15/12/15

Amarante Justiça - Matou quatro pessoas e feriu outras quando não segurou o carro e embateu nos fiéis que acompanhavam a Via Sacra em Vila Chá do Marão, Amarante, no dia 22 de abril de 2011. O homem de 28 anos começou a ser julgado por quatro crimes de homicídio por negligência e por 14 crimes de ofensa à integridade física por negligência.



«Amarante: Começou a ser julgado homem que matou quatro pessoas durante procissão da Via Sacra
15/12/2015, 19:32

Matou quatro pessoas e feriu outras quando não segurou o carro e embateu nos fiéis que acompanhavam a Via Sacra em Vila Chá do Marão, Amarante, no dia 22 de abril de 2011. O homem de 28 anos começou a ser julgado por quatro crimes de homicídio por negligência e por 14 crimes de ofensa à integridade física por negligência.

Mais de uma centena de pessoas marcavam presença, naquela noite, num momento religioso que terminou de forma trágica quando um carro descontrolado embateu na multidão.

Segundo a acusação a que se teve acesso, o condutor seguia “a uma velocidade não concretamente apurada, mas não inferior a 68 km’s/hora” (numa rua onde o sinal recomendava a velocidade de 30 quilómetros por hora) e depois de ultrapassar um carro que se encontrava parado, com os quatro piscas, “para assistir ao evento”, não conseguiu parar.

O carro, conduzido por um homem residente na mesma freguesia, embateu de frente com a procissão, atropelando vários fiéis. Duas mulheres morreram ainda no local, uma das quais mãe do presidente da junta de freguesia local. Uma terceira foi transportada para o hospital em estado grave, falecendo poucas horas depois. A quarta vítima mortal deste acidente faleceu oito meses depois, na sequência das lesões provocadas pelo embate.

No dia do acidente o homem fugiu do local mas entregou-se de imediato às autoridades.


Padre aponta excesso de velocidade como causa de atropelamento mortal

O Padre Manuel Santos, pároco em Vila Chã do Marão, em Amarante, contrariou ontem, no Tribunal, Artur Gonçalves, o homem que atropelou mortalmente quatro mulheres e feriu mais 14 pessoas, durante a Via Sacra.

“No início da procissão seguia eu e mais dez acólitos, todos vestidos de branco”, referiu o sacerdote, acrescentando que a procissão seguia “bem iluminada”, por “280 velas que foram vendidas”.

O Padre Manuel Santos afirmou ainda que o condutor de 28 anos seguia em excesso de velocidade. “Tive a sensação que o carro vinha a mais de 120”, rematou.» in http://www.averdade.com/pagina/seccao/19/noticia/11685

Sem comentários:

Enviar um comentário