártires de Tlaxcala, três crianças indígenas mexicanas, o beato espanhol Faustino Miguez, fundador do Instituto Calasancio Filhas da Divina Pastora e o sacerdote franciscano Luca Antonio Falcone.» in http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/ha-um-novo-santo-portugues-papa-francisco-proclamou-santo-o-padre-ambrosio-francisco-ferro

16/10/17

Amarante Turismo - O centro histórico de Amarante foi o palco da Bienal AR&PA que teve como objetivo promover, valorizar e dar visibilidade ao Património Cultural.



«AR&PA – MAIS UM MOTIVO PARA VISITAR AMARANTE

De 13 a 15 de outubro a cidade de Amarante recebe a Bienal Ibérica de Património Cultural. Há visitas guiadas, roteiros culturais, exposições, seminários, workshops, concertos, espetáculos e uma série de outras atividades destinadas aos mais novos, às famílias e ao público em geral.
 Amarante.

O centro histórico de Amarante vai ser o palco da Bienal AR&PA que tem como objetivo promover, valorizar e dar visibilidade ao Património Cultural. Para isso, a Spira, entidade organizadora, elaborou um vasto programa. Desde logo a Feira do Património onde estarão presentes cerca de 100 expositores entre entidades portuguesas e espanholas, mas há também ateliers, jogos e teatro para as crianças, várias exposições, workshops de fotografia, debates, espetáculos de vídeo mapping, concertos musicais e muito mais – o melhor mesmo é consultar o programa!

Ora, este é o mote para aproveitar o fim de semana e rumar ao norte para conhecer a magnífica cidade de Amarante. O centro histórico, bastante bem preservado, é local de visita obrigatória com um conjunto notável de magníficos monumentos e edifícios exemplares dos estilos barroco e românico, entre os quais se destacam as igrejas de São Pedro e de São Domingos, o Solar dos Magalhães, a Casa da Cerca, a ponte de São Gonçalo, que atravessa o Rio Tâmega, e o ex-libris da cidade - a Igreja e Convento de São Gonçalo. Este monumento religioso, que é um importante local de peregrinação, merece por si só uma visita. Erguido no local da ermida, onde se pensa estar sepultado o padroeiro da cidade, São Gonçalo, que na verdade é considerado beato pela igreja católica, começou a ser edificado em 1540 por ordem do rei D. João III. A sua construção atravessou diversos reinados pelo que, o seu aspecto denota influências renascentistas, maneiristas, barrocas e oitocentistas. A austera fachada principal contrasta com a imponência da lateral, que ostenta um portal de enorme valor artístico onde estão representados os fundadores beneméritos do convento.

Numa parte do Convento Dominicano de São Gonçalo encontra-se outra das joias de Amarante - o Museu Municipal Amadeo de Souza Cardoso, em homenagem ao pioneiro e um dos nomes maiores da pintura modernista portuguesa, cujo reconhecimento da sua notável obra só se deu recentemente. No museu, que pretende evocar artistas e escritores nascidos em Amarante, lembra-se António Carneiro, Teixeira de Pascoaes, Agustina Bessa Luís e claro, Amadeo de Souza Cardozo, entre outros.

Fora da cidade, há outros motivos de interesse, como por exemplo os Paços do Concelho de Santa Cruz de Riba Tâmega, o Mosteiro de Travanca ou as igrejas de Mancelos, Jazente, Freixo de Baixo, Gatão e Gondar que fazem parte da Rota do Românico. Mas desengane-se quem pensa que as únicas atrações da região passam apenas pelo património edificado. No Município de Amarante respira-se Natureza! Desde logo com Rio Tâmega, sempre presente, mas também as Serras do Marão e da Aboboreira, cujas paisagens marcadas pelas aldeias de xisto e de granito, povoadas por gente acolhedora e fiel depositária de antigas e ricas tradições, são bons motivos para não se deixar ficar apenas por uma visita à cidade.

Na gastronomia amarantina, a carne está em destaque, seja o cabrito assado no forno, ou os pratos de carne bovina maronesa, um produto autóctone das serras do Marão e do Alvão com denominação de origem protegida. E uma vez que estamos na época dos cogumelos, saiba que Amarante é uma referência nacional no que diz respeito à produção destes fungos, razão pela qual vale a pena ter em conta este petisco presente nas ementas dos restaurantes da região. Na hora da sobremesa, os doces conventuais à base de açúcar, ovos, farinha e amêndoas são obrigatórios, quer se tratem de “lérias”, “foguetes”, “papos de anjo” ou “brisas do Tâmega”. Nas pastelarias da cidade pode ainda encontrar os doces de São Gonçalo com a sua forma fálica característica e que são também uma presença habitual nas festas e romarias de Amarante. Estes doces estão associados ao culto pagão a São Gonçalo, a quem são atribuídos os dotes de casamenteiro - fazem parte das preces e rituais das moças solteiras que recorrem ao padroeiro da cidade na esperança de encontrar um noivo.

Quanto ao alojamento, no centro de Amarante existem bons hotéis e nos arredores há também diversas unidades de turismo de habitação. A hospitalidade já se sabe, é do melhor que há, ou não estivéssemos no norte do país!» in http://viagens.sapo.pt/planear/noticias/artigos/arpa-mais-um-motivo-para-visitar-amarante

F.C. do Porto Hóquei Patins - Com a vitória da tarde deste sábado, sobre o Sporting de Tomar, o FC Porto Fidelidade deu continuidade à hegemonia que vem construindo no que ao hóquei em patins nacional respeito.



«O QUINTO TÍTULO CONSECUTIVO A NÍVEL INTERNO

Revalidação da Supertaça seguiu-se ao triunfo no Campeonato e à revalidação da Taça de Portugal.

Com a vitória da tarde deste sábado, sobre o Sporting de Tomar (7-3), o FC Porto Fidelidade deu continuidade à hegemonia que vem construindo no que ao hóquei em patins nacional respeito. A equipa de Guillem Cabestany somou o seu quinto título interno consecutivo, entre duas Supertaças António Livramento, duas Taças de Portugal e um Campeonato.

O pecúlio azul e branco na era de Guillem Cabestany teve início na edição de 2015/16 da Taça de Portugal, com um triunfo sobre o Benfica (4-2), e desde esse dia a formação orientada pelo treinador catalão não parou de ganhar em Portugal. A época seguinte abriu com uma espetacular vitória, de novo sobre o Benfica, por 13-7, na Supertaça, e com um emocionante título de campeão nacional, fechado apenas na derradeira jornada. Esse ano, o de 2016/17 não terminaria sem nova conquista, o tão ansiado triplete, confirmado com um triunfo claro sobre o Sporting de Tomar (5-1)​, para levantar o quarto troféu consecutivo.

Esta caminhada triunfante continuou na tarde deste sábado, no Pavilhão Municipal do Entroncamento, de novo à custa do Tomar, que disputou este jogo pela primeira vez na sua história. Os Dragões venceram a 21.ª Supertaça (em 35 edições) do seu palmarés e alargaram a enorme vantagem que levam neste capítulo para o melhor perseguidor: o Benfica, que soma sete.

A equipa tomarense torna-se assim a mais recente vítima dos Dragões nesta competição em que o Benfica é o adversário favorito. São oito as taças ganhas frente aos encarnados, seguidas pelas três conquistadas diante do Sporting e da Oliveirense. Por uma ocasião foram derrotados o Óquei de Barcelos, a Sanjoanense, o Paço de Arcos, a Juventude de Viana, o Cambra e o HC Braga.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/O-quinto-t%C3%ADtulo-consecutivo-a-n%C3%ADvel-interno.aspx

F.C. do Porto Andebol: F.C. do Porto 44 vs HC Ohrid 26 - Depois dos 17 golos de vantagem trazidos da véspera (37-20), o FC Porto voltou a bater este domingo o HC Ohrid, no Dragão Caixa, e apurou-se para a terceira ronda de qualificação para a Taça EHF, a última antes da fase de grupos da prova.



«HC OHRID SEM ARGUMENTOS PARA DRAGÃO VORAZ

Segunda mão da segunda ronda de qualificação para a Taça EHF terminou com novo triunfo portista: 44-26

Depois dos 17 golos de vantagem trazidos da véspera (37-20), o FC Porto voltou a bater este domingo o HC Ohrid (44-26), no Dragão Caixa, e apurou-se para a terceira ronda de qualificação para a Taça EHF, a última antes da fase de grupos da prova.

Só uma hecatombe impediria a equipa do aniversariante Lars Walther (52 anos) de seguir em frente para a próxima fase, mas a primeira parte avassaladora do FC Porto transformou a segunda numa mera formalidade: 25-13 era a vantagem portista à ida para o descanso. A etapa complementar também se pintou em tons de azul e branco e os números finais refletem a supremacia do FC Porto em relação aos macedónios do HC Ohrid: 44-26.

“Este género de jogos são sempre mais difíceis porque tínhamos ganho por 17 na véspera. É difícil os jogadores estarem ao mesmo nível, com o mesmo nível de concentração, mas vi muitas coisas boas e creio que fizemos um bom jogo. O Miguel Martins esteve particularmente bem e é preciso não esquecer que tem apenas 19 anos. Estou feliz e acredito que estamos prontos para a próxima eliminatória. Ganhar é sempre importante e dá confiança”, afirmou Lars Walther, no final da partida, em declarações ao Porto Canal.

FICHA DE JOGO

FC PORTO-HC OHRID, 44-26
Taça EHF, 2.ª ronda de qualificação, 2.ª mão
15 de outubro de 2017
Dragão Caixa, no Porto

Árbitros: André Philipp Buache e Marco Meyer (Suíça)

FC PORTO: Alfredo Quintana e Hugo Laurentino; Victor Iturriza (6), Nikola Spelic (1), Yoel Morales (4), Miguel Martins (3), Ángel Hernández (3), Rui Silva (3), Daymaro Salina, José Carrillo (7), Diogo Branquinho (4), António Areia (2), Miguel Alves (5) e Aleksander Spende (6)
Treinador: Lars Walther

HC OHRID: Aleksander Stojanovski; Krste Andonoski, Martin Ivanoski, Jovica Mladenovski (2), Naum Kostov, Nikolce Risteski, Dervis Birdahic (2), Bojan Spasovski, Blagojce Trajvkovski, Daniel Andonoski (1), Lazar Adamovic (6), Josip Kezic, Slavisa Dimitrijeski (4), Tomislav Kljaic (3), Ivan Taseski (5) e Boban Blazeski (3)
Treinador: Goran Andonovski

Ao intervalo: 25-13» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/andebol-fcp-ohrid-qr2-2mao.aspx
Pin It button on image hover