20/08/15

Amarante Gatão - Os andores prontos para a Procissão de Domingo, na Capela da Senhora do Vau, em Gatão, bem encostada ao Rio Tâmega...


(Sábado à noite, na véspera do Dia da nossa Senhora do Vau, uma espreitadela aos andores...)


«Gatão (Freguesia)

Gatão é uma das freguesias mais importantes de Amarante. Encostada à sede do concelho, tem uma história muito importante. 

Aqui fica a Casa de Pascoaes, onde viveu durante muitos anos o célebre escritor. 

O povoado fortificado de Ladário, da Idade do Ferro; e uma inscrição romana dedicada a Júpiter, encontrada na Quinta de Pascoais, revelam o povoamento pré-Nacional da freguesia. 

O topónimo Gatão tem uma origem que encontra duas explicações: corrupção da palavra muçulmana Catton (gato); ou o Conde D. Gatão, senhor destas terras nos tempos da Reconquista Cristã. 

Gatão foi vila, integrada nas Terras de Basto.

Entre 26 de Março de 1896 e 25 de Maio de 1902, Gatão teve um território maior do que actualmente, já que Vila Garcia esteve anexa para efeitos administrativos. 

A Igreja Paroquial de S. João de Gatão é um dos imóveis notáveis da freguesia. Está classificada como Monumento Nacional desde 1940 e usufrui de uma Zona de Especial Protecção. 

Construída no século XII, sofreu profundas modificações ao longo dos séculos. É um dos mais importantes templos do românico do concelho. De planta longitudinal, é composta por galilé, nave e capela-mor quadrangular. 

A fachada principal é de frontão pinaculado, o arco da galilé é encimado por um pequeno óculo. O portão de acesso à igreja é oval. 

No interior, dois pares de frestas laterais dão alguma iluminação ao espaço. Sobre o arco triunfal, encontra-se um fresco de inspiração bizantina. Na capela-mor, dois frescos que representam Cristo com a cruz. 

A Casa de Pascoaes é Imóvel de Interesse Público desde 1977. 

Foi construída na primeira metade do século XVII por ordem de João Mendes de Vasconcelos e Queirós. 

Entre 1913 e 1922, viveu aqui o escritor Teixeira de Pascoaes. É um edifício revivalista, maneirista e neoclássico, de planta em U, com capela no topo do braço. As influências da arquitectura francesa são, aqui, evidentes. 

A Capela da Senhora do Vau é um templo seiscentista ou setecentista, de características vernáculas, de planta longitudinal com alpendre. Tanto a nave única como a capela-mor estão dispostas em eixo, com sacristia adossada à capela-mor. O Cruzeiro de Gatão foi edificado em 1673. O pedestal é paralelepipédico, a coluna de secção circular, o remate em cruz latina. O seu processo de classificação foi aberto em 1997. 

A Casa de Tardinhade é um magnífico solar em granito, enquadrado por uma paisagem muito verdejante de cerca de quarenta hectares. Dali, avista-se a serra do Marão e o monte da Senhora da Graça. A parte mais antiga da casa data do século XVII. A casa central, as quatro casas do caseiro e toda a encosta formam um conjunto estético de grande interesse arquitectónico. 


As Alminhas de Gatão, a Estação ferroviária hoje desactivada, construída cerca de 1920; e uma pequena Capela no lugar de Pascoaes merecem também o destaque numa freguesia que é famosa, ainda, pela qualidade do seu vinho verde.» in http://retratoserecantos.pt/freguesia.php?id=958

Sem comentários:

Enviar um comentário

Pin It button on image hover