31/01/12

Meteorologia - Contabilizados os dados de Janeiro, o Observatório de Secas do Instituto de Meteorologia conclui que Portugal continental está em situação de seca meteorológica!




«Portugal está oficialmente em situação de seca


Os valores de precipitação em Janeiro foram 15% inferiores à média, aproximando-se dos valores normais dos meses de Verão, como Julho e Agosto.


Agora já não há dúvidas. Contabilizados os dados de Janeiro, o Observatório de Secas do Instituto de Meteorologia conclui que Portugal continental está em situação de seca meteorológica.


Onze por cento do país está em seca severa, 76 % em seca moderada e 13% em seca fraca. Os valores de precipitação em Janeiro foram 15% inferiores à média, aproximando-se dos valores normais dos meses de Verão, como Julho e Agosto.


O Instituto de Meteorologia prevê que o cenário se agrave ao longo do mês de Fevereiro, até porque, à excepção desta quarta-feira, em que se espera chuva fraca nalgumas zonas do país, não se prevê que chova mais pelo menos até 10 de Fevereiro.» in http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=25&did=48801


(Portugal pode continuar sem chuva por mais três meses)

(Seca está a provocar prejuízos na pecuária e agricultura)

Energia Solar - É hoje oficialmente criado o Instituto Português de Energia Solar (IPES), que pretende contribuir para a projecção e o desenvolvimento do sector no país!




«Instituto Português de Energia Solar nasce hoje em Évora


IPES quer “servir de interlocutor” junto do Governo "em aspectos relevantes da política energética na área da energia solar".


É hoje oficialmente criado o Instituto Português de Energia Solar (IPES), que pretende contribuir para a projeção e o desenvolvimento do sector no país. O projecto é da Universidade de Évora, em conjunto com outras entidades.


O instituto destina-se a agregar as "competências dos seus associados na área da Energia Solar, buscando um valor acrescentado para cada um deles, em termos individuais e colectivos", explica a Universidade de Évora.


Visa ainda impulsionar actividades de investigação e desenvolvimento relacionadas com a energia solar, assim como proporcionar projecção e orientação estratégica à indústria.


São associados fundadores do IPES a ADENE, a Lógica, a AREANATejo, o ISQ, o EDPi, a Martifer Solar, a EFACEC, a TUV, a DREEN/DeVIRIS, a Siemens Solar, a MAGPOWER, a AGPower, a Open Renewables, a GENERG, a Schreder, a WS-Energia, a Enercoutim, a Yunit e a Sun Aid.


O IPES ambiciona também "servir de interlocutor" junto do Governo "em aspectos relevantes da política energética na área da energia solar".


A escritura pública decorre esta manhã no Colégio do Espírito Santo, o principal edifício da universidade alentejana. O primeiro director do Instituto Português de Energia Solar vai ser Manuel Collares Pereira, titular da Cátedra BES – Energias Renováveis da Universidade de Évora.


Além da cátedra dirigida por Collares Pereira, a Universidade de Évora ministra a "primeira licenciatura" nacional em Engenharias Renováveis e mestrados, doutoramentos e investigação na área, acolhendo também projectos de demonstração tecnológica com empresas.» in 


(Gran Documental Energía solar)

Política de Saúde - A resistência aos antibióticos pode significar a extinção destes medicamentos, por perda de eficácia!




«Antibióticos em risco de extinção


A resistência aos antibióticos pode significar a extinção destes medicamentos, por perda de eficácia.


Em 2011, foram vendidas mais de nove milhões de embalagens de antibióticos, em Portugal, tendo havido menos de seis milhões de prescrições nos primeiros nove meses do mesmo ano, segundo dados da consultora IMS Health disponibilizados ao SOL.


Tal acontece apesar das campanhas existentes contra a auto-medicação e de o INFARMED sublinhar que «todos os antibióticos necessitam de receita médica».


Carlos Martins, médico de família, admite que prescreve antibióticos com alguma frequência «nas consultas não programadas, motivadas por doença aguda». Embora seja um adepto da «capacitação» das pessoas em identificarem o seu estado de saúde, é peremptório: «Na área dos antibióticos é determinante a prescrição médica».


Para o especialista em clínica geral, o uso generalizado ou incorrecto deste tipo de medicamentos pode fazer-nos regressar à primeira metade do século XX, «quando as doenças infecto-contagiosas eram as grandes responsáveis pela taxa de mortalidade».


Por outro lado, há quem considere que o perigo da utilização intensiva de antibióticos «ultrapassa muitas vezes o domínio médico, pois são também largamente utilizados na criação de gado, na piscicultura e na indústria alimentar», afirmam Manuela Caniça e Eugénia Ferreira, do Laboratório Nacional de Referência das Resistências aos Antimicrobianos do Instituto Ricardo Jorge, em Lisboa.


Actualmente existem no mercado 220 antibióticos (dados da IMS Health), que possuem mecanismos de acção diferentes, havendo bactérias que são eliminadas apenas por antibióticos muito específicos, o que torna as indicações de um médico essenciais. «Os antibióticos de curta duração, que se pensa servirem para tudo, são um mito», alerta Carlos Martins.


O bom uso dos antibióticos depende, por isso, da prescrição e da indicação da posologia e duração. A interrupção de um tratamento devido ao desaparecimento de sintomas faz com que as bactérias que não foram eliminadas se tornem resistentes ao antibiótico, sendo esse um dos motivos para a diminuição da sua eficácia.


Chegou-se a um ponto em que se poderá dizer: ‘Se não morrer da doença, morre da cura’.


Até porque, na Europa, «25 mil pessoas morrem, por ano, devido a microrganismos resistentes», de acordo com a recém-criada Aliança para a Preservação do Antibiótico, uma plataforma que envolve instituições como a Direcção-Geral da Saúde (DGS), o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge e entidades ligadas aos profissionais de saúde humana e animal.


Os números são reveladores: 70% das bactérias causadoras de infecções hospitalares são já resistentes a pelo menos um antibiótico. «A principal causadora de uma simples infecção urinária, tão comum no género feminino, é resistente em cerca de 30% dos casos ao antibiótico mais frequentemente utilizado para a tratar», diz ao SOL José Artur Paiva, coordenador do Programa Nacional de Resistência Antimicrobiana da DGS. «Mais, existe já um pequeno mas relevante número de bactérias resistentes a todos os antibióticos – as pan-resistentes», acrescenta.


Os números vão aumentar, sobretudo se não seguirmos a dosagem correcta, se interrompermos a duração do tratamento recomendado e se continuarmos a tomar antibióticos sem ser necessário.


Dados recentes do Eurobarómetro indicam que 78% dos portugueses acreditam que os antibióticos são eficazes em gripes e constipações, quando na verdade estas patologias, como a maioria das infecções das vias aéreas, são causadas por vírus – contra os quais os antibióticos não produzem efeito.


Portugal é dos países onde mais se toma antibióticos e regista vendas «muito superiores às de outros países europeus, como a Holanda e os países escandinavos», sublinha José Artur Paiva.


Um risco colectivo


De facto, as bactérias – mesmo as que vivem em ‘harmonia’ connosco – têm uma enorme capacidade de se modificarem. «Quando são expostas a um antibiótico, há uma selecção positiva das mutantes resistentes, que se multiplicam e acabam por se transmitir de pessoa em pessoa, seja de forma directa seja através do ambiente», explica o responsável do Programa Nacional de Resistência Antimicrobiana. Os antibióticos são, assim, medicamentos especiais porque, ao contrário dos outros fármacos, «têm implicações não só no indivíduo tratado como também nos seus circunstantes e no meio ambiente. Têm um risco colectivo».


A resistência bacteriana está, por isso, associada à sua utilização e consumo. De acordo com a IMS Health, do total das prescrições 14% foram para tratar casos de pulpite – inflamação da polpa dentária – e outros 14% para amigdalites. As otites e as infecções respiratórias e urinárias também estão no topo das razões para a toma de antibióticos. Aliás, segundo fonte do INFARMED, «o mais dispensado é a amoxicilina+ácido clavulcânico», que se destina a tratar exactamente esse tipo de infecções.


Mais informação, menos comprimidos


Existem outras razões para o aumento da resistência. «A existência de antibióticos e de bactérias resistentes aos antibióticos, no ambiente e nos alimentos, são factores a considerar», dizem Manuela Caniça e Eugénia Ferreira, do Instituto Ricardo Jorge, bem como «a capacidade de passagem do ADN entre diferentes bactérias».


Depois, há a acrescentar a facilidade de propagação de bactérias resistentes, devido às trocas comerciais de alimentos e ao número crescente de viagens efectuadas pelas pessoas. E também o facto de haver uma investigação diminuta de novos fármacos antibióticos.


Segundo José Artur Paiva, é necessário «envolver o prescritor médico, o prescritor veterinário, o farmacêutico, o enfermeiro, o distribuidor grossista, o cidadão/utente, o especialista ambiental e o político» para melhor abordar o problema. O responsável reforça que «uma sociedade mais bem informada consumirá menos antibióticos».


joana.andrade@sol.pt


Nota: neste artigo publicado na última edição em papel, com o título «Morrer da Cura», por lapso foi escrito que os números de vendas (mais de nove milhões) correspondiam aos primeiros nove meses. No entanto este número é representativo das vendas totais de 2011. Apenas as prescrições correspondem aos primeiros nove meses. O SOL pede desculpa pelo engano, já aqui corrigido na versão online.» in

(Resistência antimicrobiana)

30/01/12

Vila de Baião - Duas meninas gémeas nasceram sábado numa ambulância dos bombeiros de Santa Marinha do Zêzere, de pés para fora, a caminho do Hospital do Vale do Sousa, em Penafiel!

Imagem Activa


«Gémeas nascem de pés em ambulância


Duas meninas gémeas nasceram sábado numa ambulância dos bombeiros de Santa Marinha do Zêzere, de pés para fora, a caminho do Hospital do Vale do Sousa, em Penafiel. Durante a madrugada, voluntários daquela corporação assistiram a mais um parto.


“É sempre um momento feliz, mas desta vez foi difícil porque eram gémeas e a mãe dizia que se tratava de uma gravidez de risco”, recorda Filipe Veríssimo, 24 anos, bombeiro que, com o colega Rui Frade, fez o parto das bebés.


O parto foi complicado porque as meninas nasceram de pés, mas quando chegaram as ambulâncias do INEM de Amarante da VMER do Vale do Sousa já havia vida a fervilhar.


No hospital de Penafiel, onde se encontram saudáveis as bebés Letícia e Beatriz, sente-se um ambiente de alegria. A mãe, Maria Helena Ribeiro, de 34 anos, sorri, bem disposta.» in http://www.jornalaberto.com/index.php?option=com_content&task=view&id=1922&Itemid=11
--------------------------------------------------------------------------------------------
De facto, Portugal vive num grande retrocesso civilizacional... estamos a regredir, mormente no que diz respeito ao interior do País... pobre Portugal!




(Bombeiros Santa Marinha do Zêzere)

O Meu Amigo Poeta, Ângelo Ochôa, supera-se novamente, com a apresentação do Poema de Maria: "Magnificat"



O Poema de Maria transcrito dito e gravado pelo como abortivo cristão
Manuel Ângelo Ochôa:


"MAGNIFICAT:


A minha Alma glorifica O Senhor
e o meu espírito se alegra em Deus Meu Salvador
porque pôs os olhos na humilhação da Sua serva;
de agora em diante todas as gerações me proclamarão Bem-Aventurada.
O Todo-Poderoso fez em Mim Maravilhas, Santo é Seu Nome.
Sua misericórdia estende-se geração após geração sobre aqueles que O temem.
Manifestou o Poder do Seu Braço e dispersou os soberbos.
Derrubou os poderosos dos seus tronos e exaltou os humildes.
Aos famintos cumulou de bens, aos ricos demitiu com as mão vazias.
Acolheu Israel, Seu servo, lembrado da Sua Misericórdia,
como havia prometido a Nossos Pais, a Abraão e à sua descendência
/para sempre.
Glória aO Pai aO Filho aO Espírito Santo, agora, sempre, Amém!"


(Maria, Mãe de Jesus)




"Maria, é silêncio de segredo Tua voz."


(Ângelo Ochôa, Poeta)


(O Poema de Maria transcrito, dito e gravado pelo como abortivo cristão Manuel Ângelo Ochôa)

Agro-Pecuária: A insuficiência de capitais próprios e as dificuldades de financiamento decorrentes da actual conjuntura económica podem ditar o encerramento de cerca de 110 empresas produtoras de ovos - num universo nacional próximo das 140!

O sector dos ovos, em Portugal, é liderado pela Zêzerovo, cujo volume de negócios ascendeu a 26,3 milhões de euros, em 2010.

«Quase 80% das produtoras de ovos em risco de fechar


O sector precisa de 75 milhões de euros para fazer face às novas regras de Bruxelas. O prazo de aplicação é Julho.


A insuficiência de capitais próprios e as dificuldades de financiamento decorrentes da actual conjuntura económica podem ditar o encerramento de cerca de 110 empresas produtoras de ovos - num universo nacional próximo das 140 - na sequência da obrigação de, até Julho próximo, serem adoptadas as regras comunitárias de bem estar dos animais em cativeiro (no caso, galinhas poedeiras).


Os números são da responsabilidade da Associação Nacional dos Avicultores Produtores de Ovos (ANAPO), cujo dirigente, Paulo Mota, admite não vislumbrar junto do Ministério da Agricultura qualquer possibilidade de contribuir para solucionar o problema. "Nem linhas de crédito bonificadas por um aval do Estado, nem a transferência de verbas comunitárias do programa PRODER: o Ministério não se compromete com nada", alerta Paulo Mota.


Mesmo assim, e uma vez que as negociações ainda não estão encerradas, a associação continua a acalentar esperança numa solução - que, defende, deveria passar preferencialmente pela alocagem ao sector de financiamento do PRODER. "Enviámos a última carta sobre a matéria no dia 28 de Dezembro do ano passado", mas entretanto a ministra da tutela, Assunção Cristas, remeteu o assunto para o secretário de Estado, Diogo Albuquerque, "que ainda não respondeu".» in


(Produção de Ovos)

Cidade de Bragança - «O nível da água nas albufeiras de Bragança é muito inferior à sua capacidade», lamenta o autarca, acrescentando que é preciso «assegurar o armazenamento da albufeira para o Verão, sobretudo se não chover em breve»!




«Bragança sem água das barragens


«Tivemos de mandar vir, em Outubro, camiões com cisternas de água do concelho mais próximo para abastecer as populações» – revela ao SOL o presidente da Câmara de Bragança, Jorge Nunes. Foi a solução encontrada para evitar que, com a falta de água existente na Barragem de Serra Serrada, no Alto Sabor, os habitantes ficassem sem água para consumo.


«O nível da água na represa é muito inferior à sua capacidade», lamenta o autarca, acrescentando que é preciso «assegurar o armazenamento da albufeira para o Verão, sobretudo se não chover em breve».


Em causa estão os níveis das chuvas, «quatro vezes inferiores aos do ano passado», naquele que se arrisca, a par de 2005 e 2007, a ser «o pior dos últimos 50 anos», diz ainda Jorge Nunes, garantindo que a situação está perto de se tornar «catastrófica».


Entretanto, para não estar sempre a ir buscar águra a outros concelhos, a autarquia resolveu recuperar a técnica já usada durante a seca de 2005. «Tivemos de encontrar outras linhas de água subterrâneas», explica Jorge Nunes, lembrando que «Bragança tem um problema estrutural de falta de albufeiras». Para abastecimento do concelho, garante, «é fundamental a construção de uma nova barragem no Alto Sabor» – um projecto antigo que tem esbarrado em problemas ambientais. «Agora, temos um novo projecto que está em discussão pública», conclui.


É que, além do abastecimento da população, estão em causa os campos agrícolas do distrito. Em Fevereiro, a autarquia vai avaliar a situação e definir as medidas a tomar. Também em Fevereiro uma comissão do Instituto da Água (IA) e de outras entidades vai reunir para avaliar a situação do país, adiantou ao SOL o presidente daquele organismo, Orlando Borges.


Com o país ainda em situação de seca ligeira, o responsável reconhece que «Bragança e a margem esquerda do Guadiana são as duas situações» que apresentam os maiores cuidados. No primeiro caso, explica, o problema deve-se sobretudo ao facto de o distrito ter «uma só albufeira com uma capacidade de armazenamento muito limitada».


No Alentejo, também a Barragem de Odivelas desperta alguma apreensão. «Admitimos, se houver necessidade, recorrer à Barragem do Alvito » – diz o presidente do IA, acrescentando que, apesar de a situação merecer «acompanhamento», por enquanto «não é necessário tomar medidas adicionais» (como restringir o usos da água nas barragens).


Este cenário de um «país vulnerável a períodos de seca» justifica o investimento («muitas vezes criticado») em infra-estruturas hidráulicas, defende Orlando Borges, garantindo que as albufeiras do país «têm capacidade para abastecer as populações durante dois a três anos», sem chuvas.


sonia.balasteiro@sol.pt» in http://sol.sapo.pt/inicio/Sociedade/Interior.aspx?content_id=40091


(Água em elemento essencial à vida)

29/01/12

Amarante - Procissão de São Gonçalo no inicio do Século XX!

Amarante sempre com São Gonçalo como grande referência...

Liga Zon/Sagres: Gil Vicente 3 vs F.C. do Porto 1 - Dragões perdem com muita... paixão!



«PAIXÃO DÁ GALO


O FC Porto perdeu este domingo por 3-1, no terreno do Gil Vicente, num encontro em que esteve abaixo do seu nível, mas em que também enfrentou uma estranha paixão do árbitro. Bruno de seu nome, o juiz ignorou dois penáltis a favor dos Dragões e um fora de jogo que daria origem ao segundo golo dos minhotos, entre outros erros menores, que tiveram a coincidência de ser desfavoráveis aos azuis e brancos.


Nada que possa surpreender os portistas, é certo, face ao historial do árbitro em causa, que se começou a notabilizar numa noite fria em Campo Maior, há 12 anos. O FC Porto encontrou um adversário aguerrido, que teve méritos e que fez deste o encontro da época. Defrontar o campeão fornece motivação extra e os Dragões estavam a um jogo de igualar a maior sequência sem derrotas de sempre na Liga. Ainda assim, foram 55 partidas sem perder, um número impressionante e que é recorde do clube.


A história da primeira parte conta-se em poucas linhas. O Gil Vicente abriu o marcador aos 15 minutos, por intermédio de Cláudio, que respondeu de cabeça a um livre de Richard. O golo surgiu no primeiro remate do desafio, num momento em que as equipas ainda procuravam “assentar” o jogo.


O tento ofereceu uma vantagem importante para os gilistas, que recuavam bastante no terreno, protegendo a sua área com muitos elementos. O FC Porto foi apertando cada vez mais o cerco à baliza do adversário, mas o melhor que conseguiu foram três remates sem pontaria, por intermédio de Alvaro, Maicon e Rolando.


Do lado contrário, o Gil Vicente foi bafejado pela sorte, com um penálti discutível por mão de Otamendi, que Bruno Paixão não hesitou em assinalar, e que originou o 2-0, em cima do intervalo. Em sentido inverso, há o lance em que Daniel atinge Defour, aos 25 minutos, mas que Bruno Paixão optou por deixar seguir. Tratou-se de um penálti claro, que poderia alterar o sentido do jogo, mas para Paixão parece valer tudo menos arrancar olhos. Pelo menos numa das áreas.


Ao intervalo, Vítor Pereira arriscou e fez sair Otamendi e Souza, entrando em campo Danilo e Belluschi. Os Dragões passaram a alinhar com apenas três defesas e pagaram o risco com o terceiro tento do Gil, aos 52 minutos. André Cunha partiu, ainda assim, de uma posição duvidosa. O FC Porto tinha uma montanha para superar.


A equipa não deixou de tentar essa missão hercúlea. Belluschi rematou com perigo aos 66 minutos e, especialmente, aos 73, quando ficou a centímetros do golo. Aos 77, o FC Porto reduziu a desvantagem, numa jogada entre Belluschi e Varela, que o português finalizou com precisão. Danilo e James tiveram ocasiões para fazer o segundo golo, que acabou por não surgir.


O Gil Vicente ainda contou com a cumplicidade de Paixão para múltiplas interrupções e entradas da maca em campo. Em cima dos 90, Varela cruzou para Kléber, num lance que não deu golo graças a uma defesa milagrosa de Adriano. Foi a última oportunidade que os Dragões tiveram para reentrar na discussão da partida e trazer pelo menos um ponto de Barcelos. O tempo, porém, não é de atirar a toalha ao chão.


FICHA DE JOGO


Gil Vicente-FC Porto, 3-1
Liga portuguesa 2011/12, 17.ª jornada
29 de Janeiro de 2012
Estádio Cidade de Barcelos


Árbitro: Bruno Paixão (AF Setúbal)
Assistentes: António Godinho e Paulo Ramos
Quarto árbitro: Vasco Santos


GIL VICENTE: Adriano Facchini; Daniel (cap.), Halisson, Cláudio e Júnior Caiçara; Luís Manuel, Pedro Moreira e André Cunha; Rodrigo Galo, Hugo Vieira e Richard
Substituições: Richard por Guilherme (77m), André Cunha por Mauro (83m) e Rodrigo Galo por Tó Barbosa (86m)
Não utilizados: Jorge Batista, Yero, Paulo Lima e Roberto
Treinador: Paulo Alves


FC PORTO: Helton; Maicon, Otamendi, Rolando (cap.) e Alvaro; Souza, João Moutinho e Defour; Varela, Kléber e James
Substituições: Otamendi por Danilo (46m), Souza por Belluschi (46m) e Defour por Cristian Rodríguez (73m)
Não utilizados: Bracali, Mangala, Iturbe e Vion
Treinador: Vítor Pereira


Ao intervalo: 2-0
Marcadores: Cláudio (15m e 45m+1), André Cunha (52m) e Varela (77m)
Disciplina: cartão amarelo para Otamendi (45m), Defour (45m+2), Rolando (61m), Belluschi (81m) e Mauro (89m).» in http://www.fcporto.pt/Noticias/Futebol/noticiafutebol_futgilvicentefcpcro_290112_66563.asp


2012.01.29 (19h15) - Gil Vicente 3-1 FC Porto

F.C. do Porto Sub-19: F.C. do Porto 3 vs Feirense 0 - Jovens Dragões terminaram em primeiro lugar e vão agora defender o título de campeão na fase final!



«FC PORTO TERMINA PRIMEIRA FASE DE JUNIORES NA FRENTE


O FC Porto venceu o Feirense por 3-0 em jogo da 22.ª e última jornada da primeira fase do campeonato nacional de juniores. Os jovens Dragões terminaram em primeiro lugar e vão agora defender o título de campeão na fase final.


A figura do jogo foi o médio ofensivo Tozé, autor de dois golos. Primeiro, aos 15 minutos, abriu o marcador, e depois, aos 79, fechou a contagem. Pelo meio, Fred, aos 27 minutos, fez o segundo golo.


O FC Porto terminou esta fase distanciado na frente, com 55 pontos, mais 19 do que o segundo, o Braga. Na zona Norte classificaram-se também Guimarães e Nacional. Na zona Sul apuraram-se Sporting, Benfica, Setúbal e Leiria.» in http://www.fcporto.pt/Noticias/Formacao/noticiaformacao_futjunfcpfeirense_280112_66551.asp

Amarante - Ocaso em Chão, Fregim, em dias maiores, do fim deste Janeiro frio e Soalheiro!

DSCF2180


Ocaso em Chãos, Fregim, Amarante, agora que os dias começam a crescer... ainda bem!

28/01/12

F.C. do Porto Basquetebol: F.C. do Porto Ferpinta 72 vs Lusitânia 51 - Dragões somam e seguem na frente sempre a vencer!

«LAR, DOCE LAR


Depois de seis jogos e dois meses de ausência, o regresso a casa, de tão fácil e doce, proporcionou o repouso da equipa e a impaciência do treinador. Ainda que demasiado tranquila e merecedora de vários reparos de Moncho López, a exibição diante do Lusitânia revelou-se suficiente para compor uma diferença acima dos 20 pontos (72-51) e distinguir Rob Johnson como MVP.


Mesmo nas ausências de Stempin e Marçal, ambos lesionados, o campeão foi igual a si próprio. Para o bem e para o mal. Rápido e intenso na entrada, mas excessivamente relaxado mais adiante, enquanto lidava com os efeitos produzidos durante o primeiro estado, que lhe garantiu uma vantagem de 16 pontos ao final do período inicial.


A certeza do controlo absoluto do jogo não gerou mais do que uma quebra acentuada da produtividade atacante e a soma de dois pontos ao longo de toda a primeira metade do segundo quarto, o que provocou o primeiro sinal de irritação de Moncho López e o inadiável pedido de desconto, que travou a contagem decrescente da vantagem portista.


Apesar de insuficiente para garantir a reconciliação com o técnico galego, a segunda parte recuperou a normalidade, acelerada por três triplos de Diogo Correia e a eficácia de Rob Johnson, que mantiveram as distâncias acima da fasquia dos 20 pontos. A diferença resistiu, inclusive, à rotatividade profunda do plantel, que não permitiu a nenhum dos 11 utilizados atingir os 30 minutos em jogos.


Com 15 pontos, 7 ressaltos e 4 assistências, Johnson distinguiu-se como o MVP da partida, que terminou com João Soares à beira de um duplo-duplo (11 pontos e 9 ressaltos) e no ponto exacto de uma boa exibição.


No final, durante a conferência de imprensa, Moncho López disse precisamente o que os seus gestos pressagiaram durante o encontro. “Vou para o balneário frustrado e chateado”, assumiu, ainda visivelmente desagradado com o desempenho da equipa e mesmo reconhecendo a atenuante das “dificuldades de leitura” provocadas pelo adversário.


FICHA DE JOGO


Campeonato da Liga, 14.ª jornada
28 de Janeiro de 2012
Dragão Caixa, no Porto
Assistência: 730 espectadores


Árbitro principal: Nuno Monteiro
Árbitros auxiliares: Pedro Maia e Jorge Cabral


FC PORTO FERPINTA (72): Reggie Jackson (6), Carlos Andrade (11), João Santos (5), Miguel Miranda (8) e Rob Johnson (15); Diogo Correia (9), João Soares (11), David Gomes (2), José Costa (3), André Boavida (2),Eduardo Guimarães (0)
Treinador: Moncho López


LUSITÂNIA (51): Ricky Franklin (16), Augusto Sobrinho (0), Mohamed Camara (14), Brian Mills (7) e Marcel Monplaisir (7); Brice Fantazia (7), Carlos Dias (0)
Treinador: Nuno Barroso


Ao intervalo: 35-20
Por períodos: 22-6, 13-14, 18-12 e 19-19» in http://www.fcporto.pt/OutrasModalidades/Basquetebol/Noticias/noticiabasquetebol_basfcplusitania_280112_66547.asp

F.C. do Porto Andebol - São Bernardo 22 vs F.C. do Porto Vitalis 33 - Dragões vencem em Guimarães de forma esmagadora!




«FC PORTO NA "FINAL FOUR" DA TAÇA DE PORTUGAL


O FC Porto garantiu este sábado o apuramento para a "final four" da Taça de Portugal, ao bater o S. Bernardo por 33-22, em jogo dos quartos-de-final. Ao intervalo, os Dragões venciam 17-14.


O jogo, disputado no Pavilhão do S. Bernardo, foi sempre dominado pelo FC Porto, que desde o arranque fizeram valer a força no ataque, acabado com 33 golos, número inalcancável para os aveirenses.


Gilberto Duarte, com 11 golos, foi a grande figura da partida, num jogo em que também se destacaram Pedro Spínola (cinco golos) e Tiago Rocha (quatro).


As outras equipas apuradas para a fase decisiva são o Sporting, o Madeira SAD e o Belenenses.» in http://www.fcporto.pt/OutrasModalidades/Andebol/Noticias/noticiaandebol_andfcpsbernanrdo_280112_66555.asp

F.C. do Porto Hóquei Patins: Oliveirense 2 vs F.C. do Porto Império Bonança 5 - Dragões continuam a vencer, mantendo-se igualmente na liderança!



«DRAGÕES “ROLARAM” EM OLIVEIRA DE AZEMÉIS


O FC Porto Império Bonança continua 100 por cento vitorioso no campeonato nacional, em que é líder incontestado. No difícil rinque da Oliveirense, em encontro da 13.ª jornada, os Dragões venceram por 5-2, graças a golos de Caio, que “bisou”, Pedro Moreira, Tiago Santos e Reinaldo Ventura. Os azuis e brancos lideram a prova com 39 pontos.


Os Dragões entraram muito bem no jogo, não dando hipóteses ao adversário. Caio abriu o marcador logo aos três minutos e Pedro Moreira fez o 0-2 aos nove. A 30 segundos do intervalo, Tiago Santos fez o 0-3. Na segunda parte, a equipa da casa procurou reagir, mas seria Reinaldo Ventura a fazer o 0-4, aos 31 minutos. A Oliveirense ainda reduziu para 2-4, mas seria Caio a fechar a contagem, em cima do apito final.


No final, o treinador Tó Neves analisou a partida: “Fomos uma equipa competente e dominámos todos os momentos do jogo. A partir do 1-4 sentimos algumas dificuldades, e a Oliveirense conseguiu marcar de novo. É curioso que tenhamos feito o dobro das faltas... Foi um jogo bem conseguido, fomos solidários e dominámos do princípio ao final. A segunda parte foi mais difícil pela nossas falhas na concretização. Agora vamos ter uma semana para preparar o jogo com o Benfica”.


O FC Porto Império Bonança alinhou e marcou: Edo Bosch (g.r.), Pedro Moreira (1), Reinaldo Ventura (1), Caio (2) e Pedro Gil. Jogaram ainda: Filipe Santos, Gonçalo Suíssas e Tiago Santos (1).» in http://www.fcporto.pt/OutrasModalidades/HoqueiPatins/Noticias/noticiahoquei_hoqoliveirensefcp_280112_66543.asp

Música Pop/Rock - "The The", mais um grupo da mítica era dos 80!





The The - "Slow Emotion Replay"

The The - "This is the day"

The The - "The Beat(en) Generation"

The The - "The Sinking Feeling"
THE THE - "Slow Train To Dawn"
The The - "Armageddon Days are Here" - (Again)
The The - "Good Morning Beautiful"
The the - "Sweet bird of truth"

The the - "Angels of deception"
The The - "Uncertain Smile"
The The - "Perfect"

The The - "Love Is Stronger Than Death"

The The - "Infected"

«The The
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


The The
Informação geral
Origem Inglaterra
País Reino Unido
Gêneros New Wave, alternativa
Período em atividade 1979 - presente
Gravadora(s) 4AD
Some Bizzare Records
Interscope Records
Integrantes
Matt Johnson, Eric Schermerhorn e Earl Harvin
Ex-integrantes
Johnny Marr
Keith Laws
James Eller
D.C. Collard
Dave Palmer
Eric Schermerhorn
Earl Harvin
Jim Fitting
The The é um grupo de música e multimedia Inglês que existe desde 1979 em várias formas, sendo Matt Johnson o único membro constante da banda. Os The The não lançam álbuns com muita regularidade mas ao longo dos anos já venderam vários milhões de discos pelo mundo fora.
Dada a época em que surgiram os The The o grupo está classificado no artigo em Inglês como New Wave mas quanto a estilos deambulou muito, de músicas psicadélicas no "Burning Blue Soul" a Synthpop no Soul Mining, a músicas inclassificáveis nesse e noutros discos a rock no NakedSelf. Talvez por isso o Matt Johnson e os The The não são habitualmente referidos como elementos importantes da história de qualquer movimento musical. Os sucessos de venda não foram tão estrondosos que os tornassem incontornáveis na história da industria discográfica. Mas a inteligente abordagem de Matt Johnson à composição; o seu trabalho que é resultado genuíno da sua observação perspicaz de si próprio e do mundo, não algo plástico para se moldar à moda do momento; a profundidade e intensidade da sua obra; o enorme talento que ele e outros membros do grupo demonstraram fazem de The The uma referência essencial do século XX e início do XXI.


Índice [esconder]


1 História
2 Membros
2.1 Membros actuais
2.2 Membros do passado
3 Discografia
4 Singles
5 Ligações externas


[editar]História


Johnson criou a primeira versão da banda em 1979, com o teclista Keith Laws. O grupo, depois de tocar na abertura de um concerto dos Scritti Politti, lançou o primeiro single "Controversial Subject", editado pela 4AD em 1980. Um ano depois contribuíu com uma música para a compilação "Some Bizarre Album da editora Some Bizarre Records .
Em 1981 Johnson lançou o disco "Burning Blue Soul" que, apesar de ser tecnicamente um disco a solo do Matt Johnson (e foi lançado em seu nome), é frequentemente considerado o primeiro álbum de The The. No disco participaram Matt Johnson e vários músicos underground britânicos, incluindo membros dos Wire.
Em 1982 The The tinha-se tornado um projecto a solo de Matt Johnson, variando os outros músicos. Nesse ano foi gravado o álbum The Pornography of Despair mas não lançado.
Em 1983 a banda lançou o álbum Soul Mining incluindo o single "This Is the Day", gravado com o Zeke Manyika da Orange Juice's , o pianista Jools Holland e a lenda de culto Thomas Leer.
O álbum seguinte da banda, Infected, foi em parte um resultado da análise do estado da vida urbana moderna na Grã-Bretanha. O álbum foi lançado em 1986, com Johnson e músicos como Neneh Cherry, Art of Noise's Anne Dudley, Steve Hogarth (vocalista dos Marillion desde 1989) e Roli Mosimann dos Swans', entre outros. Foi acompanhado de um VideoCD com telediscos de todas as músicas e deu origem ao primeiro single de sucesso na Grã-Bretanha: "Heartland".
The The tinha novamente elementos estáveis quando foi lançado o seguinte álbum, Mind Bomb, em 1989, com o Matt Johnson, a cantora irlandesa Sinéad O'Connor, o guitarrista ex-Smiths Johnny Marr, o baixista James Eller e o baterista ex-ABC Dave Palmer. Dele foi extraido um single de sucesso moderado na Grã-Bretanha: "The Beat(en Generation".
Os mesmos elementos criaram o seguinte álbum Dusk, lançado em 1993, que originou 3 singles de sucesso: "Love Is Stronger Than Death", "Slow Emotion Replay", e "Dogs of Lust".
Com uma nova formação, em 1995, foi lançado o álbum Hanky Panky, que foi um disco de interpretações de originais do músico coutry Hank Williams, tendo umas música mais do que outras sido transformadas em rock; dele resultou mais um single de sucesso: "I Saw the Light". A banda era então constituída por Matt Johnson, guitarrista Eric Schermerhorn, keyboardista D.C. Collard, harmonica por Jim Fitting e o baterista Brian MacLeod.
Já depois do Collard abandonar a banda saiu o álbum NakedSelf em 2000.
[editar]Membros


[editar]Membros atuais


Matt Johnson - vocalista, baixo, guitarra
Eric Schermerhorn - guitarras
Earl Harvin - baterista
[editar]Membros do passado
Johnny Marr - guitarra (1988–1994) (ver The Smiths)
J. G. Thirlwell - Cassetes, samples, percurssão (1979–2006) (ver Foetus)
Jools Holland - Piano (1982)
Steve Hogarth - Piano (1986)
Thomas Leer - teclados (1979–1983)
Sinéad O'Connor - vocalista (1988–1989)
Neneh Cherry - vocalista (1985–1986)
Anna Domino - vocalista (1985–1986)
James Eller - baixo (1988–1994)
Gail Ann Dorsey - baixo (1994–1996)
Dave Palmer - baterista (1988–1994) (ver ABC)
Keith Laws - teclados
D.C. Collard - teclados (1991–1997)


[editar]Discografia


Spirits (1979) (Unreleased)
Burning Blue Soul (1981)
Soul Mining (1983)
Infected (1986)
Mind Bomb (1989)
Dusk (1992)
Solitude (1993)
Hanky Panky (1995)
Gun Sluts (1997) (Unreleased)
NakedSelf (2000)
45 RPM (2002)
London Town Box Set (2002)
O grupo mudou da editora Sony para a Interscope com o disco NakedSelf.


[editar]Singles


Ano Titlo Posição na tabela Album
US Hot 100 US Modern Rock US Mainstream Rock UK
1980 Controversial Subject - - - - -
1981 Cold Spell Ahead - - - - -
1982 Uncertain Smile - - - #68 Soul Mining
1983 Perfect - - - - Soul Mining
1983 This Is the Day - - - #71 Soul Mining
1986 Heartland - - - #29 Infected
1986 Infected - - - #48 Infected
1987 Slow Train To Dawn - - - #64 Infected
1987 Sweet Bird Of truth - - - #55 Infected
1989 The Beat(en) Generation - #13 - #18 Mind Bomb
1989 Armageddon Days Are Here (Again) - - - - Mind Bomb
1989 Gravitate to Me - #15 - - Mind Bomb
1989 Kingdom of Rain - #16 - - Mind Bomb
1990 Jealous of Youth - #7 - - Solitude
1991 Shades Of Blue EP - - - - -
1993 Dogs of Lust - - - #25 Dusk
1993 Slow Emotion Replay - - - #35 Dusk
1993 Love Is Stronger Than Death - - - #39 Dusk
1994 Dis-Infected EP - - - #17 -
1995 I Saw the Light - - - #31 Hanky Panky
1999 Shrunken Man - - - - Naked Self


[editar]Ligações externas


Sítio oficial
True Happiness This Way Lies
The Ultimate The The Discography» in http://pt.wikipedia.org/wiki/The_The


"Slow Emotion Replay
The The


The more I see the less I know about all those thing I thought were wrong
or right or carved in stone. So don't ask me about war, religion or God,
love, sex or death because


Chorus
Everybody knows what's going wrong with the world
I don't wanna even know what's going on in myself
X2


Ya gotta work out your own salvation with no explaination.
To this earth we fall. On hands and knees we crawl.
And we look up to the stars and reach out and pray to a deaf, dumb and
blind God who never explains.


Chorus


Lord I've been here for so long
I can feel it comin´ down on me
I'm just a slow emotion replay of somebody
I used to be"

Desporto Natação - José Alexandre Silva, treinador principal da natação portista e Dragão de Ouro, foi reconhecido pela Federação Portuguesa de Natação como "treinador de mérito"!



«JOSÉ ALEXANDRE SILVA DISTINGUIDO COMO "TREINADOR DE MÉRITO"


José Alexandre Silva, treinador principal da natação portista e Dragão de Ouro, foi reconhecido pela Federação Portuguesa de Natação como "treinador de mérito". Esta distinção é atribuída pela federação a técnicos de grau máximo (IV), em função do seu elevado currículo académico e desportivo.


O galardão atribuído ao técnico portuense, natural de Massarelos, reconhece os contributos importantes prestados à natação portuguesa e portista. Entre outros feitos, a equipa feminina do FC Porto é, actualmente, tetracampeã nacional de clubes.» in http://www.fcporto.pt/OutrasModalidades/Natacao/Noticias/noticianatacao_natjosealexandresilvapremiado_270112_66531.asp


(Reportagem Azul e Branco - Porto Canal)

27/01/12

Desporto Motociclismo - Cyril Despres passou por Portugal para agradecer a ajuda de Ruben Faria, que fez dupla com o francês, e realçou que o piloto algarvio foi determinante para conquistar o seu quarto Dakar!

Cyril veio a Portugal agradecer ajuda de Ruben Faria


«Cyril veio a Portugal agradecer ajuda de Ruben Faria


O francês ganhou o seu quarto Dakar e não esqueceu o papel que o português teve em mais uma conquista.


Cyril Despres passou por Portugal para agradecer a ajuda de Ruben Faria, que fez dupla com o francês, e realçou que o piloto algarvio foi determinante para conquistar o seu quarto Dakar.


«Estou aqui pelo Ruben, porque se hoje o Dakar é uma competição individual, a vitória é de uma equipa. Tentamos em cima da mota escolher as melhores pistas e não cometer erros, mas é sempre confortante saber que temos alguém atrás de nós que nos ajudará se acontecer algo», disse o piloto da KTM, que contou que quer oferecer o troféu deste ano ao português.
«Penso pedir uma réplica do troféu e deixar esta aqui, em Lisboa, com o Ruben.»


Despres adiantou ainda que Ruben Faria continuará a ser o mochileiro para 2013.


«Quando ganhamos isso nem se pergunta. A equipa vai manter-se. O trabalho está feito e muito bem feito, mas agora é altura de gozar umas merecidas férias.»


Um dos episódios mais comentados neste Dakar foi o alegado abandono de Despres a Paulo Gonçalves e o francês fez questão de explicar o que se passou, garantindo que ficou tudo resolvido com o piloto da Husqvarna.


«Sei que houve comentários que não foram muito positivos, mas imagens que passaram não mostram tudo. Depois de o Paulo me ajudar a sair, havia pilotos que estavam prontos para ajudar o Paulo e o Ruben também estava para chegar. Não deixei o Paulo na lama a morrer. É verdade que perdi um pouco a cabeça, pois sabia que estava a perder o Dakar, mas no posto de reabastecimento agradeci ao Paulo a ajuda que me deu.» in http://desporto.sapo.pt/motores/artigo/2012/01/27/cyril_veio_a_portugal_agradecer_.html


(Cyril Despres passou por Portugal para agradecer a ajuda de Ruben Faria, que fez dupla com o francês, e realçou que o piloto algarvio foi determinante para conquistar o seu quarto Dakar.)

Ambiente e Ecologia - Mais uma descarga no Rio Sousa, hoje pelas 8h da manhã era este o cenário em Alvre, Aguiar de Sousa!

Imagem Activa
«Rio Sousa

Mais uma descarga no Rio Sousa, hoje pelas 8h da manhã era este o cenário em Alvre, Aguiar de Sousa.


Aqui ficam mais uma fotos no nosso RIO SOUSA junto à Ponte em Alvre tiradas hoje pelas 9h20.


Como é possivel isto continuar, e as nossas autoridades continuam serenas.
Mas eu não me calo, vou e irei continuar a denunciar tal crime...» in http://www.jornalaberto.com/index.php?option=com_content&task=view&id=1916&Itemid=11



 (Continua a impunidade a abalar a ecologia dos nossos rios...)
--------------------------------------------------------------------------------------------------
Parabéns ao Hélder Costa que não assiste impávido e sereno a crimes ambientais...

“ O Bode Ranhoso do Marão® „: CHORA




“ O Bode Ranhoso do Marão® „: CHORA: Este poema pertence ao autor Bode Ranhos do Marão - (Todos os direitos reservados)

26/01/12

Música Portuguesa - Quinteto Académico, um grupo importante na música portuguesa, dos anos 70!




Quinteto Academico - "Train"

Quinteto Académico - "Abdulah"
«Quinteto Académico


Biografia


Era um grupo de cinco músicos com muito boa vontade mas técnicamente com carências. A formação original era constituída por Daniel Gouveia (piano), Mário Assis Ferreira (viola eléctrica), Artur Pinto (bateria), José Manuel Fonseca (clarinete) e José Augusto Duarte (contrabaixo). [1]
Participam na banda sonora do filme "Domingo à Tarde" (1965) de António de Macedo. A banda sonora do filme "Sete Balas para Selma", do mesmo realizador, era composta por canções com letra do poeta Alexandre O'Neill musicadas pelo Quinteto Académico (grupo popularizado por temas românticos) e cantadas por Florbela Queiroz. [1]
O Quinteto Académico participou no primeiro Festival de Vilar de Mouros, que decorreu nos dias 3 e 4 de Agosto de 1968 no Campo do Casal. [1]
Por volta de 1968, dá-se uma grande reviravolta na banda ficando apenas José Manuel Fonseca e entrando para o grupo Pedro Osório (teclas), o belga Adrian Ransy (bateria), o luso-francês Jean Sarbib (baixo) e Carlos Carvalho (guitarra). Mário Assis Ferreira passou a ser o agente artístico do Quinteto Académico. [1]
Pedro Osório e Jean Sarbib saem e dá-se a entrada de 4 novos elementos: o teclista inglês Mike Carr; o norte americano Earl Jordan como vocalista; um trompetista sul africano e o guitarrista escocês Mike Seargent (ex-Marmalade). A formação ficou então com 7 elementos e o grupo passou a designar-se Quinteto Académico + 2.[1]
Dany Silva (ex-Charruas) também fez parte do grupo QA+2.[1]
As compilações "Portugal Deluxe", editadas em 1997 e 1998, incluem vários temas do grupo: "I've got my mojo working", "Abdulah" , "Papa's got a brand new bag" e "Judy In Disguise".[1]
[editar]Discografia


(incompleta)
Quinteto Académico
Watcha - AVDD - 1965 [Watcha / Let Kiss / Abdulah / Michael
Reach Out I´ll Be There - 1966 - AVDD 7LEM 3178 [Winchester Cathedral/Nobody Else/Reach Out I'll Be There/ I've Got My Mojo Working] - 3178
Train - AVDD [Puppet On A String / Train / Finchley / 724710] - 3189
Quinteto Académico +2
Don't Mind / Judy In Disguise - MQ 228 - 1968
Why / Klaundyke Wood - AVDD MQ 229
Love Love Lovermen - AVDD
[editar]Curiosidades


Mário Assis Ferreira é o administrador do Casino Estoril. [1]
Adrien foi músico de orquestras de jazz na Bélgica
Jean (Saheb) Sarbib é baixista de jazz tendo-se radicado nos EUA.
Mike Seargent tocou em grupos como o Quarteto 1111 e os Gemini. [1]
Adrian e José Manuel Fonseca tocaram no Conjunto Académico João Paulo, mas saíram pouco tempo depois devido a incompatibilidades musicais.
[editar]Ligações externas


http://www.geocities.com/vilardemouros1971

Desporto Futebol - Eusébio confessou que não fez tudo o que estava ao seu alcance no jogo Beira-Mar vs Benfica de 1977... como é linda a verdade desportiva a Sul...




«Eusébio recorda o dia em que fingiu ter jogado contra o Benfica


"Já tinha avisado o treinador do Beira-Mar que não ia rematar à baliza. Andava lá no campo só a passar a bola aos outros", confessa a propósito desse jogo de 1977.


A 5 de janeiro de 1977, Eusébio defrontou o Benfica pela primeira e única vez na carreira, ao serviço do Beira-Mar. O Pantera Negra recorda esse dia em entrevista à RTP, que passa esta quarta-feira, às 21 horas. E confessa que não fez tudo o que estava ao seu alcance. Muito longe disso...


"Já tinha avisado o treinador do Beira-Mar, o Manuel de Oliveira, que não ia rematar à baliza. 15 minutos antes do jogo fui ao balneário do Benfica e avisei para que não se preocupassem, pois não ia marcar golos".


E assim foi. "Não rematei, não marquei faltas nem grandes penalidades... andava lá no campo só a passar a bola aos outros. E nesse ano o Beira-Mar ganhou ao Sporting e o Benfica foi campeão", recorda.» in http://relvado.aeiou.pt/benfica/eusebio-recorda-dia-que-fingiu-ter-jogado-contra-benfica-332721
------------------------------------------------------------------------------------------
Como desportista e amante de futebol inveterado, simpatizo e respeito muito a memória desportiva do grande Eusébio. Como ser humano também o aprecio, enquanto ser simples e humilde... mas já não posso dizer o mesmo de muitos que o rodeiam e que querem, a todo o custo, brilhar à sua sombra.

Mas, como está na moda toda a gente dizer bem de Eusébio, eu queria fazer aqui alguns reparos, até porque ontem o serviço público de televisão só falava de Eusébio, o que considero um exagero, num País em que, por exemplo, aquando de morte de Júlio Resende, apenas vimos a RTP dar a notícia de passagem... mas, pronto, é o país que temos...

Vamos à entrevista: O Eusébio só veio na sua simplicidade, confirmar o que sabíamos sobre a verdade desportiva em Portugal, no tempo da outra senhora... é normal um jogador dizer que não fez nada para marcar um golo ao Benfica... onde parava a verdade desportiva... e o Beira-mar foi respeitado... e os senhores da RTP acharam piada... é normal, o Eusébio, visto como uma figura de referência do futebol português, destilar ódio contra o Sporting e ao F.C. do Porto... enfim, a culpa não é tua grande Eusébio!

E um certo papagaio que foi locutor de rádio, anos a fio, sempre com muita independencia... claro está, a dizer que, para ele, o Eusébio era mais importante que o Natal... ridiculos...


Eusébio e o jogo combinado contra o Benfica - (Beira-Mar 1976/77)

(Rui Tovar: A passagem de Eusébio pelo Beira-Mar)

Espaço - No dia 25 de janeiro, a Agência Espacial Norte-americana divulgou a mais nítida fotografia alguma vez tirada do nosso planeta!

NASA divulga melhor imagem da Terra


«NASA divulga melhor imagem da Terra

A melhor fotografia de sempre do planeta Terra foi divulgada pela NASA. Trata-se da 'Blue Marble' com a mais alta definição alguma vez obtida.


No dia 25 de janeiro, a Agência Espacial Norte-americana divulgou a mais nítida fotografia alguma vez tirada do nosso planeta.


Trata-se de uma imagem com grande resolução, intitulada "Blue Marble". Esta corresponde à fotografia da superfície da Terra deste ano, captada no dia 4 de janeiro pelo satélite Suomi NPP. Segundo a agência, esta é a imagem em mais alta definição já feita da Terra.


A Blue Marble deste ano superou as versões anteriores, tiradas pela Nasa desde 1972, quando a imagem foi capturada durante a missão da Apollo 17.» in http://tvnet.sapo.pt/noticias/detalhes.php?id=70576


(Planeta Terra: Imagens vista do satélite)

Desporto Futebol - O ex-capitão do FC Porto Vítor Baía foi considerado o melhor guarda-redes português dos últimos 25 anos, e 15.º de todo o mundo, num “ranking” elaborado pela Federação Internacional de História e Estatística do Futebol (IFFHS)!




«VÍTOR BAÍA É O MELHOR GUARDIÃO PORTUGUÊS DOS ÚLTIMOS 25 ANOS


O ex-capitão do FC Porto Vítor Baía foi considerado o melhor guarda-redes português dos últimos 25 anos, e 15.º de todo o mundo, num “ranking” elaborado pela Federação Internacional de História e Estatística do Futebol (IFFHS). O guardião conseguiu 94 pontos, numa classificação liderada pelo italiano Gianluigi Buffon (226 pontos).


Na lista, que toma em consideração as classificações anuais da IFFHS para o melhor guarda-redes entre 1987 e 2011, constam ainda o polaco Jozef Mlynarczyk (campeão europeu pelo FC Porto em 1987), no 82.º lugar, e o brasileiro Helton, em 122.º.


Vítor Baía, considerado pela UEFA o melhor guarda-redes da época 2003/04 a nível de clubes, vai voltar a vestir a camisola do FC Porto para integrar a Liga Fertiberia, prova de futebol “indoor”. Os Dragões estreiam-se a 3 de Fevereiro, no Dragão Caixa, frente ao Sporting de Gijón.» in http://www.fcporto.pt/Noticias/Futebol/noticiafutebol_futvitorbaiaiffhs_250112_66470.asp


(VÍTOR BAÍA - SIMPLY THE BEST)

(Vítor Baía)

(Vitor Baía - Grandes Defesas)

Espaço - A maior tempestade solar desde 2005, que se tornou visível na terça e quarta-feira, com o aparecimento de auroras boreais, é um fenómeno “regular, perfeitamente normal”, disse o diretor do Observatório Astronómico de Lisboa (OAL)!




«Maior tempestade solar desde 2005 é um fenómeno regular


A maior tempestade solar desde 2005, que se tornou visível na terça e quarta-feira, com o aparecimento de auroras boreais, é um fenómeno “regular, perfeitamente normal”, disse o diretor do Observatório Astronómico de Lisboa (OAL).


“O sol tem um ciclo de atividade de 11 anos. Passámos por um mínimo há dois ou três anos e agora a atividade está a subir. É uma coisa regular, perfeitamente normal. Que ninguém esteja preocupado com 2012, porque senão tinham de se preocupar com 2011 (…) e todos os anos para trás. Esta é a história do planeta”, afirmou Rui Jorge Agostinho.


Segundo a agência espacial norte-americana (NASA), o Sol entrou em erupção no domingo, libertando uma carga anormal de partículas, como protões, na direção da Terra.


Na terça-feira, o site da agência espacial referia que esta nuvem de radiação estava a deslocar-se a uma velocidade 2.250 quilómetros por segundo e deveria atingir o escudo magnético da Terra entre as 14:00 e as 22:00 de terça-feira.


“Há três efeitos possíveis. Um deles já começou a ser visível que é o aparecimento de auroras boreais com maior intensidade”, indicou Rui Jorge Agostinho.


Segundo o diretor do Observatório Astronómico de Lisboa em Portugal este tipo de fenómenos já foi visível.


“Fale com os nossos avós, décadas de 30, e creio que há registos de nessa altura terem sido vistas auroras boreais aqui em Portugal. Não sei dizer o ano, mas já falei com pessoas que indicaram que nessa época foi visível”, disse.


Rui Jorge Agostinho diz também que este tipo de fenómenos pode provocar efeitos “sobre os satélites que estão a gravitar em torno da terra”.


“Como estamos a falar de partículas muito energéticas quando embatem nos sistemas eletrónicos, apesar do satélite estar protegido, induzem correntes espúrias e podem estragar os componentes eletrónicos e por causa disso as agências espaciais costumam desligar os satélites”, explicou.


De acordo com o diretor do Observatório Astronómico de Lisboa, “o terceiro aspeto tem a ver com a alteração do campo elétrico terrestre”.


“Como é que isto perturba. Perturba essencialmente as linhas de alta tensão, mas aqui estamos a falar de valores que as nossas linhas, as linhas da Rede Elétrica Nacional, não utilizam. Estamos a falar de cerca de 400.000 volts. Há umas até com 500.000 volts”, indicou, sublinhando que quando as centrais elétricas não estão preparadas podem “ir abaixo”.


@Agência Lusa» in http://noticias.sapo.pt/internacional/artigo/maior-tempestade-solar-desde-200_2368.html




«Tempestades solares


Nem todos os efeitos da actividade solar são nocivos. Um deles, belo e espectacular, são as auroras boreais, luzes coloridas que surgem nos céus de regiões relativamente próximas do pólo Norte. Normalmente, as auroras boreais são esverdeadas pois os átomos de oxigénio das altas camadas atmosféricas emitem luz verde, ao serem excitados pelos eléctrodos de alta velocidade do vento solar. Quando a tempestade é forte para valer, camadas mais baixas da atmosfera são atingidas pelo vento solar e a aurora boreal pode vermelha, cor da luz emitida por átonos excitados de nitrogénio, outro constituinte de nossa atmosfera. Além disso, nesse caso as auroras boreais podem ser vistas mesmo a latitudes bem menores, mais próximas do equador. O Fênomeno das Auroras é visível na Terra e em todos os planetas gasosos do Sistema Solar. Na Terra elas ocorrem ao longo de todas as chamadas "zonas aurorais", regiões em forma de anel que circundam os pólos geomagnéticos Norte e Sul. Estas zonas aurorais, onde os observadores terrestres podem ver a aurora em sua actividade máxima, estão localizadas em latitudes de 67º Norte e Sul, e tem, aproximadamente, 6 graus de largura. Quanto mais ao Norte ou ao Sul estivermos maior é a chance de ver uma aurora. O Norte da Europa, em particular, Norte da Noruega e da Finlândia, são excelentes locais para observação de auroras. O Alasca também é outro bom lugar, em particular a cidade de Fairbanks. As auroras podem ser observadas nas camadas mais elevadas da atmosfera, nas proximidades dos pólos Norte e Sul da Terra. É um belo espectáculo de luz e cores na atmosfera à noite. A que ocorre no pólo Norte recebe por nome de aurora boreal, a do pólo Sul é conhecida como aurora austral. Elas formam no céu uma luminosidade difusa, que pode ser vista quando o sol está em baixo no horizonte. O Sol emite uma grande quantidade de partículas electricamente carregadas, prótons e elétrons, que caminham em todas as direcções. Esse fluxo de partículas recebe o nome de vento solar. Ao atingir as altas camadas da atmosfera da Terra, essas partículas electrizadas são capturadas e acelaradas pelo magnetismo terrestre, que é mais intenso nas regiões polares. Essa corrente eléctrica colide com átomos de oxigénio e nitrogénio - num processo semelhante à ionização de gases que faz acender o tubo de uma lâmpada florescente. Esses choques produzem radiação em diversos comprimentos de onda, gerando assim as cores características da aurora, em tonalidades fortes e cintilantes que se estendem por até 2000 quilómetros. Enquanto a luz emitida pelo nitrogénio tem um tom avermelhado, a do oxigénio produz um tom esverdeado ou também próximo do vermelho.As auroras polares podem surgir em forma de manchas, arcos luminosos, faixas ou véus. Umas têm movimentos suaves, outras pulsam. Sempre em alturas de cerca de 100 quilómetros de altitude. Quanto mais próximo o observador estiver dos pólos magnéticos, maior a chance de ver o fenómeno. O campo magnético da Terra nos protege das partículas presentes no vento solar, que viajam a 400 Km/s. Se não fosse esse campo, teríamos sérios problemas de saúde, pois seríamos atingidos por essas partículas.A região mais activa de uma aurora fica visível normalmente ao redor da meia-noite local. Elas são relativamente imprevisíveis; devido às perturbações magnéticas, as auroras podem ser vistas em qualquer momento quando o céu está escuro. Na média, as observações ocorrem ao redor de meia-noite.No hemisfério do norte, temos o Alasca, e muitos locais do Canadá oriental. Na Europa, temos a Islândia e norte da Escandinávia. No hemisfério sul, a aurora aparece em regiões despovoadas. Além do local, o tempo e a poluição também afectem as chances de se ver a aurora. Obviamente, você não pode ver aurora se o céu estiver nublado. Porém, até mesmo uma neblina leve pode impedir de se ver a aurora principalmente se existir uma área urbana por perto.» in http://oficina.cienciaviva.pt/~pw020/g6/o%20que%20uma%20aurora.htm


(Como se origina una aurora boreal)
Pin It button on image hover