15/08/16

Amarante Literatura - O Poeta Teixeira de Pascoaes e o seu fascínio pela Serra do Marão e a sua grandeza triste...



(Aguarelas de Teixeira de Pascoaes representando a Serra do Marão que tanto o interpelou artisticamente) 


«Certo dia apareceu na Casa de Pascoaes, acompanhado por duas senhoras, um jornalista brasileiro a pedir uma entrevista ao Poeta para uma revista de S. Paulo.

Pascoaes logo se colocou ao seu dispor.

Depois de algumas  perguntas sobre literatura, o brasileiro indagou:

«Que pensa sobre Salazar?»

Pascoaes respondeu: «É um grande despenseiro.»

O homem insistiu: «Não acha admirável o progresso do País, por exemplo, a florestação da serra do Marão? No futuro vai ser uma enorme ruiqueza.»

Pascoaes responde: «Isso não acho, Plantar o Marão é uma heresia tão grande como colocar um capachinho na careca do S. Pedro. Dantes, o Marão produzia arroubos de Poesia. Agora vai produzir arrobas de aguarrás...»

É preciso não esquecer que Pascoaes sentia o Marão desta maneira:

"Marão profunda elegia
Que sinto vibrar em mim.
Desnudo, de cor sombria,
Cor de terra e penedia
Duma tristeza sem fim."» in Fotobiografia "Na sombra de Pascoaes" de Maria José Teixeira de Vasconcelos.

Sem comentários:

Enviar um comentário