28/05/17

F.C. do Porto Ciclismo - Raúl Alarcón foi o vencedor da 27.ª edição do Grande Prémio Jornal de Notícias, depois de ter conservado a camisola amarela ao terminar em segundo lugar a quarta e última etapa da prova, que este domingo teve partida e chegada em Valongo, num total de 130 quilómetros.



«RAÚL ALARCÓN VENCE GRANDE PRÉMIO JN

Ciclista da W52-FC Porto-Mestre da Cor foi segundo na última etapa e segurou a camisola amarela.

Raúl Alarcón foi o vencedor da 27.ª edição do Grande Prémio Jornal de Notícias, depois de ter conservado a camisola amarela ao terminar em segundo lugar a quarta e última etapa da prova, que este domingo teve partida e chegada em Valongo, num total de 130 quilómetros. Esta foi a segunda conquista de Raúl Alarcón em maio, depois de ter vencido a Volta às Astúrias no início do mês.

O ciclista espanhol da W52-FC Porto-Mestre da Cor terminou este Grande Prémio Jornal de Notícias com 20 segundos de vantagem sobre João Benta (RP-Boavista) e 23 sobre o companheiro de equipa Rui Vinhas, segundo e terceiro classificados, respetivamente. No top-10 da geral individual ainda constam os nomes de mais dois Dragões: Amaro Antunes (5.º) e António Carvalho (6.º). A W52-FC Porto-Mestre da Cor também se impôs na geral por equipas.

“Foi uma corrida fantástica. A chave do triunfo foi a jornada dupla, aquela em que marquei a diferença para os rivais. Mas sem a equipa não teria vencido, porque foram os meus companheiros que seguraram a vantagem nas duas etapas seguintes. Dedico a vitória a todas as pessoas que nos apoiam, aos meus companheiros de equipa, à minha família e à minha namorada”, afirmou Raúl Alarcón antes de subir ao mais alto lugar do pódio.

Geral Individual 
1.º Raúl Alarcón (W52-FC Porto), 13h27m39s
2.º João Benta (RP-Boavista), a 20s 
3.º Rui Vinhas (W52-FC Porto), a 23s
4.º Daniel Mestre (Efapel), a 29s 
5.º Amaro Antunes (W52-FC Porto), a 31s 
6.º António Carvalho (W52-FC Porto), a 39s 
7.º Joni Brandão (Sporting-Tavira), a 49s
8.º Domingos Gonçalves (RP-Boavista), a 1m00s 
9.º Jorge Magalhães (Miranda/Mortágua), a 1m02s 
10.º Henrique Casimiro (Efapel), a 1m15s
(…)
17.º Ricardo Mestre (W52-FC Porto), a 3m11s
28.º Joaquim Silva (W52-FC Porto), a 7m40s
31.º Gustavo Veloso (W52-FC Porto), a 10m31s
41.º Samuel Caldeira (W52-FC Porto), a 14m58s» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/Grande-Premio-JN-2017-4a-etapa.aspx

F.C. do Porto Sub 17 Futebol: Académica 0 vs F.C. do Porto 4 - Segunda parte de luxo dos Jovens Dragões frente à Académica, na sexta jornada da fase final do campeonato.



«SUB-17 GOLEIAM EM COIMBRA

Segunda parte de luxo dos Dragões frente à Académica (4-0), na sexta jornada da fase final do campeonato.

A equipa de Sub-17 do FC Porto goleou na manhã deste domingo a Académica (4-0), no Estádio Cidade de Coimbra, em jogo da sexta jornada da fase final do Campeonato Nacional de Juniores B. Os azuis e brancos passam a somar dez pontos e mantêm a terceira posição, a seis do Sporting, primeiro classificado. Na sétima ronda, os Dragões recebem o Benfica, no Olival, estando clássico marcado para dia 4 de junho (domingo), às 11h00 (Porto Canal).

A primeira parte do duelo entre os Sub-17 da Académica e do FC Porto esteve bem longe de ser um grande espetáculo de futebol, mas a realidade é que o melhor estava guardado para a etapa complementar. Após o intervalo, os portistas reorganizaram-se e partiram para uma segunda parte demolidora, na qual construíram a goleada: Ruben Moura (43m), Cláudio Silva (53m), Romário Baró (58m) e Vasco Paciência (78m) foram os marcadores de serviço.

Os Sub-17 portistas, comandados por Bino, alinharam com Carlos Peixoto, Tiago Matos, Levi, Cláudio Silva (Ruben Rosário, 71m), Tiago Lopes, Mané (Romário Baró, ao intervalo), João Mário, Vítor Ferreira, Afonso Sousa (cap.), Miguel Magalhães (Ruben Moura, ao intervalo) e Leandro Campos.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/Sub17-Academica-FC-Porto-6a-jor-fase-final-CNJB-1617.aspx

27/05/17

F.C. do Porto Hóquei Patins: Oliveirense 6 vs F.C. do Porto Fidelidade 6 - O jogo grande da jornada 23 do Campeonato de hóquei em patins terminou com seis golos para cada lado: FC Porto Fidelidade e Oliveirense empataram na tarde deste sábado e atrasaram-se na luta pelo título.



«DOIS “HAT-TRICKS” VALEM UM PONTO EM OLIVEIRA DE AZEMÉIS

FC Porto empatou com a Oliveirense (6-6). Hélder Nunes e de Reinaldo Garcia marcaram os golos azuis e brancos.

O jogo grande da jornada 23 do Campeonato de hóquei em patins terminou com seis golos para cada lado: FC Porto Fidelidade e Oliveirense empataram na tarde deste sábado e atrasaram-se na luta pelo título. O primeiro lugar da classificação​ é agora ocupado pelo Benfica, com 62 pontos, mais um do que a equipa de Oliveira de Azeméis, segunda, e mais três do que os azuis e brancos, terceiros. Na próxima ronda, a antepenúltima, marcada para de sábado, os quatro primeiros jogam entre si: os portistas recebem os lisboetas (18h00, Porto Canal) e a União desloca-se ao pavilhão do Sporting.

Foi, como se previa, um jogo equilibrado aquele a que se assistiu no Pavilhão Dr. Salvador Machado, mas em que o FC Porto esteve mais tempo em vantagem e mais perto de ganhar do que o adversário. Hélder Nunes e Reinaldo Garcia estiveram endiabrados: marcaram três golos cada um.

O primeiro, assinado pelo capitão, apareceu quando estavam decorridos apenas sete segundos de um encontro verdadeiramente frenético e emocionante, porque ao segundo minuto o defesa/médio espanhol colocava os portistas a vencer por 2-0 e ao quarto João Souto reduzia para a equipa da casa. Depois, foram os guarda-redes a reclamar protagonismo com um punhado de boas defesas que foram mantendo o resultado inalterado, até Reinaldo Garcia fazer o bis (11m), Mais eficaz, o FC Porto chegou a quarto golo, por intermédio de Hélder Nunes num belo remate de meia distância (14m), mas a vantagem de três golos não duraria muito, já que Nuno Araújo aproveitou o facto de os Dragões jogarem em power-play e reduziu pouco depois (16m).colocou no marcador o 4-2 que se verificaria ao intervalo.

A segunda parte começou com Xavier Puigbí a negar, em dois lances seguidos, o 5-2 aos portistas. O guarda-redes não quis ficar atrás de Nélson Filipe, que tinha estado em grande plano no primeiro tempo, e foi o grande culpado pelo facto de a equipa da casa ter sofrido apenas dois golos nos segundos 25 minutos. O FC Porto surgiu melhor dos balneários, com mais posse de bola, mais remates perigosos, mas encontrou um muro na baliza contrária. E a Oliveirense aproveitou para marcar por três vezes: Jordi Bargalló (31m), Pedro Moreira (41m) e Pablo Cancela (43m) consumaram a reviravolta no marcador.

Ainda havia muito tempo para se jogar, o tempo suficiente para se marcarem ainda mais três golos: Reinaldo Garcia reestabeleceu o empate (44m) no mesmo minuto em que a Oliveirense, com um golo de Bargalló na transformação de penálti muito duvidoso, se recolocou em vantagem, desfeita logo a seguir por Hélder Nunes na marcação exímia de um livre direto. Daí até ao final foram os Dragões que estiveram mais perto do 7-6 do que o adversário, mas nem Puigbí nem os ferros da baliza que defendia o permitiram.

“Fizemos mais para ganhar”, mas o empate acaba por ser justo face ao que se passou na pista, admitiu Guillem Cabestany no fim de um jogo que terminou com as emoções à flor da pele, com a expulsão de Jorge Silva, do lado do FC Porto, e de João Souto, do lado da Oliveirense..

FICHA DE JOGO

OLIVEIRENSE-FC PORTO FIDELIDADE, 6-6
Campeonato, 23.ª jornada 
27 de maio de 2017
Pavilhão Dr. Salvador Machado, Oliveira de Azeméis

Árbitros: Ricardo Leão e Luis Peixoto (Lisboa)

OLIVEIRENSE: Xavier Puigbí (g.r.), Pedro Moreira, Ricardo Barreiros (cap.), João Souto e Jordi Bargalló
Jogaram ainda: Domingos Pinho (g.r.), Pablo Cancela, Josep Selva, Nuno Araújo e Bruno Fernandes 
Treinador: Tó Neves

FC PORTO FIDELIDADE: Nélson Filipe (g.r.), Hélder Nunes (cap.), Rafa, Reinaldo García e Gonçalo Alves
Jogaram ainda: Carles Grau (g.r.), Vítor Hugo, Ton Baliu, Jorge Silva, Telmo Pinto, García
Treinador: Guillem Cabestany

Ao intervalo: 2-4
Marcadores: Hélder Nunes (1m, 15m, 45m), Reinaldo Garcia (2m, 11m, 44m), João Souto (4m), Nuno Araújo (16m), Jordi Bargalló (31m, 44m), Pedro Moreira (41m) 
Disciplina: cartão azul a Ton Baliu (15m), Reinaldo Garcia (48m) e a Jordi Bargalló (48m) e cartão vermelho a João Souto (48m) e Jorge Silva (48m)» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/oliveirense-fcporto-campeonato-23j-270517.aspx

F.C. do Porto Sub 19 Futebol: F.C. do Porto 1 vs Sporting C.P. 1 - Jogo da 13.ª jornada da fase final do campeonato terminou com igualdade a um golo.



«SUB-19 EMPATAM COM O SPORTING NO OLIVAL

Jogo da 13.ª jornada da fase final do campeonato terminou com igualdade a um golo.

A equipa de Sub-19 do FC Porto empatou este sábado diante do Sporting (1-1), no Olival, em partida a contar para a 13.ª e penúltima jornada da fase final do Campeonato Nacional de Juniores A. Demiral marcou para os lisboetas (37m), que acabaram por se sagrar campeões nesta ronda, enquanto Xavier fez o golo dos azuis e brancos (55m).

Mesmo com várias alterações no onze inicial, o FC Porto entrou determinado em vencer o clássico e adotou uma postura destemida desde o apito inicial, mas foi o Sporting que se adiantou no marcador, por intermédio de Demiral (37m). Na etapa complementar, Xavier deu o melhor seguimento a um cruzamento bem medido de Michael Morais e restabeleceu a igualdade (55m), que o guarda-redes Ricardo Silva segurou ao defender uma grande penalidade batida por Bruno Paz (75m).

Os Sub-19 portistas, comandados por João Brandão, alinharam com Ricardo Silva, Diogo Casimiro (Mamadu Lamba, 77m), Diogo Queirós, Diogo Leite, Diogo Bessa, João Lameira, Paulo Estrela (Yan Dinghao, 77m), Moreto Cassamá (cap.), Madi Queta (Jorge Teixeira, 67m), Michael Morais e Xavier.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/Sub19-FC-Porto-Sporting-13a-jor-fase-final-CNJA-1617.aspx

F.C. do Porto Ciclismo - Raúl Alarcón, da W52-FC Porto-Mestre da Cor, manteve a camisola amarela do Grande Prémio Jornal de Notícias ao final da terceira e penúltima etapa da prova, ganha ao sprint por Daniel Mestre, da Efapel, que completou neste sábado os 178,4 quilómetros que ligaram Viana do Castelo a Ovar em 4h26m00s.



«ALARCÓN CONSERVA A “AMARELA”

Espanhol, que venceu Quintana nas Astúrias, parte para a última etapa do Grande Prémio JN com 18 segundos de vantagem.

Raúl Alarcón, da W52-FC Porto-Mestre da Cor, manteve a camisola amarela do Grande Prémio Jornal de Notícias ao final da terceira e penúltima etapa da prova, ganha ao sprint por Daniel Mestre, da Efapel, que completou neste sábado os 178,4 quilómetros que ligaram Viana do Castelo a Ovar em 4h26m00s.

Além de conservar o símbolo de líder e os 18 segundos de vantagem sobre o segundo classificado, que continua a ser João Benta, da RP-Boavista, o ciclista espanhol dos Dragões, que venceu a Volta às Astúrias no início do mês, conta com a proximidade na geral individual dos companheiros de equipa Rui Vinhas (3.º, a 19 segundos), Amaro Antunes (4.º, a 25 segundos) e António Carvalho (6.º, a 33 segundos).

Durante a mais longa etapa da prova, com três contagens de montanha e duas metas volantes a gerar vários ataques e um ritmo inicial frenético, a W52-FC Porto-Mestre da Cor controlou sempre a velocidade da corrida e anulou, a 46 quilómetros da meta, uma fuga de duas horas que chegou a ter mais de quatro minutos de vantagem, dando, na altura, a liderança virtual a César Fonte, da La-Alumínios.

Na chegada a Ovar, disputada ao sprint, Samuel Caldeira foi o mais bem posicionado entre os Dragões, terminando a etapa na sexta posição com o mesmo tempo do vencedor.

No domingo, no último dia de prova, o pelotão percorrerá 130 quilómetros, com partida e chegada em Valongo e algumas subidas exigentes no traçado.

CLASSIFICAÇÕES

3.ª Etapa: Viana do Castelo - Ovar, 178,4 km
1.º Daniel Mestre (Efapel), 4h26m00s
2.º Domingos Gonçalves (RP-Boavista), mt
3.º César Martingil (Liberty Seguros/Carglass), mt
4.º Luís Mendonça (Louletano-Hospital de Loulé), mt
5.º Alan Matías Presa (Kuota Construciones Paulino), mt
6.º Samuel Caldeira (W52-FC Porto), mt
7.º Francisco Campos (Miranda/Mortágua), mt
8.º Tiago Antunes (Sicasal/Constantinos/Delta Cafés), mt
9.º Fábio Oliveira (Moreira Congelados/Feira/Bicicletas Andrade), mt
10.º Rafael Silva (Efapel), mt

Geral Individual 
1.º Raúl Alarcón (W52-FC Porto), 10h10m46s
2.º João Benta (RP-Boavista), a 18s 
3.º Rui Vinhas (W52-FC Porto), a 19s 
4.º Amaro Antunes (W52-FC Porto), a 25s
5.º Daniel Mestre (Efapel), a 33s 
6.º António Carvalho (W52-FC Porto), mt 
7.º Joni Brandão (Sporting-Tavira), a 43s 
8.º Jorge Magalhães (Miranda/Mortágua), a 51s 
9.º Domingos Gonçalves (RP-Boavista), a 52s 
10.º Henrique Casimiro (Efapel), a 1m04s» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/grande_premio_jn_terceira_etapa.aspx

F.C. do Porto Basquetebol: Vitória de Guimarães 70 vs F.C. do Porto 95 - Triunfo sobre o Vitória, em Guimarães, fechou com chave de ouro as meias-finais dos Playoffs da LPB.



«CAMPEÕES RESERVAM LUGAR NA FINAL

Triunfo sobre o Vitória (95-70), em Guimarães, fechou com chave de ouro as meias-finais dos Playoffs da LPB.

O FC Porto está na final dos Playoffs da Liga Portuguesa de Basquetebol depois de bater esta sexta-feira o Vitória (95-70), em Guimarães, no terceiro jogo das meias-finais. Os Dragões somaram assim o triunfo que faltava para fechar a eliminatória (3-0) e carimbar o passaporte para a final da competição, aguardando agora pelo desfecho da outra meia-final, entre Benfica e Oliveirense, para saber qual será o adversário na luta pela revalidação do título conquistado em 2015/16.

Num pavilhão no qual já tinha somado duas derrotas em dois jogos esta temporada, o FC Porto desde cedo sentiu a forte oposição do Vitória de Guimarães, mas aproveitou a inspiração de José Silva (14 pontos) para terminar o primeiro período na frente (24-18). Pouco depois do início do segundo, a vantagem portista cresceu para a dúzia de pontos (33-21) e colocou os vimaranenses em sentido, mas a coesão defensiva e o jogo coletivo dos Dragões fez toda a diferença na primeira parte, que fechou com o FC Porto já a uma distância considerável (47-32). O endiabrado José Silva, por esta altura, já contabilizava 19 pontos.

Quase uma hora depois, devido a problemas relacionados com o marcador eletrónico, arrancou uma segunda parte igualmente dominada pelos campeões nacionais, que não se deixaram afetar pela longa paragem e aumentaram para 26 pontos a vantagem à entrada para o quarto e último período (75-49). Os derradeiros dez minutos foram quase uma mera formalidade, mas serviram para confirmar um triunfo inequívoco, com uma exibição de luxo do FC Porto (95-70), alicerçada nos importantes contributos de José Silva (26 pontos), Sasa Borovnjak (17 pontos), Brad Tinsley (13 pontos) e Nick Washburn (10 pontos).

FICHA DE JOGO

VIT. GUIMARÃES-FC PORTO, 70-95
Liga Portuguesa de Basquetebol, Playoffs, Meias-finais, Jogo 3
26 de maio de 2017
Pavilhão do Vitória SC, em Guimarães

Árbitros: Fernando Rocha, Paulo Marques e Pedro Maia

VIT. GUIMARÃES: Andrew Ferry (20), Pedro Pinto (14), Miljan Rakic (7), Victor Moses (6) e Nebojsa Dukity (7)
Suplentes: Rui Quintino (1), Hugo Sotta, João Guerreiro (2), João Balseiro (13) e Paulo Cunha
Treinador: Fernando Sá

FC PORTO: Brad Tinsley (13), Jeff Xavier (7), José Silva (26), Nick Washburn (10) e Miguel Queiroz (6)
Suplentes: Ferrán Ventura, Miguel Miranda (4), Sasa Borovnjak (17), André Bessa (6), Pedro Bastos (6), João Grosso e João Gallina
Treinador: Moncho López

Ao intervalo: 32-47
Parciais: 18-24, 14-23, 17-28, 21-20» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/Vitoria-SC-FC-Porto-jogo-3-meias-finais-Playoffs-LPB-1617.aspx

26/05/17

F.C. do Porto Ciclismo - Raúl Alarcón soma e segue no Grande Prémio JN, tendo vencido os dois setores da segunda etapa da prova, disputada esta sexta-feira.



«RAÚL ALARCÓN SEGUE A TODO O GÁS NO GRANDE PRÉMIO JN

Ciclista espanhol da W52-FC Porto-Mestre da Cor venceu os dois setores da segunda etapa da prova.

Raúl Alarcón soma e segue no Grande Prémio JN, tendo vencido os dois setores da segunda etapa da prova, disputada esta sexta-feira. De manhã, o ciclista espanhol da W52-FC Porto-Mestre da Cor venceu o primeiro setor, que ligou a Maia a Viana do Castelo, voltando a exibir-se em grande nível da parte da tarde, no contrarrelógio individual de 6,7 quilómetros, entre Barcelos e o alto da Franqueira. Raúl Alarcón cumpriu a distância em 13m17s, mas alguns companheiros de equipa não lhe ficaram muito atrás.

Entre os seis mais rápidos no contrarrelógio individual, a W52-FC Porto-Mestre da Cor colocou mais quatro ciclistas além de Raúl Alarcón: Rui Vinhas (2.º, 13m19s), Amaro Antunes (3.º, 13m25s), António Carvalho (5.º, 13m33s) e Gustavo Veloso (6.º, 13m36s). Na geral individual, Raúl Alarcón é cada vez mais líder, possuindo por esta altura 18 segundos de vantagem sobre João Benta (RP-Boavista). Os Dragões Rui Vinhas (3.º), Amaro Antunes (4.º) e António Carvalho (5.º) completam o lote dos cinco primeiros classificados.

Enquanto a W52-FC Porto-Mestre da Cor continua a comandar a classificação geral coletiva, este sábado corre-se a terceira etapa, numa viagem de 178,4 quilómetros, entre Viana do Castelo e Ovar. A etapa arranca às 12h25, estando previsto que termine por volta das 17h00.

Geral Individual 
1.º Raúl Alarcón (W52-FC Porto), 5h44m46s 
2.º João Benta (RP-Boavista), a 18s 
3.º Rui Vinhas (W52-FC Porto), a 19s 
4.º Amaro Antunes (W52-FC Porto), a 25s 
5.º António Carvalho (W52-FC Porto), a 33s 
6.º Daniel Mestre (Efapel), a 43s 
7.º Joni Brandão (Sporting-Tavira), mt 
8.º Jorge Magalhães (Miranda/Mortágua), a 51s 
9.º Domingos Gonçalves (RP-Boavista), a 58s 
10.º Henrique Casimiro (Efapel), a 1m04s» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/Ciclismo-setor2-2a-etapa-Grande-Premio-JN-2017.aspx

F.C. do Porto Ciclismo - Raúl Alarcón é ainda mais líder do Grande Prémio Jornal de Notícias, depois de vencer o primeiro setor da segunda etapa da prova, disputado durante a manhã desta sexta-feira.



«ALARCÓN VENCE NO ALTO DE SANTA LUZIA

Camisola amarela reforça liderança do Grande Prémio JN ao ganhar o primeiro setor da segunda etapa.

Raúl Alarcón é ainda mais líder do Grande Prémio Jornal de Notícias, depois de vencer o primeiro setor da segunda etapa da prova, disputado durante a manhã desta sexta-feira. O espanhol da W52-FC Porto-Mestre da Cor foi o primeiro a cortar a meta no alto de Santa Luzia, ganhando ao sprint a João Benta, da RP-Boavista, que é agora segundo da geral, a sete segundos do ciclista alicantino dos Dragões.

Durante o primeiro setor da etapa, que ligou a Maia a Viana do Castelo numa extensão de 83,7 quilómetros, a equipa da W52-FC Porto-Mestre da Cor, que liderou sempre o pelotão e coloca quatro ciclistas entre os dez primeiros da geral, anulou uma fuga a nove quilómetros da meta antes de Alarcón se impor ao sprint ao final dos três quilómetros da subida de segunda categoria.

Raúl Alarcón, o camisola amarela que no início do mês venceu a Volta às Astúrias, deixando para trás o colombiano Nairo Quintana e o espanhol Óscar Sevilla, ampliou de quatro para sete segundos a vantagem sobre o segundo classificado, que é agora João Benta, da RP-Boavista. Amaro Antunes, o segundo melhor entre os Dragões, é quarto da geral, a 17 segundos de Alarcón e com o mesmo tempo dos também portistas António Carvalho e Rui Vinhas.

O segundo setor da segunda etapa da prova corre-se também nesta sexta-feira, a partir das 17h00, num contrarrelógio individual de 6,7 quilómetros entre Barcelos e o alto da Franqueira.

CLASSIFICAÇÕES

2.ª Etapa - 1.º Setor: Maia - Santa Luzia, 83,7 km
1.º Raúl Alarcón (W52-FC Porto), 1h58m19s
2.º João Benta (RP-Boavista), mt
3.º Daniel Mestre (Efapel), a 2s
4.º César Fonte (LA Alumínios-Metalusa BlackJack), a 4s
5.º Frederico Figueirero (Sporting-Tavira), a 7s
6.º António Carvalho (W52-FC Porto), mt
7.º Amaro Antunes (W52-FC Porto), mt
8.º Domingos Gonçalves (RP-Boavista), mt
9.º Joni Brandão (Sporting-Tavira), mt
10.º Henrique Casimiro (Efapel), mt

Geral Individual
1.º Raúl Alarcón (W52-FC Porto), 5h31m29s
2.º João Benta (RP-Boavista), a 7s
3.º Daniel Mestre (Efapel), a 13s
4.º Amaro Antunes (W52-FC Porto), a 17s
5.º António Carvalho (W52-FC Porto), mt
6.º Rui Vinhas (W52-Fc Porto), mt
7.º Domingos Gonçalves (RP-Boavista), a 18s
8.º Rafael Silva (Efapel), a 20s
9.º Henrique Casimiro (Efapel), a 21s
10.º César Fonte (LA Alumínios-Metalusa BlackJack), a 22s» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/grande_premio_jn_segunda_etapa_primeiro_setor.aspx

Amarante Literatura - No plano de acção cultural da Renascença Portuguesa saiu também a edição da conferência «O Espírito Lusitano ou o Saudosismo», onde Pascoaes evoca a Coimbra do seu tempo como um «terrível foco desnacionalizador» que espalhava «vagas teorias jurídico-sociais, importadas do estrangeiro».


(Fernando Maristany)


(Gomes Leal)

«Foi ainda em 1912 que Pascoaes publicou «Elegias», poemas inspirados na morte do meu irmão, como atrás referi. O produto da venda deste volume reverteu a favor da subscrição pública nacional para socorrer a miséria de Gomes Leal.

No plano de acção cultural da Renascença Portuguesa saiu também a edição da conferência «O Espírito Lusitano ou o Saudosismo», onde Pascoaes evoca a Coimbra do seu tempo como um «terrível foco desnacionalizador» que espalhava «vagas teorias jurídico-sociais, importadas do estrangeiro».

O tradutor espanhol de Pascoaes, Fernando Maristany, escreveu: «Pascoaes é a alma do saudosismo, que é por sua vez, a alma de Portugal. É, portanto, a alma da alma de Portugal.

«Não é possível ser mais português, mais humano e mais divino ao mesmo tempo. A raça ibérica pode orgulhar-se de tão extraordinário poeta.»

Foi por essa altura que Pascoaes abandonou definitivamente os tribunais.» in Fotobiografia "Na sombra de Pascoaes" de Maria José Teixeira de Vasconcelos.

Amarante Educação - Hoje de manhã, nas imediações da Escola Secundária de Amarante, estava assim...


(Amarante Educação Greve da Função Pública)

25/05/17

F.C. do Porto Ciclismo - A camisola amarela do Grande Prémio Jornal de Notícias mudou de dono, mas continua na posse da W52-FC Porto-Mestre da Cor, depois de Amaro Antunes a ter vestido após a realização do prólogo, Raúl Alarcón, que no princípio do mês venceu a Volta às Astúrias, reclamou para si a liderança da classificação geral individual ao terminar em terceiro lugar a primeira etapa da prova, que ligou Ovar à Maia, num total de 138,1 quilómetros.



«RAÚL ALARCÓN LIDERA GRANDE PRÉMIO JN

Ciclista dos Dragões foi terceiro na primeira etapa em linha, mas segue na liderança da geral individual.

A camisola amarela do Grande Prémio Jornal de Notícias mudou de dono, mas continua na posse da W52-FC Porto-Mestre da Cor. Depois de Amaro Antunes a ter vestido após a realização do prólogo, Raúl Alarcón, que no princípio do mês venceu a Volta às Astúrias, reclamou para si a liderança da classificação geral individual ao terminar em terceiro lugar a primeira etapa da prova, que ligou Ovar à Maia, num total de 138,1 quilómetros.

Raúl Alarcón, batido ao sprint pelo uruguaio Alan Matías Presa (Kuota Construciones Paulino), vencedor da tirada, é líder da geral individual com quatro segundos de vantagem sobre cinco companheiros de equipa que seguem no top-10: Samuel Caldeira (2.º), Amaro Antunes (3.º), Rui Vinhas (4.º), António Carvalho (5.º) e Gustavo Veloso (6.). A classificação geral coletiva continua a ser comandada pela W52-FC Porto-Mestre da Cor.

Esta sexta-feira realiza-se a segunda etapa deste Grande Prémio Jornal de Notícias, dividida em dois setores: o pelotão parte da Maia, às 9h30, para uma viagem de 83,7 quilómetros, que vai terminar, por volta das 11h30, no alto de Santa Luzia, em Viana do Castelo. A partir das 17h00, corre-se um contrarrelógio individual de 6,7 quilómetros, entre Barcelos e o alto da Franqueira.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/Ciclismo-Grande-Premio-JN-2017-1a-etapa.aspx

F.C. do Porto Ciclismo - A W52-FC Porto-Mestre da Cor foi esta quarta-feira a equipa mais rápida no prólogo do Grande Prémio Jornal de Notícias, ao cumprir os 5,9 quilómetros do contrarrelógio por equipas, em Viseu, em 7m01s, cumprindo uma média de 50,5 quilómetros por hora.



«AMARO ANTUNES SAI DO PRÓLOGO DO GRANDE PRÉMIO JN COM A AMARELA

Dragões foram mais rápidos no contrarrelógio por equipas, em Viseu. Primeira etapa liga esta quinta-feira Ovar e Maia.

A W52-FC Porto-Mestre da Cor foi esta quarta-feira a equipa mais rápida no prólogo do Grande Prémio Jornal de Notícias, ao cumprir os 5,9 quilómetros do contrarrelógio por equipas, em Viseu, em 7m01s, cumprindo uma média de 50,5 quilómetros por hora. Como Amaro Antunes foi o primeiro portista a cortar a meta, é ele quem veste a camisola amarela. O prólogo decidiu-se por apenas um segundo, o tempo a mais que gastou a Rádio Popular-Boavista face aos azuis e brancos, que foram os últimos a sair para a estrada.

“Foi uma vitória que a equipa esperava. Partimos com objetivo de vencer e marcar já alguma diferença para as restantes equipas. Estou feliz por este começo e espero que eu ou outro colega leve a vitória para casa. Esta corrida tem várias etapas traiçoeiras e, para além de mim, há outras opções para lutar pela camisola amarela. Será a estrada a ditar o vencedor”, afirmou Amaro Antunes ao Jornal de Notícias.

Na quinta-feira corre-se a primeira etapa da prova, que ligará as localidades de Ovar e Maia. Os 138,1 quilómetros da tirada apresentam como principais dificuldades duas contagens de montanha de segunda categoria: a primeira em Chão de Ave, ao quilómetro 40,9, e a segunda 18 quilómetros depois. Ainda assim, espera-se que o triunfo na etapa seja discutido nos metros finais, sobre o piso empedrado do centro histórico da Maia.

Classificação do contrarrelógio por Equipas (Viseu–Viseu, 5,9 quilómetros)

1.º - W52-FC Porto-Mestre da Cor, 7m01s
2.º - RP-Boavista, a 1 segundo
3.º - Efapel, a 3s
4.º - Sporting-Tavira, a 7s
5.º - LA Alumínios-Metalusa BlackJack, a 8s
6.º - Miranda-Mortágua, a 10s
7.º - Liberty Seguros-Carglass, a 14s
8.º - Louletano-Hospital de Loulé, a 21s
9.º - Moreira Congelados-Feira-Bicicletas Andrade, a 26s
10.º - Sicasal-Constantinos-Delta Cafés, a 29s» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/ciclismo-prologo-gp-jn.aspx

Arte Cinema - A história de “O Sentido do Fim” vai sendo contada no presente, com recurso a flashbacks que mostram as situações vividas por Tony na sua juventude, nomeadamente nos tempos de faculdade.



«A "vidinha" tem sentido?

"O Sentido do Fim" é um filme sobre a vida e perspetiva(s). A perceção da "vidinha", no fundo. Uma vida completa e misteriosa (como qualquer "vidinha" cinematográfica deve ser). Mas mais próxima da vida de todos nós do que, à partida, poderemos pensar.

O filme, realizado por Ritesh Batra, é uma adaptação do romance de 2011 com o mesmo nome — “The Sense of na Ending”, de Julian Barnes — e narra a história de Tony Webster, o dono de uma loja que vende máquinas fotográficas Leica, prestes a ser avô, que um dia recebe uma carta que o faz recuar a um passado relativamente atribulado e desenterras alguns dos seus fantasmas.

A história de “O Sentido do Fim” vai sendo contada no presente, com recurso a flashbacks que mostram as situações vividas por Tony na sua juventude, nomeadamente nos tempos de faculdade.

Com um fantástico Jim Broadbent (ator britânico conhecido por papéis em filmes como “Moulin Rouge”, “A Dama de Ferro” ou “Iris”, pelo qual, de resto, venceu o Óscar de Melhor Ator Secundário em 2002) no papel do Tony do presente — o seu “eu” mais novo ficou a cargo do jovem ator Billy Howle —, o filme conta ainda com Charlotte Rampling (veterana atriz inglesa, nomeada para Óscar de Melhor Atriz em 2016 por “45 anos”), Harriet Walter (Babel, Expiação) e Michelle Dockery (nomeada para um Globo de Ouro de Melhor Atriz pelo seu papel na série Downton Abbey).

A história do filme é, no fundo, a história de uma vida. De várias vidas, é certo, mas na perspetiva de uma única pessoa. É, por isso, uma história de “perceção de vida”. Uma vida próxima da de todos nós. Mais do que, à partida, poderíamos pensar. Amor e ódio, felicidade e raiva, vida e morte: tudo isto são temas presentes na vida de cada um de nós, aquela que nos parece comum (porque é nossa) mas que, na verdade, pode não o ser para quem a vê “de fora”.

A exploração desses sentimentos é algo que o filme procura fazer, intrincando-os numa história em que o mistério nunca deixa de estar presente (porque a vida também tem disso, por vezes).» in http://24.sapo.pt/vida/artigos/a-vidinha-tem-sentido


(O Sentido do Fim | Trailer)

Amarante Geriatria - A Câmara de Amarante vai iniciar o serviço de teleassistência destinado aos idosos em situação de isolamento, disponível 24 horas por dia e 365 dias por ano, avançou à Lusa a vereadora Lucinda Fonseca.



«Amarante avança com teleassistência para idosos em situação de isolamento

A Câmara de Amarante vai iniciar o serviço de teleassistência destinado aos idosos em situação de isolamento, disponível 24 horas por dia e 365 dias por ano, avançou à Lusa a vereadora Lucinda Fonseca.

"A partir de agora, os idosos de Amarante jamais estarão isolados ou ficarão sem auxílio", afirmou, destacando o caráter gratuito da medida.

O acesso a esta ação de apoio social, que é novidade no concelho, terá em conta a natureza económica do beneficiário e ausência de retaguarda familiar. Um dos propósitos da teleassistência é criar condições para retardar a necessidade de recurso aos lares da terceira idade, assinalou a autarca.

Nesta fase do processo, decorre a inscrição dos idosos do concelho que reúnem condições para beneficiar daquele tipo de assistência.

O serviço contará com uma equipa de técnicos especializados para prestar acompanhamento psicossocial e propõe-se manter os idosos em segurança, no seu meio natural de vida.

Prevê que os técnicos façam deslocações regulares às casas dos utentes, para proporcionar um maior acompanhamento das fragilidades dos idosos mais isolados, procurando ajudá-los em tarefas dos quotidiano, e proporcionar atividades para o envelhecimento ativo, como as aulas de hidroginástica, entre outras.

A vereadora da Ação Social destacou à Lusa que o sistema permitirá ao idoso ou outros adultos dependentes beneficiar dos serviços "despertar", ter acesso a um sinalizador para recordar a hora da medicação e a possibilidade de falar com um técnico. "Será uma voz amiga", frisou.

Lucinda Fonseca assinalou, por outro lado, que a medida decorre das recomendações de um diagnóstico elaborado pela rede social concelhia que integra 54 instituições.

Segundo os censos de 2011, o concelho de Amarante tinha 9.071 residentes com idade igual ou superior a 65 anos, o que representava cerca de 16,12% da população.» in http://www.dn.pt/lusa/interior/amarante-avanca-com-teleassistencia-para-idosos-em-situacao-de-isolamento-8503720.html

24/05/17

Música Portuguesa - Ricardo Dias de Lima Ventura da Costa mais conhecido por Richie Campbell (Caxias, 25 de Novembro de 1986) é um cantor português de música Reggae.




Richie Campbell - "Do You No Wrong"


Richie Campbell - "Heaven" - (official Vídeo)


Richie Campbell - "Better Than Today" 


Richie Campbell - "I Feel Amazing" 


Richie Campbell - "I Feel Amazing"  


Richie Campbell - "That's how we roll"  


Richie Campbell - "Get without you"  


Richie Campbell - "Blame it on me"  



"Do You no Wrong
Richie Campbell

All your friends say I'm the one
And I don't like your man, no
But this is not the reason

You should be mine, cause I'm yours
You know I've, been waiting by the door
I don't mind, don't mind on you moving so cold
Cause I know that one day you'll be mine

Don't get me wrong you know I'll wait
If you want me gone I'll disapear
Don't get me wrong baby I swear
If you come my way I will do you no wrong

Do ya no wrong, ahh
Do you no wrong, ahh
Do ya no wrong, ahh
Do you no wrong, ahh

I'm the one you really want
Fuck your man you know he soft
And I don't like your plan, noo
You and I cannot be friends

You should be mine, cause I'm yours
You know I've, been waiting by the door
I don't mind, don't mind on you moving so cold
Cause I know that one day you'll be mine

Don't get me wrong you know I'll wait
If you want me gone I'll disapear
Don't get me wrong baby I swear
If you come my way I will do you no wrong

Do ya no wrong, ahh
Do you no wrong, ahh
Do ya no wrong, ahh

Did you know, that your man
Mess around with other girls and all
He don't really care about you

Did you know, that your man
Always on the wrong without you
He don't give a fuck whos with you, damn

Did you did you know?
I'm telling you his hot has cold
How you wend up with with him I don't know

You should be mine, cause I'm yours
You know I've, been waiting by the door
I don't mind, don't mind on you moving so cold
Cause I know that one day you'll be mine
one day you'll be mine
one day you'll be mine
one day you'll be mine
If you come our way I will do you no wrong

Do ya no wrong
Do you no wrong
Do ya no wrong"

Amarante Pessoas - Isto tudo a propósito da recente vinda do Papa Francisco I a Fátima e do abominável ataque terrorista em Manchester...




«João, o Romeiro desconfiado

Na aldeia, nos finais do mês de abril, pela década de setenta, começava um frenesim muito particular, nestas terras de entre douro e minho. O povo que costumava fazer a peregrinação anual a Fátima num ritual que, muita gente de então, iniciava fazendo preparação para a mesma. Primeiro, tratava-se de arranjar alguém que desse apoio de carro, ou, preferencialmente, de carrinha, aos diferentes grupos e/ou famílias. Uma ou duas carrinhas, quase sempre as típicas Bedford de caixa fechada, muito difundidas na época, eram uma preciosa ajuda para o transporte de carga e mantimentos suficientes para a viajem e um conforto para o descanso dos peregrinos, embora alguns ficassem ao relento, em locais cobertos, particulares ou públicos, tais como aquedutos, estações de camionagem, estações de serviço e por baixo de pontes, arrecadações e alpendres agrícolas com permissão dos respetivos donos, entre outros.

Entre estes, havia o João da Nora que, foi sempre um homem bastante preguiçoso, mas com proporcional quantidade de curiosidade. O avô dele tinha sido um dos peregrinos que, em outubro de 1917 na Cova da Iria, assistiu ao alegado milagre do sol. João passou a infância a ouvir relatos do avô sobre essa epifania. Considerou sempre aquela história pouco credível, mas viveu igualmente com aquele sentimento ambivalente de, simplesmente não acreditar, mas ao mesmo tempo, com a esperança remota de que qualquer coisa de sobrenatural pudesse acontecer. Andou de ano para ano, desde adolescente, com esta preguiça enturpecedora que se misturava com uma curiosidade quase doentia de saber se acontecia em Fátima algo de paranormal. Ademais, como era muito avarento, andava sempre a tentar saber qual era o grupo que levaria mais alimentos e que reuniria melhores condições para uma peregrinação o mais confortável possível e que fosse para ele mais proveitosa, monetariamente falando em termos de custos. Claro que, já todos na aldeia o conheciam e como se tornava chato por alturas da peregrinação à Cova da Iria, pelo que fugiam quanto podiam dele.

Por alturas dos quarenta anos, João andava desanimado com a vida. Nunca tinha casado, nem sequer namorado, graças à sua fama de avarento, de chato, de coscuvilheiro e de tudo o mais que corria na aldeia acerca dele. Então, depois de muito cismar uma noite, decidiu que iria empreender a grande aventura, nesse ano, em 1967. Sim, João Romeiro, ia acabar de vez com a sua curiosidade, ainda mais que Paulo VI viria a Fátima nesse ano, a sua curiosidade de experiências com o Sagrado estava ao rubro. Para João algo ia acontecer em Fátima, uma epifania, um crime, qualquer coisa de especial. Acreditava piamente no que lhe tinham contado numa feira de gado há uns anos: um dos segredos de Fátima que a Irmã Lúcia guardava, passaria pela morte de um Papa em Fátima e que Deus como castigo, iria despoletar o fim do mundo através do fogo. Dizia João que quando foi com Noé, o Mundo acabou pela água, agora Deus mudaria de sistema e queimaria tudo pelo fogo. Deus faria da terra um autentico inferno, para redimir os pecados dos homens, que foram de tal forma que, nem o seu representante na terra, o Papa, foi respeitado pela maldade dos homens, que derivaram para comportamentos desviantes e costumes mais conformes com as intenções do Demo que, com as Leis de Deus...

Chegou a data da partida, os peregrinos da aldeia iam caminhar durante cerca de oito dias, por etapas de distância máxima de 40 Km por dia. Ia ser uma semana dura, que apelava a todas as forças humanas, fisicas e psicológicas, daquelas pessoas que iriam empreender tão nobre jornada. O João, no primeiro dia até Paredes, lá para os lados de Baltar, ainda se foi aguentando, mas na segunda etapa até Vila Nova de Gaia foi o bom e o bonito. Ele, preguiçoso como era, não realizou a preparação prévia, umas caminhadas que o grupo ia fazendo aos fins do dia e aos domingos, para preparar o corpo para tão grande esforço. O homem só chorava de dores de pernas e dos pés, com bolhas e a sangrar, de tal forma que, com pena dele a tia Arminda do Olival Velho, se ofereceu para lhe aquecer água e tratar das feridas dos pés. Como ele muito se lamentava, deu-lhe uma malga de caldo verde e fez-lhe um chã para ele dormir melhor. Mas, os dias seguintes foram penosos, o João não aguentava as dores e tinha que parar muitas vezes. O grupo foi sempre solidário com ele, os homens mais fortes até o chegaram a levar às costas, em alguns troços de estrada mais penosos, principalmente nas subidas. De resto, ia sempre amparado por uns dos homens mais pujantes do grupo.

Dia 11 de maio de 1967, uma quinta feira cinzenta e a ameaçar chuva que já os tinha encharcado várias vezes pelo caminho, obrigando-os a embrulharem-se em plásticos, chega o grupo à Cova da Iria, Santuário de Fátima, totalmente invadido por peregrinos que eram originários de todos os lados do País e estrangeiro. João deitou-se no chão a chorar, os colegas ajoelharam-se, todos sentiram a enorme emoção do dever cumprido, choravam como crianças. Armando das Cortes, o mais experiente e líder deste grupo, abraçou-se a João e disse-lhe, repetidamente: “Vês Homem de Deus o que vale a Fé!!! Alguma vez te tinhas sentido assim, tão rico e tão pobre, tão alegre e tão triste, tão grande e tão pequeno; é isto a Fé, eis o milagre que já sentiste e que sentimos todos, uns de uma forma, outros de outra, mas jamais esqueceremos esta experiência individual e coletiva…”

Claro está que, foram umas cerimónias espetaculares, ainda para mais coincidindo com a visita a Portugal do Papa Paulo VI e nas cerimónias dos cinquenta anos das aparições, tudo encantou João. Parecia-lhe que, naqueles dias, tinha vivido pela vida toda. De certa forma, encontrou o segredo da vida, pelo menos para si. O João mudou, a prova de solidariedade que o grupo lhe prestou, em circunstâncias tão difíceis, foi decisiva para libertar um homem que só vivia de intriga, de avareza, sem Fé em si próprio e em qualquer religião. Tratava-se de um homem vazio, pior que isso, um homem que não acrescentava nada a ninguém nas relações humanas, o seu verdadeiro desígnio era a inveja, esse sentimento ignóbil que assola a humanidade em grande escala. Entretanto, na peregrinação tornou-se próximo da Rita do Vale, uma solteirona da aldeia, boa rapariga e plena de virtudes. Casaram e tiveram gémeos, dois herdeiros cheios de saúde e de encanto, o verdadeiro orgulho daquele casal, outro milagre que os abençoou.

Em suma, numa peregrinação, assim como na vida em geral, não importa se somos católicos, budistas, islamitas, agnósticos, ateus… o que conta é aquele momento da chegada a um qualquer destino traçado, com uma intenção do Bem... uma descoberta interior, o Amor que sentimos e que podemos partilhar. Só faz sentido acreditar em projetos de Amor, não patrocinemos, crenças baseadas no ódio e da morte… isto tudo a propósito da recente vinda do Papa Francisco I a Fátima e do abominável ataque terrorista em Manchester...» in http://birdmagazine.blogspot.pt/2017/05/joao-o-romeiro-desconfiado.html

José Cid- "O Fado De Nossa Senhora"


"O Fado de Nossa Senhora
José Cid

Perguntei a uma velhinha
Se já tinha amado alguém
E a velhinha respondeu
Amei, como uma rainha
E sofri como ninguém
Ninguém amou como eu

Depois sentei-me com ela
Nos degraus duma capela
E ela prosseguiu então
-Se amares alguém, tem cuidado
Que amar pode ser pecado
Ou talvez a redenção

O amor é uma miragem
Pode aparecer-te num pagem
Ou transformar-se em algoz
Pode aparecer-te em pastor
Ou ser Deus nosso senhor
Que morreu por todos nós.

Depois de me aconselhar
A velhinha, coitadinha,
Despediu-se e foi-se embora
E eu tenho estado a pensar
Se aquela linda velhinha
Seria nossa senhora!"

Amarante Acidentes - Um homem morreu hoje num acidente envolvendo um trator agrícola na localidade de Oliveira, Amarante, disseram à Lusa os bombeiros de Vila Meã.



«Homem morre em acidente com trator agrícola em Amarante 

A vítima foi encontrada debaixo veículo, num terreno agrícola. 

Um homem morreu hoje num acidente envolvendo um trator agrícola na localidade de Oliveira, Amarante, disseram à Lusa os bombeiros de Vila Meã. A vítima foi encontrada debaixo veículo, num terreno agrícola. 

O acidente aconteceu cerca das 12:25 e o óbito foi confirmado no local pela equipa da Viatura de Emergência Médica e de Reanimação (VMER) do Vale do Sousa.» in http://www.cmjornal.pt/cm-ao-minuto/detalhe/homem-morre-em-acidente-com-trator-agricola-em-amarante

23/05/17

Desporto Automóvel - Ott Tänak e Martin Järveoja foram muito rápidos no Rali de Portugal e mostraram mais uma vez que estão próximos de conseguir a primeira vitória no WRC.



«RALI DE PORTUGAL: OTT TANAK SATISFEITO APESAR DO ERRO EM AMARANTE

Ott Tänak e Martin Järveoja foram muito rápidos no Rali de Portugal e mostraram mais uma vez que estão próximos de conseguir a primeira vitória no WRC. Em Portugal alcançou três vitórias em troços e ao terminar no top cinco em 16 das 19 especiais. Tanak chegou a liderar o rali, mas um toque na primeira passagem por Amarante deitou tudo a perder.

“No geral acho que podemos estar satisfeitos com o nosso fim de semana. Fizemos um erro no sábado que nos impediu de lutar pela vitória mas tivemos um bom ritmo e sentimo-nos bem no carro. Penso que foi a melhor afinação que tive esta temporada”, avaliou Tänak. “Após cada teste continuamos a melhorar e vamos ter mais dois dias na próxima semana para preparar a Sardenha onde queremos lutar por mais um bom resultado. Ainda temos de melhorar em algumas coisas, mas é muito promissor”, rematou o piloto estónio da M-Sport.» in https://www.autosport.pt/ralis/rali-portugal-ott-tanak-satisfeito-apesar-do-erro/

F.C. do Porto Natação - A nadadora Paula Oliveira conquistou duas medalhas de prata na 31.ª edição do Troféu Internacional Vila de Gijón, terminando no segundo posto nos 50 e nos 100 metros bruços.



«PAULA OLIVEIRA GANHOU DUAS MEDALHAS DE PRATA EM GIJÓN

Nadadora do FC Porto destacou-se nos 50 e 100 metros bruços.

A nadadora Paula Oliveira conquistou duas medalhas de prata na 31.ª edição do Troféu Internacional Vila de Gijón, terminando no segundo posto nos 50 e nos 100 metros bruços. Na prova que decorreu no passado fim de semana, na piscina olímpica daquela cidade asturiana, a nadadora portista, que competiu integrada na Associação de Natação do Norte de Portugal (juntamente com a companheira de equipa Mariana Barbosa), fez os tempos de 35,54 segundos nos 50 metros e de 1m14,02s nos 100.

Na mesma competição participou também uma equipa do FC Porto em que se destacaram as prestações dos juvenis Catarina Soares, Bárbara Nunes, João Sousa e Diogo Martins, que conseguiram novos recordes pessoais.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/Paula-Oliveira-com-duas-medalhas-de-prata-em-Gij%C3%B3n-.aspx

F.C. do Porto Desporto Adaptado - O desporto adaptado do FC Porto voltou a estar em destaque no passado fim de semana ao evidenciar-se com triunfos no ténis de mesa e natação, modalidades em que os portistas tiveram em prova um total de 22 atletas.



«DESPORTO ADAPTADO: FIM DE SEMANA DE TÍTULOS NO TÉNIS DE MESA E NATAÇÃO

Ténis de mesa somou quatro triunfos, desempenho na natação rendeu várias medalhas.

O desporto adaptado do FC Porto voltou a estar em destaque no passado fim de semana ao evidenciar-se com triunfos no ténis de mesa e natação, modalidades em que os portistas tiveram em prova um total de 22 atletas.

No ténis de mesa, os dias foram dedicados ao Campeonato Nacional de todas as classes desportivas: Intelectual, Síndrome de Down, Cadeira de Rodas e de Pé (deficiência motora). Na classe intelectual Pedro Cardoso garantiu mais um título de campeão nacional (da FPTM), triunfo a que juntou também a conquista na variante de pares, ao lado de Mário Ribeiro.

Na categoria de Síndrome de Down, Fábio Ramalho conseguiu o segundo lugar e na classe de Cadeira de Rodas a participação portista foi também muito positiva: com apenas meio ano de treino, José Cunha ficou com o primeiro posto e Joaquim Ferreira com o terceiro, com os azuis e brancos a conseguirem também o triunfo por equipas na prova que decorreu nas Caldas da Rainha.

Quanto à natação, os 13 atletas que participaram no Campeonato Regional de Verão conquistaram várias medalhas e conseguiram três recordes nacionais (Ana Barbosa nos 100m livres – classe S6; Amadeu Cruz nos 200 estilos e 100 livres – classe S11). Para além disso, os Dragões conseguiram somar mais 14 TACS (Tempos de Admissão ao Campeonato Nacional de Verão), enquanto Amadeu Cruz conseguiu um mínimo B (nos 200m estilos – 3m09,31s) para o Campeonato do Mundo, ficando a um segundo do mínimo A.

O Campeonato Nacional de Verão vai decorrer no Jamor, nos dias 17 e 18 de Junho.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/desporto-adaptado-fim-de-semana-de-titulos-no-tenis-de-mesa-e-natacao.aspx
Pin It button on image hover