01/07/16

Amarante Literatura - Em 1936, o Poeta Teixeira de Pascoaes, conheceu o seu tradutor Checo, Rodoldo Slaby, que viria a ser morto pelos Nazis e perdeu também o grande Amigo, Leonardo Coimbra que falece de desastre de automóvel, entre a Vila da Lixa e a Cidade do Porto.



«Em 1936, Pascoaes publicou a segunda grande biografia - «S. Jerónimo e a Trovoada», que teria também traduções em alemão  e holandês.

Também o professor checo Rodolfo Slaby traduziu para a sua língua o «Regresso ao Paraíso».

Veio passar uns dias à Casa de Pascoaes para conhecer o Poeta.

Era um homem muito inteligente e culto. Sabia o Padre Nosso em cento e onze idiomas. Irradiava simpatia. Pensamos que foi morto durante a segunda Guerra Mundial, quando os alemães invadiram o seu país, porque nunca mais deu notícias.´

Nesse mesmo ano de 1936, Pascoaes sofreu de novo um enorme desgosto com a morte de Leonardo Coimbra, em consequência de um desastre automóvel quando vinha da Lixa para o Porto.

Quando soube da triste notícia, Pascoaes exclamou:
«O Leonardo!... O grande Amigo!... O grande Homem!...»

O Poeta estava desolado: sentia todas as mágoas com grande intensidade.» in Fotobiografia "Na sombra de Pascoaes" de Maria José Teixeira de Vasconcelos.

Sem comentários:

Enviar um comentário