06/06/15

Amarante Vila Meã - Diz-nos a lenda, que a freguesia de São Pedro de Ataíde foi fundada por Atanagildo, que foi rei dos Godos, no ano de 560.



«LENDA DE ATAÍDE – VILA MEÃ (AMARANTE)
TEIXEIRA DA SILVA *

Com a minha modesta vénia ao seu autor Doutor Professor António José Queiroz, passo a adaptar o texto infra, sobre a extinta freguesia amarantina de Ataíde, que foi uma das que formava o núcleo da vila de Vila Meã.

Diz-nos a lenda, que a freguesia de São Pedro de Ataíde foi fundada por Atanagildo, que foi rei dos Godos, no ano de 560. Integrou o extinto concelho de Santa Cruz de Riba Tâmega até 24 de outubro de 1855, a partir de onde foi administrativamente ligada ao concelho de Amarante. Desde a Idade Média, que faz parte do bispado do Porto.

Séculos afora, o pároco da freguesia, que era Abade, era apresentado pelo Papa, pelo Cabido da cidade portuense e pelos beneditinos do mosteiro de São Miguel de Bustelo, de uma forma alternada. Em meados do século XVIII, o Abade possuía e renda décima parte de todos os frutos que, em conjunto com os passais e oblações, chegava aos cento e cinquenta mil réis.

Desse mesmo século é uma ermida consagrada a Nossa Senhora da Natividade, sendo mais conhecida por Capela de Pinheiro por se localizar no lugar homónimo. Durante muitos anos para essa ermida dirigiam-se procissões com clamores, vindas das freguesias vizinhas de São Mamede de Recesinhos, Vila Boa de Quires, Meinedo, Castelões, Caíde de Rei e Real. Houve historial permanente que permaneceu até aquele século, de que a ermida foi Hospital administrado pelos antigos ascendentes de Dom Manuel de Azevedo e Ataíde, que o sustentavam. Diz a tradição dessa família tinha o seu Solar no lugar de Pinheiro, como o testemunham alguns vestígios das suas antigas torres, atualmente inexistentes. A festa religiosa da freguesia, em honra de São Pedro, ocorre no último domingo de junho.

Nos dias 06 e 22 de cada mês realiza-se a feira de Vila Meã, nesta freguesia; porém, nem sempre foi nestas datas. Efetivamente, nos séculos XVII a XIX, a feira tinha lugar nas primeiras quintas-feiras e aos dias doze de cada mês; assim como no dia de Santa Luzia, na segunda oitava do Natal e no dia de São Sebastião. Nenhuma dessas feiras era franca (ou forra, como se dizia à época) pois pagavam sisa ao rei.

Já agora o local onde foi construído o Externato de Vila Meã tinha o nome de Calvário, por tradição muito antiga, ser a ele que vinha desde a igreja de São Salvador de Castelões, a procissão do Senhor dos Passos.

Pesquisa e adaptação de
TEIXEIRA DA SILVA, AJ
Gondomar, Porto, Portugal» in http://www.faroldanossaterra.net/2014/11/27/lenda-de-ataide-vila-mea-amarante/  

Sem comentários:

Enviar um comentário

Pin It button on image hover