05/02/16

Amarante Poesia - O Poeta amarantino, Teixeira de Pascoaes publicou em 1912 o «Regresso ao Paraíso», outro longo poema cheio de alegorias e pensamentos muito próprios, com grande harmonia descreve o Juízo final, onde todos os seres são julgados...



«A 1 de janeiro de 1912, sai o primeiro número da revista «A Águia», orgão da Renascença Portuguesa, dirigida por Teixeira de Pascoaes. António Carneiro é o director artístico.

Pascoaes publicou então o «Regresso ao Paraíso», outro longo poema cheio de alegorias e pensamentos muito próprios. Com grande harmonia descreve o Juízo final, onde todos os seres são julgados:


«E Deus chamou depois um rouxinol:
«Quem és tu? Quem és tu?
«Eu fui um rouxinol dos salgueirais.
Batia, à noite, as asas da minh'alma,
E cantava! Cantava! ia subindo
Até pousar nos astros. E ás estrelas
Tirava fios de oiro,
E com eles no bico, cintilantes,
Ia tecer meus ninhos que eram quentes
E luminosos como a luz do sol.
E os meus ovos chocavam, por milagre,
Sem o menor calor das minhas penas...

Uma noite, ai de mim, pousei cantando
Na cruz do teu irmão, eis o meu crime.»

«E não tiveste medo do seu aspecto
ensanguentando e humano?»

«Estava morto, imóvel; e, além disso,
era tão clara e bela a sua fronte
Que lembrava um luar amanhecendo...
E esse luar divino embriagou-me
E cantei toda a noite...»

«Bem poderias, sim, tê-lo acordado!
Num deus o sono é leve, a própria morte
É um brando meio sono...»

«Mas o canto adormece...
E sempre que eu cantava, tudo em volta
De mim fechava os olhos... E sonhava...
E ele mesmo, ele mesmo, o teu irmão,
Parecia sonhar... E a própria cruz
E a própria negra fraga que a sustinha!

«Vai; põe o teu canto na balança.»

E a divina balança estremeceu.»


Fernando Amado encenou este poema na casa da Comédia.» in "Na Sombra de Pascoaes" de Maria José Teixeira de Vasconcelos, Fotobiografia. 



Noa Peled - "Juízo final" - (Nelson Cavaquinho e Elcio Soares)



"Juízo Final
  
O Sol há de brilhar mais uma vez
A luz há de chegar aos corações
Do mal será queimada a semente
O amor será eterno novamente

É o juízo final
A história do bem e do mal
Quero ter olhos pra ver
A maldade desaparecer

O Sol há de brilhar mais uma vez
A luz há de chegar aos corações
Do mal será queimada a semente
O amor será eterno novamente"

Sem comentários:

Enviar um comentário