03/03/17

Amarante Literatura - Joaquim Pereira Teixeira de Vasconcelos, que mais tarde iria usar o nome literário de Teixeira de Pascoaes, nasceu em Amarante, numa casa alugada, contígua à dos seus Avós, a 2 de Novembro de 1877.


Escultura de Aureliano Lima


«Joaquim - O Poeta

Joaquim Pereira Teixeira de Vasconcelos, que mais tarde iria usar o nome literário de Teixeira de Pascoaes, nasceu em Amarante, numa casa alugada, contígua à dos seus Avós, a 2 de Novembro de 1877.

E havia de cantar na "Terra Proibida":

"Nasci ao pôr do sol dum dia de Novembro,
O meu berço o crepúsculo embalou...
E até parece, às vezes, que me lembro,
Porque essa tarde, triste, em mim ficou."


Tinha dois anos quando a família foi viver para a casa de Pascoaes - em São João de Gatão -, "Uma casa para a Poesia" chamou-lhe Eugénio de Andrade.

E a casa e a paisagem circundante iam ter a maior influência na sua personalidade e na formação do seu espírito, como se pode ver por este poema lindíssimo das 2Sombras":


Canção de uma sombra

Ai, se não fosse a névoa da manhã
E a velhinha janela onde me vou
Debruçar para ouvir a voz das cousas,
Eu não era o que sou.

Se não fosse esta fonte que chorava
E como nós cantava, e que secou...
E este sol que eu comungo, de joelhos,
Eu não era o que sou.

Ai, se não fosse este luar que chama
Os espectros à vida, e se infiltrou
Como fluido mágico, em meu ser,
Eu não era o que sou.

E se a estrela da tarde não brilhasse,
E se não fosse o vento que embalou
Meu coração e as nuvens nos seus braços
Eu não era o que sou.

Sem esta terra funda e fundo rio
Que ergue as asas e sobe em claro voo;
Sem estes ermos montes e arvoredos
Eu não era o que sou."» in Fotobiografia "Na sombra de Pascoaes" de Maria José Teixeira de Vasconcelos 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Pin It button on image hover