31/08/18

Amarante Fregim - Na Rua da Mó, avista-se lá em baixo, bem no vale da Ribeira de Fregim, a Casa da Pedra, com o grande rochedo que lhe dá o nome.


(E lá em baixo a Casa da Pedra... e o grande rochedo que lhe dá o nome)

F.C. do Porto Atletas Internacionais - O lateral esquerdo brasileiro, Jorge, de 22 anos, chega à Invicta por empréstimo dos franceses do Mónaco, num acordo que contempla opção de compra no final da presente temporada.



«JORGE É REFORÇO DOS DRAGÕES

Lateral esquerdo brasileiro, de 22 anos, chega ao FC Porto por empréstimo do Mónaco.

Jorge é reforço do FC Porto. O lateral esquerdo brasileiro, de 22 anos, chega à Invicta por empréstimo dos franceses do Mónaco, num acordo que contempla opção de compra no final da presente temporada.

Nascido a 28 de março de 1996, no Rio de Janeiro, Jorge Marco de Oliveira Moraes fez toda a formação no Flamengo, clube do qual se transferiu para o Mónaco em janeiro de 2017. Na época passada, o brasileiro realizou 22 jogos na Liga francesa, nos quais apontou um golo e fez quatro assistências, um jogo na Taça de França e quatro na Liga dos Campeões, onde chegou a defrontar o FC Porto.

Em dezembro de 2016, Jorge foi eleito o melhor lateral esquerdo do campeonato brasileiro. No mês seguinte, antes de ser oficializada a sua transferência do Flamengo para o Mónaco, o reforço portista fez a sua estreia pela principal seleção do Brasil, num particular frente à Colômbia que terminou com triunfo canarinho, por 1-0. No currículo tem ainda a conquista de uma Liga francesa, em 2017.

“Conheço muito sobre o FC Porto, pois é um clube falado em todo o mundo. Só posso agradecer pela oportunidade que estou a ter no FC Porto e pela confiança depositada em mim. Vou dar o meu máximo para dar alegrias a todos”, afirmou Jorge, numa das primeiras declarações como jogador do FC Porto.» in https://www.fcporto.pt/pt/noticias/2018-pt-jorge-e-reforco-dos-dragoes

Amarante Animais - A Câmara de Amarante anunciou hoje ter esterilizado, desde 2016, 110 animais domésticos (cães e gatos) e colocado uma centena de microchips, de forma gratuita.



«Amarante esterilizou 110 cães e gatos desde 2016

A Câmara de Amarante anunciou hoje ter esterilizado, desde 2016, 110 animais domésticos (cães e gatos) e colocado uma centena de microchips, de forma gratuita.

Fonte da autarquia acrescentou à Lusa que não são abatidos animais errantes no concelho desde aquela data.

A esterilização é oferecida pelo município, no âmbito da campanha que incentiva a adoção de cães e gatos, após uma "cuidadosa avaliação médica, esterilização, vacinação antirrábica, identificação eletrónica e desparasitações interna e externa".

A fonte realça que a adoção de um animal do canil, "além de estar a ganhar um amigo para a vida, permite que seja recolhido outro animal da rua".

Nesse âmbito, até ao momento, já foram adotados 90 animais de companhia, que foram registados numa base de dados nacional.

A medida de esterilização dos animais encaminhados para adoção, que Amarante já implementa desde que foi inaugurado o canil municipal, vai tornar-se obrigatória em Portugal a partir de setembro deste ano, assinalou a fonte.

O centro de recolha oficial de animais errantes de Amarante, equipamento conhecido como canil e gatil, tem capacidade para 10 cães e 12 gatos e funciona desde novembro de 2016.» in https://www.dn.pt/lusa/interior/amarante-esterilizou-110-caes-e-gatos-desde-2016-9778134.html


(Canil e Gatil de Amarante - Inauguração)

Amarante Desporto Equitação - O Parque Florestal de Amarante acolhe no próximo domingo, dia 2 de setembro, a final do Campeonato Regional Norte de Equitação de Trabalho.





«Final do Campeonato Regional Norte de Equitação de Trabalho em Amarante

O Parque Florestal de Amarante acolhe no próximo domingo, dia 2 de setembro, a final do Campeonato Regional Norte de Equitação de Trabalho.

A Equitação de Trabalho é uma modalidade equestre em expansão e Portugal tem-se destacado somando já vários títulos de Campeão do Mundo e da Europa.

Em Amarante, serão disputadas três provas: Ensino, Maneabilidade e Velocidade, em que são demonstradas e maximizadas as aptidões do cavalo Lusitano. A Prova de Ensino arranca às 10 horas e às 15 horas tem início a Prova de Maneabilidade. A última prova da competição é a de Velocidade que começa às 17 horas. A cerimónia de entrega de prémios acontece às 18 horas.

O acesso é livre. Cavaleiros e Cavalos Debutantes; Juvenis; Juniores e Consagrados A e B são os escalões em competição.

A prova tem como comissão organizadora o Município de Amarante com o apoio da Associação Portuguesa do Puro Sangue Lusitano (APSL) e da Federação Equestre Portuguesa, entre outros.

A Equitação de Trabalho é baseada na equitação tradicional de cada país, mantendo e conservando as suas diferentes tradições, nomeadamente no uso do traje e arreios, e em que o cavaleiro utiliza apenas uma mão na condução da sua montada. Foi concebida para destacar o tipo de monte utilizado nas diferentes vertentes do trabalho de campo.

Desde que a modalidade teve início em Portugal, todas as iniciativas têm sido tuteladas pela APSL. O primeiro campeonato nacional realizou-se em 1999.» in https://www.jn.pt/local/noticias/porto/amarante/interior/final-do-campeonato-regional-norte-de-equitacao-de-trabalho-em-amarante-9780342.html

30/08/18

Amarante Fregim - Lá em baixo o vale da Ribeira de Fregim, visto do ponto mais alto da Rua da Mó.


(Amarante, Fregim, Vale da Ribeira de Fregim)

Amarante Literatura - Ainda em 1939, rebenta a Guerra Civil de Espanha e Pascoaes fica profundamente abalado e muito triste com o fuzilamento de Frederico Garcia Lorca, o amigo que lhe escrevera de San Sebastian em Maio de 1923.




«Ainda em 1939, rebenta a Guerra Civil de Espanha e Pascoaes fica profundamente  abalado e muito triste com o fuzilamento de Frederico Garcia Lorca, o amigo que lhe escrevera de San Sebastian em Maio de 1923: 

«Querido poeta: "Desde San Sebastian le recuerdo con todo carino. Ha sido para mi un gran placer el conocerle y haber pasado unos dias en su gratisima compania. No me olvide. Federico Garcia Lorca Salude a su hermano y familia."

E em Agosto do mesmo ano dirigia-lhe a seguinte carta, de Granada: 
«Mi querido poeta Desde la esplendida vega de Granada donde paso el verano, le envio un saludo admirativo y carifí oso. Nunca olvido los dias que pasamos juntos en la Residencia de estudiantes, ni se me puede borrar de la memoria su figura, tan llena de castidad y de pura poesia. Tendré noticias vuestras? Federico Garcia Lorca Miserias, San Pascual (apeadero) Granada Salude a su hermano» in Fotobiografia "Na Sombra de Pascoaes" de Maria José Teixeira de Vasconcelos.

F.C. do Porto Andebol: F.C. do Porto 27 vs Madeira Andebol 19 - FC Porto recebeu e derrotou o Madeira Andebol (27-19) na primeira jornada do campeonato.



«VITÓRIA TRANQUILA NO ARRANQUE DO ANDEBOL 1

FC Porto recebeu e derrotou o Madeira Andebol (27-19) na primeira jornada do campeonato.

O FC Porto entrou com a mão direita na nova temporada. Na noite desta quarta-feira, no Dragão Caixa, venceu de forma confortável o Madeira Andebol por 27-19 em jogo antecipado da jornada inaugural do Campeonato Nacional Andebol 1. O central Miguel Martins e o lateral esquerdo André Gomes, com cinco golos, foram os melhores marcadores da equipa portista, agora treinada pelo sueco Magnus Andersson, que assim se estreou com a mão direita ao comando dos azuis e brancos.

Começou por ser equilibrada a partida, com as duas equipas a andarem lado a lado no marcador até aproximadamente ao primeiro quarto de hora. A partir daí, o FC Porto colocou mais intensidade no seu jogo, passou a ser mais rápido na na circulação de bola e impôs um parcial de 7-1 que permitiu que chegasse ao intervalo com uma vantagem de seis golos. Destaque, nesta altura, para os quatro golos do central Miguel Martins e para uma mão cheia de intervenções de Alfredo Quintana, que liderou uma defesa que já revelou uma assinalável solidez perante uma das boas equipas deste campeonato.

A segunda parte não alterou o rumo dos acontecimentos, porque o FC Porto continuou dono e senhor do jogo, nunca permitindo que o Madeira Andebol se aproximasse no marcador para entrar na discussão do resultado. Com uma vantagem confortável, Magnus Andersson procurou dar minutos a todos os atletas inscritos na ficha de jogo, mas nem assim os portistas quebraram, garantindo os primeiros três pontos no campeonato.

“Ganhámos, marcámos 27 golos, sofremos 19 , mas cometemos muitos erros, perdemos muitas oportunidades. Apesar de tudo, foi primeiro jogo e, na globalidade, estou satisfeito, porque todos os tiveram tempo de jogo. Mas sei que podemos fazer melhor”, disse o treinador sueco ao microfone do Porto Canal, no final do encontro.

No calendário segue-se a receção aos romenos do Potaissa Turda, referente à primeira mão da primeira ronda de qualificação para a Taça EHF. O encontro está marcado para o próximo domingo, às 16h00, no Dragão Caixa, e tem transmissão em direto no Porto Canal - pode consultar aqui mais informações sobre os bilhetes.

FICHA DE JOGO

FC PORTO-MADEIRA ANDEBOL, 27-19

Andebol 1, 1.ª fase, 1.ª jornada

29 de agosto de 2018

Dragão Caixa

Árbitros: Alberto Alves e Jorge Fernandes (Braga)

FC PORTO: Hugo Laurentino e Alfredo Quintana (1) (g.r.); Víctor Iturriza, Leandro Semedo (3), Miguel Martins (5), Djibril Mbengue; Rui Silva (3), Daymaro Salina, Leonel Fernandes, Alexis Borges (2), Diogo Branquinho (2); António Areia (2), André Gomes (5); Miguel Alves (3) e Fábio Magalhães (1)

Treinador: Magnus Andersson

MADEIRA ANDEBOL: Gustavo Capdeville e Luís Carvalho (g.r.), Hugo Lima (2), Valter Soares (3); João Martins (4), Ulisses Ribeiro, Daniel Santos (1), Bruno Landim (2), Elias António, Ruben Sousa, João Miranda (1), Elledy Semedo (5) e Pedro Peneda (1)

Treinador: Paulo Fidalgo

Ao intervalo: 13-7» in https://www.fcporto.pt/pt/noticias/2018-pt-vitoria-tranquila-no-arranque-do-andebol-1

Amarante Rio Tâmega - A presença de cianobactérias, também conhecidas por algas-azuis, no rio Tâmega, tem causado alarme em Amarante e Marco de Canaveses.



«Cor verde do rio Tâmega preocupa Amarante e Marco de Canaveses 

Cianobactérias estão de volta, mas não têm impacto no consumo em casa.

A presença de cianobactérias, também conhecidas por algas-azuis, no rio Tâmega, tem causado alarme em Amarante e Marco de Canaveses. Em causa, está o troço entre a barragem do Torrão (Marco de Canaveses) e a cidade amarantina, cuja água volta a ser dominada pelo verde. As duas autarquias garantem estar a acompanhar a situação. 

"As últimas análises que têm sido feitas, inclusive já em agosto, concluíram que a água nos vários pontos em que as pessoas vão a banhos é de qualidade boa ou ótima", garantiu Lucinda Fonseca, vice da câmara de Amarante, responsável pelo Ambiente. "Já estivemos em contacto com as entidades competentes e pedimos uma análise extra para apurar se há razão para alarme ou não", diz. 

A Câmara do Marco revela que tem informado de forma incessante as autoridades, com fotos atualizadas, a fim de "debelar o gravíssimo problema criado no meio dulçaquícola e para a saúde pública", mas a edil Cristina Vieira recorda que a ETAR está dotada de tecnologia de topo, pelo que os habitantes podem "estar tranquilos em relação à qualidade da água que lhes chega a casa". 

PORMENORES 

Câmara do Marco reagiu 

A autarquia de Marco de Canaveses esclarece que colocou "placas de desaconselhamento a banhos" no parque fluvial do Tâmega, local de prática de desportos aquáticos, e pede "uma atuação consciente e uma intervenção consequente" das entidades responsáveis. 

Águas paradas na origem 

Águas paradas ou de fraca corrente, aumento da luminosidade, calor e excesso de nutrientes e descargas industriais ou provenientes da agricultura são fatores que originam a formação deste tipo de bactéria.» in https://www.cmjornal.pt/sociedade/detalhe/cor-verde-do-rio-tamega-preocupa-amarante-e-marco-de-canaveses?utm_medium=Social

29/08/18

Mundo Pessoas - Marina Piro é uma jovem italiana apaixonada por viagens e alimentada pelo desejo de poder conhecer o mundo com o seu cão Odie, ela saiu da zona de conforto e deu início a um projeto que é o sonho de qualquer viajante: adaptar um automóvel para conhecer o mundo.



«ELA DEIXOU O EMPREGO, RESTAUROU UMA CARRINHA ANTIGA E AGORA VIAJA PELO MUNDO COM O SEU CÃO

Marina Piro é uma jovem italiana apaixonada por viagens. Alimentada pelo desejo de poder conhecer o mundo com o seu cão Odie, ela saiu da zona de conforto e deu início a um projeto que é o sonho de qualquer viajante: adaptar um automóvel para conhecer o mundo.

Depois de alguns anos a trabalhar numa  grande empresa no norte da Inglaterra, ela pediu demissão, comprou uma carrinha com mais de 15 anos e, com a ajuda de tutoriais da internet, transformou-a no seu novo lar.

Mesmo sem qualquer experiência anterior em marcenaria ou em trabalhos com automóveis, a jovem tirou os bancos da parte de trás da carrinha, para adaptar a cama, que também serve como baú.

A motorhome, como costumam ser chamados os automóveis adaptados, também possui um balcão onde ela guarda todos utensílios culinários e a botija que alimenta o fogareiro instalado sobre o veículo. Além disso, ela também se preocupou em equipar o espaço com outros itens, como um ventilador e até plantas que servem para trazer mais conforto e alegria ao ambiente.

Marina decidiu lançar um site, o Pamthevan, onde partilha as suas aventuras. “Uma rapariga, um cão, uma carrinha. A viajar e a explorar modos de vida alternativos e em sintonia com a natureza”, é como se descreve no Instagram.» in https://viagens.sapo.pt/viajar/viajar-mundo/artigos/ela-deixou-o-emprego-restaurou-uma-carrinha-antiga-e-agora-viaja-o-mundo-com-o-seu-cao


(A story of a car camping trip with 'Marina Piro' and her dog - The most special travel in the world)


(kilimangiaro Marina)


(Pamthevan's introduction - Vanlife in Europe)

Amarante Mancelos - Na continuação da Rua da Mó em Fregim, mas já dentro de Mancelos, em Pidre, na antiga estrada nacional 211-1.


(Amarante Mancelos, Pidre, antiga Estrada nacional 211-1)

Música Pop/Rock - Mazzy Star foi uma banda estado-unidense de rock formada em 1989 e este projeto musical acabou em 2014.


Mazzy Star - "Fade Into You" - (Official Video - HD)


Mazzy Star - "Fade Into You" - (10/2/1994 - Shoreline Amphitheatre - Official)


Mazzy Star - "Flowers in December" - [Live]


Mazzy Star - "Into Dust" 


Mazzy Star - "Califórnia" 


Mazzy Star - "I've Been Let Down" 


Mazzy Star - "Before I Sleep"  


Mazzy Star - "All Your Sisters"  


Mazzy Star - "Mary off Silence"  


Mazzy Star - "Five String Serenade"


 Mazzy Star - "Still Cold"


"Fade Into You
Mazzy Star

I want to hold the hand inside you
I want to take a breath that's true
I look to you and I see nothing
I look to you to see the truth

You live your life
You go in shadows
You'll come apart and you'll go black
Some kind of night into your darkness
Colors your eyes with what's not there

Fade into you
Strange you never knew
Fade into you
I think it's strange you never knew

A stranger's light comes on slowly
A stranger's heart without a home
You put your hands into your head
And then smiles cover your heart

Fade into you
Strange you never knew
Fade into you
I think it's strange you never knew

Fade into you
Strange you never knew
Fade into you
I think it's strange you never knew
I think it's strange you never knew"

F.C. do Porto Atletas Internacionais - Moussa ​Marega integra a lista de convocados da seleção maliana, que a 9 de setembro defronta o Sudão do Sul, em jogo a contar para a segunda jornada das eliminatórias de qualificação para a Taça das Nações Africanas 2019.



«MALI CHAMA MAREGA

Av​ançado do FC Porto convocado para a seleção africana, que defronta o Sudão do Sul a 9 de setembro

Moussa ​Marega integra a lista de convocados da seleção maliana, que a 9 de setembro defronta o Sudão do Sul, em jogo a contar para a segunda jornada das eliminatórias de qualificação para a Taça das Nações Africanas 2019.

O avançado do FC Porto, de 27 anos, soma 14 internacionalizações, tendo apontado um golo com a camisola do Mali.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/marega-convocacao-mali-280818.aspx


(Moussa Marega ● A Revelação ● 2017/2018)

28/08/18

Amarante Termas - O Ministério da Saúde, pela via do Despacho n.º 7733/2018, de 13 de agosto, da Direcção Geral de Saúde reconheceu as indicações terapêuticas das Termas de Amarante para doenças do aparelho respiratório, doenças reumáticas e músculo-esqueléticas.



«Ministério da Saúde reconhece indicações terapêuticas das Termas de Amarante

O Ministério da Saúde, pela via do Despacho n.º 7733/2018, de 13 de agosto, da Direcção Geral de Saúde reconheceu as indicações terapêuticas das Termas de Amarante para doenças do aparelho respiratório, doenças reumáticas e músculo-esqueléticas.

O estabelecimento termal situa-se num local privilegiado, de fácil acesso, em pleno centro da cidade, no antigo parque de campismo, com uma relação próxima e de visibilidade com o rio Tâmega.

Várias centenas de aquistas frequentaram o balneário termal provisório e a procura ultrapassa já a oferta. Factos que levam o presidente da Câmara Municipal de Amarante, José Luís Gaspar, a acreditar num “rápido retorno económico do projecto”.

As Termas de Amarante dispõem de um pavilhão termal que irá ser dedicado ao ensino de novas práticas terapêuticas e de um balneário termal – um espaço de saúde, onde poderá usufruir de tratamentos de cura termal, bem-estar entre outros, bem como, de uma piscina hidrodinâmica.

Para mais informações poderá contactar o 914 371 333 ou dirigir-se ao estabelecimento termal, na Rua Tenente Laranjeira, nº 224 – Amarante.» in https://infocul.pt/actualidade/social-e-lifestyle/ministerio-da-saude-reconhece-indicacoes-terapeuticas-das-termas-de-amarante/


(Amarante - Termas)


(Apresentação Termas de Amarante)


Termas de Amarante / Armando Queijo ( Instituto Piaget )

Desporto Corrupção - De acordo com a SIC, a SAD do Benfica foi constituída arguida no processo E-Toupeira, sendo que, Domingos Soares Oliveira e Nuno Gaioso Ribeiro estiveram hoje a prestar declarações no Ministério Público.



«SAD DO BENFICA CONSTITUÍDA ARGUIDA NO PROCESSO E-TOUPEIRA. ENCARNADOS REAGEM E DIZEM TRATAR-SE DE "DECISÃO ILEGAL E INCONSTITUCIONAL"

Encarnados já reagiram em comunicado.

De acordo com a SIC, a SAD do Benfica foi constituída arguida no processo E-Toupeira.

Domingos Soares Oliveira e Nuno Gaioso Ribeiro estiveram hoje a prestar declarações no Ministério Público.

Entretanto o Benfica já reagiu em comunicado. Encarnados falam em "decisão ilegal e inconstitucional".

Confira o comunicado na íntegra

Tendo a Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD sido contactada por diversos órgãos de comunicação social pelo facto de ter sido notificada esta manhã, em audiência com a finalidade de ser Constituída Arguida, enquanto pessoa coletiva, no âmbito de um inquérito sobre violação do segredo de justiça, esclarece:

1. O Mandatário Judicial da SLB, SAD consultou os Autos de Inquérito e dessa consulta resultaram as seguintes conclusões objetivas:

a) Inexistem nos Autos quaisquer factos, circunstâncias e provas que fixem qualquer conexão entre os factos imputados aos funcionários judiciais e o Conselho de Administração da Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD.

b) Inexistem nos Autos quaisquer factos, circunstâncias e provas que estabeleçam qualquer conexão entre o Dr. Paulo Gonçalves e o Conselho de Administração da SAD do SLB no que à matéria do presente Inquérito diz respeito.

c) Do mesmo modo, inexiste qualquer facto, circunstância e prova que tenha conexão com os Advogados constituídos nos Inquéritos em que o Benfica é interessado.

d) Finalmente, inexiste qualquer facto, circunstância ou prova que estabeleçam um qualquer contacto entre os Arguidos nestes Autos e o Conselho de Administração da SAD do SLB.

2. De realçar que o Magistrado titular do Inquérito, para poder alcançar a imputação dolosa de um qualquer benefício, teria de obter e carrear provas nos seguintes sentidos:

a) Identificar o benefício obtido, o que não fez;

b) Identificar quem recebeu e quem transmitiu as informações em segredo de justiça, o que não fez;

c) Identificar, pelo menos, um membro do CA, SAD que tenha recebido essas informações, o que não fez;

d) Identificar, agora em concreto, o benefício obtido e a suas repercussões na marcha de quaisquer Autos, o que não fez;

e) Identificar o meio para alcançar qualquer benefício, o que não fez;

f) Identificar as contrapartidas dos benefícios e os autores dessas contrapartidas, o que não fez.

3. Ficou assim totalmente provado que o Inquérito, repete-se, mostra-se absolutamente omisso quanto a factos, quanto a circunstâncias de tempo, lugar e modo e, o que se mostra gravíssimo, quanto a provas que visem suportar a arquitetura do titular do Inquérito para justificar a determinação de constituição de arguida à Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD.

4. Obviamente, este desastre processual era antevisível pois do nada não se consegue extrair senão nada, reafirmando da nossa parte que:

a) Nenhum membro do Conselho de Administração da SAD do SLB sabe o que o Dr. Paulo Gonçalves sabe ou não sabe reiterando da nossa parte a absoluta confiança na sua conduta.

b) Só obtiveram notícia destes factos aquando das buscas e da formalização da motivação das buscas.

c) Nunca, em reunião alguma do Conselho de Administração da SAD do SLB, foi abordado qualquer facto emergente das comunicações, se ocorreram, emergentes de qualquer dos Arguidos.

d) Nem, em momento algum, qualquer Advogado constituído pela SAD do SLB recebeu qualquer notícia sobre processos em segredo de justiça.

e) O que todos receberam – e beneficiaram dessas notícias – foram as informações obtidas pelos órgãos da comunicação social, todas em segredo de justiça com especial destaque para o Jornal de Notícias (este promovido a porta-voz dos Processos que correm na Comarca do Porto).

5. Como se vê, a constituição da Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD como Arguida padece, logo à partida, de duas gravíssimas ilegalidades, a saber:

a) A primeira, reitera-se, porque inexiste qualquer facto, circunstância de tempo, lugar e modo, bem como prova, que fixem uma qualquer conexão entre os factos divulgados por qualquer dos Arguidos e o Conselho de Administração da SAD do SLB;

b) A segunda, na qual nem sequer crê, emerge da inexistência de qualquer facto que demonstre que o Dr. Paulo Gonçalves, a saber de qualquer facto, o tenha transmitido ao Conselho de Administração da SAD do SLB.

6. Fica assim provado que a constituição da Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD como Arguida, como agora é possível concluir, não tem que ver com a matéria de facto e com as provas constantes do Inquérito, como se comprova pela ausência absoluta de factos, circunstâncias e provas que incriminem a SAD do SLB, mas consiste em mais um passo – aliás gravíssimo – na senda persecutória movida contra o Benfica por parte de alguns responsáveis pelas investigações.

7. De tal modo que todas as Participações Criminais entregues pelo Benfica acham-se paralisadas e silenciadas. Ao passo que as que visam a perseguição do Benfica são reiteradamente publicitadas apesar de se acharem em segredo de justiça, sem que daí decorram quaisquer consequências para os agentes dos crimes. Realçamos que desta dualidade tem sido dada nota à Procuradora-Geral da República.

8. Mas mais grave nesta decisão é que ela não é só ilegal pela omissão de factos, circunstâncias e prova, ou seja, pela matéria de facto, mas também pela arquitetura empreendida pelo titular de Inquérito que denota que o móbil da constituição da SAD do SLB como Arguida, não só é desfocado da realidade constante do Processo, como vai mais longe, afronta a Constituição, a Lei e os deveres funcionais do Procurador.

9. Perante a gravidade desta conduta, entendeu a Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD determinar que se avance com a imediata impugnação da constituição como Arguida e o competente pedido de incidente de suspeição sobre o Magistrado titular do inquérito com base em diversa matéria de facto e de direito, já que o Magistrado em nome do Ministério Público usou o poder discricionário de constituir uma pessoa singular ou coletiva como Arguida em processo de Inquérito sem atender à necessária demonstração de prova de qualquer prática de crime ou de fundada suspeita, e por não observar os deveres funcionais a que se acha legal e estatutariamente adstrito, adotando uma conduta estranha e colidente com o texto da lei processual e, mais grave, com a própria Constituição da República.

10. Consideramos que ficou demonstrado que:

a) Promoveu a constituição da Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD como Arguida sem se munir de factos, circunstâncias de tempo, lugar e modo, nem de provas para atingir tal desiderato;

b) Tudo isto apesar de ter de se achar munido de especial experiência e competência para exercer a sua missão no DIAP;

c) E, mesmo, apesar de ter e dever achar-se munido de rigorosa consciência sobre as consequências desportivas, económicas e sociais emergentes da constituição da SAD do SLB como arguida;

d) O Magistrado afronta pela sua ação uma ordem genérica de Procurador-Geral da República, o seu Estatuto, desrespeita a lei processual penal e adota uma conduta violadora da Lei Fundamental.

e) Provando-se que não nos achamos no domínio da autonomia técnica, mas tão-só no afrontamento à hierarquia, à Lei e à Constituição da República, ou seja, no âmbito da violação de deveres emergentes das agressões ao princípio da legalidade.

f) Em suma, no nosso entender este Magistrado deve ser recusado e, por consequência, ser afastado da titularidade do Inquérito.

11. A Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD entende que a hierarquia do Ministério Público e os Juízes de Instrução Criminal são titulares do poder-dever de pôr termo a esta perversa, ilegal e discriminatória perseguição movida por alguns responsáveis ao Sport Lisboa e Benfica.

12. Por fim, reafirmamos perante todos os milhões de Sócios, adeptos e simpatizantes do Sport Lisboa e Benfica a nossa total convicção de que no fim a Lei prevalecerá e será provado que nenhum elemento da Administração da SAD do Sport Lisboa e Benfica teve qualquer tipo de contacto ou conhecimento sobre os factos imputados neste processo. Factos que versam afinal sobre uma matéria sobre a qual se alguém tem sido vítima, trata-se precisamente do Benfica. Vítima de violação sistemática do segredo de justiça e de arbitrariedade de decisões que merecem da nossa parte o mais forte repúdio e resposta compatível nas instâncias legais.

Conselho de Administração da Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD

Lisboa, 27 de agosto de 2018

Também a Procuradoria Geral da República confirmou à agência Lusa ter constituída a SAD do Benfica como arguida do processo 'e-toupeira'.

"Ao abrigo do disposto no art.º 86.º, n.º 13, al. b) do Código de Processo Penal, confirma-se a constituição como arguida, no âmbito do designado processo 'e-toupeira', da SAD do Benfica", pode ler-se na nota enviada pela PGR.» in https://desporto.sapo.pt/futebol/primeira-liga/artigos/sad-do-benfica-constituida-arguida-no-processo-e-toupeira-avanca-a-sic

F.C. do Porto Ciclismo - A W52-FC Porto esteve este sábado no Estádio do Dragão, tendo subido ao relvado no intervalo do jogo entre o FC Porto e o Vitória de Guimarães, referente à 3.ª jornada da Liga NOS.



«W52-FC PORTO OVACIONADA NO DRAGÃO

Vencedores da Volta a Portugal subiram ao relvado no intervalo do jogo com o Vitória de Guimarães.

A W52-FC Porto esteve este sábado no Estádio do Dragão, tendo subido ao relvado no intervalo do jogo entre o FC Porto e o Vitória de Guimarães, referente à 3.ª jornada da Liga NOS. A equipa de ciclismo dos azuis e brancos, vencedora da Volta a Portugal, deu a habitual volta olímpica ao recinto e foi ovacionada por um Dragão com lotação esgotada.

Estiveram presentes no Estádio do Dragão todos os heróis da Volta a Portugal deste ano, com o vencedor Raúl Alarcón à cabeça, claro, mas também Rui Vinhas, João Rodrigues, António Carvalho, Ricardo Mestre, César Fonte e Gustavo Veloso, bem como o diretor desportivo da W52-FC Porto, Nuno Ribeiro.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/W52-FC-Porto-no-Dragao-FCP-VSC-3a-jor-Liga-NOS-1819.aspx


(A Volta a Portugal Santander 2018)

F.C. do Porto Equitação - O cavaleiro Roberto Brasil, que representa o FC Porto, e a égua Fürstin P terminaram no quarto lugar do US Dressage Festival of Champions de 2018, realizado no Lamplight Equestrian Center, em Wayne, llinois, Estados Unidos da América.



«QUARTO LUGAR NO US DRESSAGE FESTIVAL OF CHAMPIONS

Posição de destaque nos Estados Unidos para o cavaleiro Roberto Brasil e a égua Fürstin P.

O cavaleiro Roberto Brasil, que representa o FC Porto, e a égua Fürstin P terminaram no quarto lugar do US Dressage Festival of Champions de 2018, realizado no Lamplight Equestrian Center, em Wayne, llinois, Estados Unidos da América.

Foi a primeira vez que um cavaleiro português participou no prestigiado torneio norte-americano, ficando perto do pódio na prova FEI 5YO, de cavalos jovens, com a Fürstin P.

Na sexta-feira, a Fürstin P e Roberto Brasil terminaram com uma média de 79,4%, ocupando o 7.º lugar na classificação geral. No dia seguinte, a dupla estabeleceu a sua melhor marca de sempre, com 82,8%, subindo para a 4.ª posição. Foi a sétima marca acima dos 80% na presente temporada.

Os convites para o US Dressage Festival of Champions estão destinados a atletas e cavalos que ocupem os primeiros quinze lugares dos respetivos rankings. Com este resultado, Roberto Brasil e a Fürstin P mantém a segunda posição no ranking Markel/USEF Young Horse Dressage National Championships Five-Year-Old Division.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/dressage-roberto-brasil.aspx

27/08/18

Amarante Restauração - Aberto diariamente para almoços, o menu do Canto Redondo “é mais consensual, baseado em sabores portugueses, uma comida de conforto”.



«A cozinha mais descontraída de Tiago Bonito ocupa um Canto Redondo

O novo restaurante na Casa da Calçada, em Amarante, não tem a formalidade do Largo do Paço. Quer ser uma alternativa para os hóspedes do hotel e atrair os amarantinos.

Quem se hospedava no Hotel Casa da Calçada, em Amarante, só tinha uma opção para almoçar e jantar sem sair dos portões da propriedade — o Largo do Paço, com uma estrela Michelin. “E quem prova um menu de degustação numa noite, não vai repetir a experiência na noite seguinte.” Palavras do chef executivo do Largo do Paço, o jovem Tiago Bonito, em jeito de introdução sobre o novo restaurante na sua alçada, o Canto Redondo. Numa antiga sala de apoio ao bar do hotel, com mobiliário clássico, sofás confortáveis e mesas baixas — sem condições para acolher almoços e jantares —, abriu agora um restaurante mais descontraído.

A carta criada pelo chef é bem mais descontraída do que a do vizinho Largo do Paço, mas “mantém a identidade” que Tiago Bonito faz questão de incluir em todos os pratos que confecciona. O Canto Redondo, continua, “é uma alternativa dentro da Casa da Calçada, uma segunda opção para o cliente e para Amarante”. “Abrimos este espaço a pensar também na cidade, para atrair as pessoas que não estão no hotel, mas querem conhecer a nossa cozinha.”

Aberto diariamente para almoços, o menu do Canto Redondo “é mais consensual, baseado em sabores portugueses, uma comida de conforto”. “É uma cozinha menos elaborada, sim, mas não quer dizer que seja mais relaxada”, sublinha Tiago Bonito. Nas entradas há carpaccio de bacalhau meia cura com pimentos assados e ovo de codorniz, amêijoas à Bulhão Pato e camarão frito com pimentos padrón ou presunto serrano com cogumelos frescos e queijo São Jorge. O robalo com arroz malandrinho de sapateira e uma açorda de lavagante com aguardente velha e coentros são as opções de peixe, duas, tal como as de carne: bife de novilho com batata-doce e salsa e chuleton maturado grelhado. Há ainda uma opção de pasta e um risotto. Nas sobremesas, destaque para o pastel de nata de comer à colher e o cheesecake de ananás dos Açores, com gelado de chá verde e lima.

“Esta cozinha tem muito sabor e um bom produto. Os nossos clientes, quando nos visitam, não estão à procura de sushi”, brinca Tiago Bonito, que assim tem mais tempo — bem como a sua equipa — para se dedicar ao Largo do Paço. Este último pode assim encerrar aos almoços e duas vezes por semana (domingo e segunda-feira), para que todos se foquem nos menus de degustação já premiados. O Canto Redondo está aberto ao jantar apenas ao domingo e à segunda-feira e, nos restantes dias, entre as 15h e as 23h, tem uma carta ligeira (salada César, prego em bolo do caco, risotto).

Um homem do mar em Amarante

Tiago Bonito, nascido perto de Coimbra há 31 anos, mudou-se para Amarante há um ano e meio para ocupar a posição de chef executivo do restaurante da icónica Casa da Calçada. Pouco tempo depois, recebia a notícia de que tinha conseguido manter a estrela Michelin do Largo do Paço, numa estreia que o empurrou (ainda mais) para a ribalta. Ainda não teve tempo para criar raízes na cidade banhada pelo Tâmega, confessa, mas tem conhecido a região, explorado as opções de fornecedores locais.

Faz questão de conhecer pessoalmente os homens e as mulheres a quem compra legumes, queijos, carne, peixe. Mostra-lhes como uma batata ou uma cenoura pode ser “mais do que batata ou uma cenoura vendida em sacos de uma tonelada”. “Gosto de mostrar aos fornecedores o que faço, dou-lhes a provar o que cozinho com o produto que eles vendem, convido a família”, conta. Isto para mostrar que uma estrela Michelin não se conquista apenas entre as quatro paredes da cozinha do Largo do Paço, na qual trabalham 15 pessoas.

Sempre que pode, Tiago Bonito pega no carro e vai até ao mercado municipal de Matosinhos e de Angeiras escolher e comprar o marisco e o peixe que preenchem a carta do Largo do Paço — e, desde Junho, também do Canto Redondo. “Aqui em Amarante, a tradição é o fumeiro, o pouco peixe que há é de rio”, justifica. E isto, para um amante da pesca e do mar como Tiago, é motivo para deixar algumas saudades dos anos em que trabalhou no Algarve e em Tróia. Sempre que consegue, contudo, junta-se aos amigos, mais a Sul, para dias de pescaria em alto-mar.

“Gosto muito do mar, dos mariscos, da frescura e das texturas do peixe”, vai repetindo ao longo da conversa. E este gosto passa depois para a concepção das receitas, “pratos com sabores fortes, a maresia, a sal”. “Tenho até, na carta do Largo do Paço, um cherne ao sal que é um prato que eu faço muitas vezes para os amigos, estão sempre a pedir-me.”

Um jantar ibérico a quatro mãos (e três estrelas Michelin)

A primeira edição do Chef d’Oeuvre não tinha contornos de competição. Mas, se tivesse, o resultado teria sido um empate, daqueles a pedir desforra. À cozinha e ao staff de Tiago Bonito no Largo do Paço (com uma estrela Michelin), em Amarante, juntou-se o chef Óscar Velasco, do restaurante Santceloni (duas estrelas Michelin), em Madrid. O objectivo? A preparação, a quatro mãos, de um menu de degustação a ser servido no restaurante do Hotel Casa da Calçada com o carimbo Chef d’Oeuvre — que é o mesmo que dizer “obra-prima de um artista”. A ideia dos dois chefs foi uma “junção ibérica” do trabalho de cada um: Óscar Velasco trouxe de Madrid um “frango do campo” e alguns caldos que levam vários dias a preparar, Tiago Bonito apostou nos peixes portugueses.

A abertura do jantar esteve a cargo do chef a jogar em casa: a uma delicada caixa de caviar, Tiago Bonito acrescentou atum, rábano picante, ovo, cebolinho e couve-flor. A entrada é uma saudação ao cliente que chega ao Largo do Paço, servida a quem peça um dos dois menus de degustação do restaurante (Caminhos e Identidade). Seguiu-se uma tosta de trigo com frango e molho agridoce “tipicamente espanhol”, explicou Óscar Velasco durante a preparação do mesmo, e um lírio dos Açores com maçã e maracujá. “Este é um dos pratos que fala sobre mim”, confidenciou Tiago Bonito. “O lírio é um peixe mais gordo, que faz a rota migratória nos Açores, e sirvo com maracujá para incluir a parte tropical.” Mas Óscar Velasco não quis ficar atrás nos sabores do mar e optou por um lagostim sobre folha de alface e sabores do Oriente.

Nos pratos principais, o chef português escolheu aquele que é o seu “peixe preferido”, o pregado, com carabineiro, plâncton e espargos. “O carabineiro diz-me muito sobre o Algarve e os anos que lá passei, traz à mesa a maresia.” A costela de cabrito cozinhada pelo chef espanhol foi acompanhada por avelã, alho negro e puré de abóbora assada.

Para terminar, Óscar Velasco deu a ribalta a Montse Abellán, a chef de pastelaria do Santceloni, que levou à Casa da Calçada um granizado de cenoura, lima, endro, aveia e gengibre. Pistácio, café gelado, framboesa e mascarpone, com assinatura portuguesa, fechou o jantar.

O Chef d’Oeuvre, garante Álvaro Aragão, director da Casa da Calçada, é para repetir “duas a três vezes por ano”, sempre com chefs de outros hotéis da Relais & Chateaux.» in https://www.publico.pt/2018/08/25/fugas/noticia/a-cozinha-mais-descontraida-de-tiago-bonito-ocupa-um-canto-redondo-1841614


(Casa da Calçada Relais & Chateaux - Promotional video)

Amarante Café São Gonçalo - Localizado num dos mais emblemáticos lugares da cidade de Amarante, o Café-Bar S. Gonçalo é, desde há muitos anos, um lugar de passagem obrigatória, quer pelo conceito que esteve na sua génese, quer pela evolução que sofreu ao longo dos anos, abrindo-se a uma vertente mais cultural.



«Café São Gonçalo cruza cultura e gastronomia

Localizado num dos mais emblemáticos lugares da cidade de Amarante, o Café-Bar S. Gonçalo é, desde há muitos anos, um lugar de passagem obrigatória, quer pelo conceito que esteve na sua génese, quer pela evolução que sofreu ao longo dos anos, abrindo-se a uma vertente mais cultural.

Com o rio Tâmega e os jardins do centro de Amarante como pano de fundo, no largo da igreja de S. Gonçalo, o café assume lugar de destaque. Aqui, a cultura e a gastronomia confundem-se e é possível tomar um café ou fazer uma foto com Teixeira de Pascoaes, já que existe no meio da sala, desde 2015, uma estátua de bronze em homenagem ao poeta amarantino, que tinha aqui o seu lugar de eleição.

Fundado na década de 30, passou em 1969 para as mãos de Maximino Silva que, com os filhos Rodrigo e Maurício, tem procurado preservar o espaço e a história daquele que é o café mais antigo da cidade. "Queremos manter a alma dos outros tempos", afirma Rodrigo Silva, acrescentando que aqui são realizadas frequentemente tertúlias, conferências, debates políticos, apresentações de livros.

Com uma história que vai muito além das portas da cidade, o Café- -Bar faz parte da Rota dos Café com História de Portugal e da Europa. Os proprietários estão a desenvolver um projeto que passa por tornar o espaço "100% inclusivo". "Acho que seremos o primeiro café a sê-lo". Primeiro escreveram a história do Café-Bar e do próprio Teixeira de Pascoaes em braille. Agora vão contar essa mesma história em língua gestual - que será disponibilizada num tablet aos clientes que o solicitem - e vão criar rampas de acesso à estátua do poeta.

Para os proprietários, "é um orgulho" ter um espaço que desde há várias décadas é o local predileto de grandes nomes da cultura portuguesa. Cruzeiro Seixas, Mário Cesariny, António do Largo Cerqueira são alguns nomes que pai e filhos guardam na memória e que são eternizados no Café-Bar.» in https://www.jn.pt/nacional/especial/interior/cafe-sao-goncalo-cruza-cultura-e-gastronomia-9758820.html


(Maria do Carmo Granja - Exposição de pintura)


HÁ POESIA NO CAFÉ CENTRAL - AMARANTE - (CAFÉ -BAR SÃO GONÇALO)


Café -Bar São Gonçalo | AMARANTE (1 Novembro 2014) - "Há poesia no Café Central"

F.C. do Porto Sub 19 Futebol: Desportivo das Aves 3 vs F.C. do Porto 3 - A equipa de Sub-19 empatou este sábado no terreno do Desportivo das Aves (3-3), em jogo da 2.ª jornada da 1.ª fase do Campeonato Nacional de Juniores A.



«SUB-19 EMPATAM NA VILA DAS AVES

Igualdade a três golos na 2.ª jornada da 1.ª fase do Nacional de Juniores A.

A equipa de Sub-19 empatou este sábado no terreno do Desportivo das Aves (3-3), em jogo da 2.ª jornada da 1.ª fase do Campeonato Nacional de Juniores A. Angel Yesid (44m) e Juan Perea (46m e 53m) fizeram os golos dos Dragões, que passam a somar quatro pontos.

Os Sub-19 portistas, comandados por Mário Silva, alinharam com João Gonçalo, Tomás Esteves, Cláudio Silva (Tiago Matos, 45m), Levi Faustino, Ruben Amaral, Rafa Pereira, Fábio Vieira (Afonso Sousa, 72m), Angel Yesid (Gonçalo Borges, 45m), Rodrigo Valente, Fábio Silva e Juan Perea.

Na próxima ronda, a 3.ª, o FC Porto recebe o Rio Ave, no Olival (1 de setembro, 11h00).» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/Sub19-CD-Aves-FC-Porto-2a-jor-1a-fase-CNJA-1819.aspx

F.C. do Porto Sub 15 Futebol - A equipa de Sub-15 do FC Porto conquistou a Vinci Cup, vencendo 6 dos 7 jogos realizados no Complexe Sportif Marcel Bec. Na final do torneio realizado em Meudon, arredores de Paris (França), os jovens Dragões bateram os Urawa Red Diamonds por 1-0.



«SUB-15 CONQUISTAM A VINCI CUP EM FRANÇA

Jovens Dragões venceram 6 dos 7 jogos realizados no Complexe Sportif Marcel Bec.

A equipa de Sub-15 do FC Porto conquistou a Vinci Cup, vencendo 6 dos 7 jogos realizados no Complexe Sportif Marcel Bec. Na final do torneio realizado em Meudon, arredores de Paris (França), os jovens Dragões bateram os Urawa Red Diamonds por 1-0.

O FC Porto começou por vencer o Manchester City (1-0), o Paris Saint-Germain (1-0), o SM Caen (1-0) e o Team Tonsser All-Star (1-0), perdendo apenas frente ao Marselha (0-1), vencedor da edição de 2017 da Vinci Cup.

Nas meias-finais, a equipa portista bateu o Toulouse por 1-0, repetindo o resultado no jogo decisivo, frente aos Urawa Red Diamons do Japão.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/sub15-vincicup.aspx

26/08/18

Amarante Museu Municipal Amadeo de Souza Cardoso - Visita guiada ao Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso, em Amarante, pelo director e principal dinamizador da instituição, António Cardoso.



«Um museu de boas vontades que se tornou a “casa” de Amadeo

Visita guiada ao Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso, em Amarante, pelo director e principal dinamizador da instituição, António Cardoso. “Fomos à conquista do espaço e das obras”.

Visitámos o Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso (MMASC) em Amarante numa segunda-feira, dia do descanso semanal, mas a animação era certamente superior à de um dia normal de funcionamento: vários homens desmontavam, nos claustros, os palcos e equipamentos que tinham acolhido o festival Mimo, que animara esse fim-de-semana, e crianças da escola primária desenhavam as suas pinturas, acrescentando frenesim ao cenário envolvente. Uma delas, Maria Leonor, de sete anos, explicava ao PÚBLICO que fazia parte do Clube de Pintura do museu, enquanto preenchia a negro a fachada de uma casa numa folha pejada de cores. “A escola acabou e agora vimos para aqui, mas amanhã vamos à praia, ou então para a piscina”, acrescentava a menina, que tanto parecia feliz com o que fazia no momento como com a expectativa do dia seguinte.

“É isto que dá verdadeiramente vida aos museus”, comentava, também feliz, António Cardoso (n. 1932), que aceitou deslocar-se propositadamente do Porto a Amarante, sua terra natal, para guiar o PÚBLICO numa visita a este equipamento a que tem a sua vida ligada desde há mais de meio século, e do qual continua hoje a ser director.

Amadeo de Souza-Cardoso (1887-1918) – o principal nome do modernismo português, apesar de precocemente desaparecido aos 30 anos, vitimado pela pneumónica – é naturalmente a imagem de marca do museu de Amarante, que a dada altura adoptou mesmo o seu nome. Mas o MMASC é também a casa que ajudou a afirmar a relevância da sua obra: a seguir à Fundação Gulbenkian, é a instituição que detém a maior colecção de obras de Amadeo, iniciada nos anos 50, quando recebeu, “quase por favor”, recorda António Cardoso, a sua tela Vida dos instrumentos (c.1915/16), primeira de várias doações da família do artista nascido na Casa de Manhufe, na freguesia amarantina de Mancelos.

Sala Amadeo em 1953

Antes dessa data, mas já após a sua morte, o pintor tinha sido alvo de duas homenagens em Lisboa: no 1.º Salão de Outono (1925) e numa colectiva de pintores contemporâneos na Galeria de Março, dirigida por José-Augusto França (1952), além da criação, em 1935, pelo Secretariado da Propaganda Nacional (SPN) do Estado Novo, de um prémio com o seu nome. Mas a revelação da extensão e da modernidade da obra de Amadeo, se se deveu a historiadores e críticos como França, foi também responsabilidade do Museu de Amarante, que em 1953, já pela mão de António Cardoso – nessa altura membro do recém-criado grupo de amigos da biblioteca-museu, e professor da escola primária –, inaugurou a Sala Amadeo de Souza-Cardoso, expondo nela um primeiro acervo de 33 obras.

Na mesma altura foram também criadas salas dedicadas a outros artistas da terra, entre os quais o bem conhecido pintor António Carneiro (1872-1930), e, posteriormente, Acácio Lino (1878-1956), “um pintor de cenas históricas e de costumes”, explica António Cardoso, mostrando-nos os quadros O grande desvairo (1920), que recria a trasladação de D. Inês para o Mosteiro de Alcobaça, e onde se nota “uma tangente às formulações saudosistas do seu conterrâneo Teixeira de Pascoaes”, e Amuada (1947), uma cena de vindimas; e Eduardo Teixeira Pinto (1933-2009), o fotógrafo que “retratou Amarante um bocado como o Amadeo, na radicação com a terra, o rio, a ponte, a montanha”.

Anúncio do cubismo

Desde a década de 50, a Sala Amadeo foi crescendo – actualmente, a colecção do MMASC conta 37 obras, incluindo algumas depositadas pela família do pintor –, e mudando de lugar. “Mas no Amadeo nunca se mexe”, diz agora o director do museu, referindo-se ao facto de o edifício do velho convento dominicano de S. Gonçalo manter sempre reservado o seu espaço nobre para o artista de Manhufe.

É aí que se pode percorrer a sua obra, em peças como a famosa A casa de Manhufe (c. 1913), que – realça António Cardoso ­– “anuncia já o cubismo: é ele a dizer o que pensa para além do que vê”, ou Crime abismo azul, remorso físico (1915) e Máscara azul (c.1916), nas quais se inspirou o cineasta Paulo Rocha quando realizou o documentário Máscara de Aço Contra Abismo Azul (1988); ou ainda a série de caricaturas onde se destaca a figura de Emmerico Nunes (1888-1968), pintor e caricaturista também da geração dos modernistas, e que foi amigo de Amadeo.

A Sala Amadeo é, pois, aquela que nunca é sacrificada à necessidade de adaptação dos espaços do museu às exposições temporárias que este promove todos os anos. Por estes dias, por exemplo, pode-se admirar no rés-do-chão O Surrealismo em Portugal – Colecção da Fundação Cupertino de Miranda (até 16 de Setembro), ao passo que, no primeiro piso, Os Modernistas. Amigos e Contemporâneos de Amadeo de Souza-Cardoso dá a ver 15 artistas seleccionados da Colecção Millennium bcp (até 20 de Outubro).

Vamos ver a exposição em que cuspiram nos quadros de Amadeo
Vamos ver a exposição em que cuspiram nos quadros de Amadeo
“Olhe que fantásticas, aquelas três telas do Júlio! Só um banco teria condições para reunir uma colecção como esta”, diz António Cardoso frente a três pinturas do irmão de José Régio, que assinava, enquanto poeta, Saúl Dias – e de quem o painel de apresentação da exposição em Amarante cita os dois primeiros versos do poema Para todo o sempre: “O poeta morre,/ mas não cessa de escrever.” E o director do MMASC chama a atenção para a oportunidade que assim se cria para cotejar a obra de Amadeo com este acervo de nomes grandes do modernismo português, entre os quais estão António Carneiro, Almada Negreiros, Eduardo Viana, Bernardo Marques, Jorge Barradas, Carlos Botelho e outros.

Um século de arte

“Este é um museu de boas vontades; nunca tivemos condições para fazer grandes aquisições, por isso recorremos aos gestos simpáticos dos artistas amigos”, diz António Cardoso a explicar como é que o Museu de Amarante conseguiu criar uma colecção que permite ao visitante fazer uma bem documentada viagem pela história da arte portuguesa do último século.

“Muitas vezes, eu e o Victor Sardoeira [filho de Albano Sardoeira, fundador do Grupo de Amigos da Biblioteca-Museu Municipal] íamos ao Porto ter com os artistas nos seus ateliers; levávamos umas garrafas de vinho de Amarante e… regressávamos com uma obra para o museu”, conta António Cardoso, entre risos.

Paralelamente às “conquistas” artísticas, o MMASC que actualmente existe resulta também da conquista de espaços que historicamente foram tendo diferentes valências. “Aqui, na sala que foi o núcleo inicial do museu, era antes a escola primária – por aqui andaram o Pascoaes e o Amadeo – e depois foi também liceu”, explica o director ao franquear a antiga entrada do edifício. Mas o velho convento acolheu também as finanças e o registo civil, foi teatro e cinema, arquivo e biblioteca, até ser restaurado e adaptado à valência exclusiva de museu na década de 80, através de um projecto do arquitecto Alcino Soutinho.

“Fomos fazendo aqui uma reconquista à maneira do Afonso Henriques”, brinca António Cardoso, que foi também realizador da Telescola, professor da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde se licenciara em História (e fez o doutoramento sobre a obra do arquitecto José Marques da Silva), e é também pintor.

A menina de Clara Menéres

Como museu, “temos aqui bons exemplos da pintura e da escultura portuguesa do século XX, desde os nomes do modernismo e figuras estimáveis do surrealismo – Mário Cesariny e Cruzeiro Seixas, por exemplo –, até vultos como Vieira da Silva ou Paula Rego, Júlio Resende ou José de Guimarães”, acrescenta o director. E ainda obras de Alvarez e Jorge Pinheiro, de Lourdes Castro e Nadir Afonso, de António Palolo e Armando Alves, de Barata-Feyo e Gustavo Bastos, de Clara Menéres e Álvaro Siza – deste, Cardoso recorda que um dia o arquitecto visitou o museu e “já não se lembrava desta pintura”, intitulada Presença mágica (s/d).

E se cada peça tem a sua história, uma das mais curiosas é a da escultura em gesso de Clara Menéres, A menina Maria Amélia que vive na Rua do Almada (1968), que a artista recentemente desaparecida doou ao museu de Amarante no início da década de 70, por nele ter encontrado a colecção de arte moderna que lhe pareceu ter mais afinidades com a sua obra. O MMASC expôs a escultura em 1973, mas esta provocou escândalo, e houve mesmo um professor amarantino catedrático de Coimbra, Torquato de Souza Soares, que registou no livro de honra do museu “um protesto indignado” pela amostragem de uma obra que classificou como “a mais porca e miserável pornografia, que só seria admissível num bordel muito reles”, tendo movido influências para que fosse retirada. “E só conseguimos voltar a expô-la depois do 25 de Abril [de 1974]”, recorda António Cardoso.

Dois prémios bienais

Em 1997, o MMASC decidiu lançar um prémio com periodicidade bienal com o nome do seu patrono, que simultaneamente distingue uma carreira reconhecida (o primeiro foi Fernando Lanhas; no ano passado, foi Jorge Pinheiro) e um artista das novas gerações (Albuquerque Mendes, em 1997; Sebastião Resende, em 2017). Associadas a estes prémios estão as aquisições de algumas obras: “São as únicas que fazemos, além de continuarmos a acolher doações”, justifica o director).» in https://www.publico.pt/2018/08/25/culturaipsilon/noticia/um-museu-de-boasvontades-que-se-tornou-na-casa-de-amadeo-1839134


(Museu Amadeo Souza-Cardoso)
Pin It button on image hover