31/12/07

Noites de Natal 2007, em Amarante!

Estas noites de natal de amarante, foram sublimes!

Amarante - Mosteiro de Telões, uma relíquia do Românico em Telões!












«Igreja românica de Telões


Descrição: Igreja de planta composta, por alpendre coberto, nave e capela-mor, rectangular. Volumes articulados com coberturas diferenciadas e de telhados a duas águas. Precedendo e escondendo parcialmente a fachada principal, surge campanário, um muro sobrepujado por três sineiras ligado a um alpendre, com telhado de duas águas, apoiado lateralmente em duas séries de colunas, com pavimento de lajes de granito. O portal tem três arquivoltas quebradas, lisas. Sobre este, por cima do encosto do telhado do alpendre, mostra-se uma rosácea. Nas fachadas laterais tem cachorros de decoração simples ou lisos. A abundância de contrafortes na cabeceira parece indicar que foi concebida para ser abobadada. No interior, de uma nave, mostra três retábulos colaterais e dois laterais, postos de ângulo, todos de talha e um púlpito no lado da Epístola; o arco triunfal assenta em colunas com bases bolbiformes e capitéis esculpidos com temas vegetais. Sobre este existe outra rosácea. Capela-mor com retábulo de talha.
Épocas: Séc. XIII a Séc. XIX.» in http://www.turismoreligioso.org/monumentos_det.asp?recursoID=x9twxTHSTrqhvcz6cCJK2JiOYI1DOSP3hTZwhA3J7NsdFeFbgW


Uma excelente fotografia deste Mosteiro, pode ser vista em:

30/12/07

Carla Bruni - A ex-modelo que canta e... encanta!





Carla Bruni - "Quelqu'un m'a dit"

Carla Bruni - "Tout le monde"

Carla Bruni - "L´amour"

Carla Bruni - "Chanson Triste"

Carla Bruni - "Those dancing days are gone"

«Carla Bruni


Carla Bruni Tedeschi (Turim, 23 de dezembro de 1968) é uma cantora e compositora italiana.
Depois de uma carreira bem sucedida como modelo entre 1987 e 1998, trocou as passarelas pela música, tendo lançado dois discos até a presente data: "Quelqu'un m'a dit" (2002, cantado em francês) e "No promises" (2006, em inglês).
Oriunda de uma família ligada à CEAT (fábrica italiana de pneus) e à ENI (petrolífera italiana, outrora estatal), Bruni foi com os pais e os irmãos para um exílio na França em 1973, fugindo das Brigadas Vermelhas, organização terrorista de cunho marxista que tem o objetivo de instaurar o regime socialista na Itália. Cresceu em Paris, tendo cursado parte de seu período escolar na Suíça e, de volta à França, estudado na Sorbonne.
Em 1988, abandonou de vez os estudos para se dedicar à carreira de modelo; considerada uma das mais belas modelos de sua época, Carla Bruni foi contemporânea de Claudia Schiffer, Naomi Campbell, Christy Turlington e Kate Moss no mundo da moda - a primeira geração de top models internacionalmente famosas. Seu nome foi ligado a relacionamentos com Mick Jagger, Eric Clapton e Donald Trump, dentre outros.
Dez anos depois, deixou as passarelas; em 2001 teve seu primeiro filho e, um ano depois, lançou o primeiro disco, onde a chanson era a principal influência; elogiado pela crítica, vendeu mais de 200 mil cópias na França e foi número 1 em vendas na Amazon do país. Em janeiro de 2007, seguiu-se "No promises", cujas letras de própria autoria deram lugar a poemas de William Butler Yeats e Emily Dickinson, dentre outros.
De acordo com a imprensa francesa no mês de Dezembro de 2007, o modelo está a ter uma relação de namoro com o Presidente da República Francesa Nicolas Sarkozy (revista L'Express do 16-12-2007 e revistas Point de vu, Paris Match, e Closer do 19-12-2007).» in wikipédia.
-------------------------------------------------------------------------------------
Gosto muito da voz doce e suave, desta mulher muito bela, Carla Bruni. Bem sei que neste momento ela é mais falada, pelo seu relacionamento com o Senhor Nicolas Sarkozy. Como diria o nosso poeta maior, Luís Vaz de Camões, "(...) o amor tem razões que a própria razão desconhece... (...)" e só mesmo isso pode justificar a junção de uma mulher tão bonita e inteligente, com um senhor tão grosseiro, com tendências de ditaturiais e com ideias bastante retrógradas... É bastante estranho o relevo e a aceitação que certos ditadores da nova era suscitam, mas enfim! Oxalá a Carla Bruni, não deixe de cantar e encantar as pessoas que apreciam a sua voz, de uma Italiana criada em França, o que lhe confere tonalidades vocais bastante interessantes e com grande potencial de desenvolvimento!
----------------------------------------------------------------------------
Pode-se obter mais informações, sobre esta artista, no seguinte link:
http://www.carlabruni.com/

29/12/07

Amarante F.C. 3 vs Pedras Rubras 1 - Amarante, Campeão de Inverno!





video
Imagens de um jogo muito bem disputado!
------------------------------------------------------------------------------------
O Amarante F.C. obteve uma magnífica vitória sobre o Pedras Rubras, num resultado que poderia ser bem mais dilatado! Em primeiro lugar, hoje o Amarante F.C. jogou muito bem , apesar da equipa estar com muitas baixas devido a arreliantes lesões musculares. A equipa produziu muito jogo, remeteu a equipa forasteira para as imediações da sua grande área, mas, como no Domingo anterior, tivemos um trio de amarelo que quis assumir o protagonismo, com uma arbitragem miserável! Acho que os mandantes do Futebol Português, andam muito preocupados com os Apitos Dourados, esquecendo-se que há mais futebol, para além dos campeonatos profissionais... Estes profissionais do Amarante F.C. e a sua massa adepta, pese o facto de estarem no ponto mais a oriente do Distrito do Porto, não são parolos e um dia isto ainda pode dar para o torto. Nós, amarantinos, sabemos distinguir incompetência manifesta, com arbitragens encomendadas... Hoje, no Municipal de Amarante foi irritante, mas os senhores de amarelo não conseguiram os seus intentos. Em primeiro lugar, numa das raras vezes em que a equipa do Pedras Rubras se aproximou da baliza amarantina, o seu avançado, bem fora da área, quando sentiu a presença de um defensor amarantino, mergulhou para a piscina e, imagine-se, o auxiliar do lado da bancada (o grande protagonista pela negativa), assinala grande penalidade, da qual surgiu o primeiro golo da partida, para os forasteiros. Mas uma equipa de arbitragem quando quer prejudicar uma equipa, começa por enerva-la com faltinhas a meio campo sempre contra o Amarante, os auxiliares sempre com as bandeirolas no ar nos ataques do Amarante F.C., entradas perigosas as quais nem punidas eram, com as respectivas faltas e correspondentes sanções disciplinares, enfim, foi um fartote. O Amarante F.C. é uma equipa do Nacional da 3.ª Divisão, com uma grande tradição no futebol português e merecia que estas equipas de arbitragem, quase sempre de Braga, curioso este facto, não viessem gozar connosco, na nossa própria casa. Um dia isto vai dar para o torto, se ainda estamos na 1.ª fase do campeonato e já incomodamos tanta gente, o que se passará na 2.ª fase, do mesmo! Voltando à bola que é disso que gosto e não de palhaços imberbes de amarelo, tenho que referir a grande atitude de toda a equipa, jogando 11 contra 14 o tempo todo, tendo mais duas lesões de jogadores, Paulo Pereira e Cafú, quero mais uma vez destacar um jogador de grande qualidade que fez como normalmente faz, toda a diferença, Quim de seu nome. Que grande golo marcou, o primeiro do Amarante, marcando igualmente o segundo, sendo-lhe anulado outro e jogando muito para a equipa. Trata-se de um jogador fenomenal e que dá o litro, com correrias loucas que o deixam quase sem ar, mas com uma capacidade de luta, técnica e força, notáveis. Em bom plano também, Marcos, Alex, Paulinho, Brito, Pedro Pontes (grande jogo), toda a defesa com realce para Paulo Pereira, que a jogar adaptado a central, esteve muito seguro e com grande visão de jogo, fazendo passes a mais de 30 metros com grande precisão e saindo muito bem a jogar. Viva o Amarante F.C., cada vez mais primeiro e o merecido, Campeão de Inverno!
video
Marcação da grande penalidade, mal assinalada, a favor da equipa do Pedras Rubras!
video
Festa do 3.º golo da Amarante F.C., mais que justo!

28/12/07

Prémio de Mérito e Consideração Pessoal, para a minha Professora de Inglês, Dra. Maria José Gonçalves!


A minha Professora de Inglês, Dra. Maria José Gonçalves!
---------------------------------------------------------------------------------------
Tive a sorte de ter a Professora Maria José Gonçalves numa altura difícil, para a maioria dos adolescentes. Ainda por cima, vinha de Fregim, com a malta de Louredo e de Vila Caiz. Éramos vistos como carne para o assador, com os rótulos bem apregoados por estas bandas, que nos remetiam para as turmas dos repetentes, ninguém nos queria! Esta senhora nunca desistiu de nos fazer pessoas melhores, mais bem formadas, mais educadas, com mais saber. Ainda hoje recordo a expressão de frustração quando a aula não corria bem, quando nós não rendíamos, quando não conseguíamos atingir as metas propostas. No outro dia vinha plena de energia e trazia uma nova forma de atingir os seus propósitos. Hoje como honrado colega posso constatar que, permanece igual, sempre a mesma rectidão, a mesma abnegação, luta sempre contra ventos e marés pelo seu objectivo maior, ensinar com eficácia e formar seres humanos com humanidade. Tem um apuradíssimo sentido de humor, que tem que ser conquistado; a piada fácil e a roçar o ordinareco, não tem aceitação com a Professora, antes um aperto nas orelhas; e eu levei alguns que tão bem me fizeram! O poder nunca a seduziu, está no ensino para exercer a nobre missão da docência; o poder teve-o mas só o aceitou em último recurso e nunca para fazer uso dele em benefício próprio. Ainda hoje muitos se admiram, porque a Professora quer as turmas dos CEF's, diz que é um desafio cativar jovens recusados à partida! A minha Professora Maria José é assim, ela nasceu para ensinar e para ela também não há rapazes maus, há seres perdidos e desumanizados! Nada melhor do que começar mais um ano em que todos falam em esperança e num mundo melhor, mas que nos soa cada vez mais falso, do que falar numa grande Professora e Educadora de Amarante e não só: a minha Professora de Inglês, a Dra. Maria José Gonçalves, a prova de que há professores com "P" grande, sejam ou não titulares, sejam ou não bem avaliados, pelos avaliadores!

Tautologia - O Conhecimento não ocupa lugar!


«Sabem o que é tautologia?

É o termo usado para definir um dos vícios de linguagem. Consiste na repetição de uma ideia, de maneira viciada, com palavras diferentes, mas com o mesmo sentido.

O exemplo clássico é o famoso 'subir para cima' ou o 'descer para baixo'. Mas há outros, como você pode ver na lista a seguir:

- elo de ligação
- acabamento final
- certeza absoluta
- quantia exacta
- nos dias 8, 9 e 10, inclusive
- juntamente com
- expressamente proibido
- em duas metades iguais
- sintomas indicativos
- há anos atrás
- vereador da cidade
- outra alternativa
- detalhes minuciosos
- a razão é porque
- anexo junto à carta
- de sua livre escolha
- superavit positivo
- todos foram unânimes
- conviver junto
- facto real
- encarar de frente
- multidão de pessoas
- amanhecer o dia
- criação nova
- retornar de novo
- empréstimo temporário
- surpresa inesperada
- escolha opcional
- planear antecipadamente
- abertura inaugural
- continua a permanecer
- a última versão definitiva
- possivelmente poderá ocorrer
- comparecer em pessoa
- gritar bem alto
- propriedade característica
- demasiadamente excessivo
- a seu critério pessoal
- exceder em muito.
Note que todas essas repetições são dispensáveis.
Por exemplo, 'surpresa inesperada'. Existe alguma surpresa esperada? É óbvio que não.
Devemos evitar o uso das repetições desnecessárias. Fique atento às expressões que utiliza no seu dia-a-dia.
Verifique se não está a cair nesta armadilha.»
--------------------------------------------------------------------------------
O João Monteiro, meu ex-aluno da Escola EB23/S de Baião, enviou-me um mail, com este conceito da língua portuguesa, tautologia, que considero curioso e me fez pensar e repensar no mesmo, partilhando desta forma com todos os que gostam de estudar a Língua Portuguesa, este conjunto de redundâncias! A língua é mesmo dinâmica, devendo nós estar sempre prontos para aprender e actualizar conhecimentos!

27/12/07

The WaterBoys - Mais uma banda dos 80's de grande qualidade!





Waterboys - "The Whole of the Moon"


The Waterboys - "Glastonbury Song"


The Waterboys - "Fishermans Blues"


The Waterboys - "A Pagan Place"


The Waterboys - "This is the Sea"


Waterboys - "Sweet Thing"

The Waterboys - "Everybody Takes a Tumble"

The Waterboys - "Killing My Heart" - Live 2007

The Waterboys - "Strange Boat"

The Waterboys - "This is My Land"
-------------------------------------------------------------------------
"The Waterboys

The Waterboys, performing a concert in Antwerp in 2003. Members, from left to right, Mike Scott, Geoff Dugmore, Steve Wickham, and Brad Weissman, are shown.
Background information
Origin Edinburgh, Scotland
Genre(s) Rock
Celtic
Years active 1983 – 1993, 2000 – Present

The Waterboys is a band formed in 1983 by Mike Scott. The band's membership, past and present, has been composed mainly of musicians from Scotland, Ireland and England. London, Dublin, Spiddal, New York and Findhorn have all served as homes for the group. The band has played in a number of different styles, but their music is a mix of Celtic folk music with rock and roll, or folk rock. After ten years of recording and touring, they dissolved in 1993 and Scott pursued a solo career. They reformed in 2000, and continue to release albums and tour worldwide. Scott emphasizes a continuity between The Waterboys and his solo work, saying that "To me there's no difference between Mike Scott and the Waterboys; they both mean the same thing. They mean myself and whoever are my current travelling musical companions."[1]

The early Waterboys sound was dubbed "The Big Music" after a song on their second album, A Pagan Place. This musical style was described by Scott as "a metaphor for seeing God's signature in the world."[2] It either influenced or was used to describe a number of other bands, including Simple Minds, The Alarm, In Tua Nua, Big Country, the Hothouse Flowers[3] and World Party, the last of which was made up of former Waterboys members.[4] In the late 1980s the band became significantly more folk influenced. The Waterboys eventually returned to rock and roll, and have released both rock and folk albums since reforming. Their songs, largely written by Scott, often contain literary references and are frequently concerned with spirituality. Both the group and its members' solo careers have received much praise from both rock and folk music critics, but The Waterboys as a band has never received the commercial success that some of its members have had independently. Aside from World Party, The Waterboys have also influenced musicians such as Colin Meloy of The Decemberists[5] Grant Nicholas of Feeder[6] and Miles Hunt of The Wonder Stuff;[7] both Bono[8] and The Edge[9] from U2 are fans of the band.» in Wikipédia.
--------------------------------------------------------------------
Gosto muito dos sons do Norte, da Música Celta, das bandas Escocesas. Sempre adorei a sonoridade dos WaterBoys e tenho pena que esta banda, paulatinamente se tivesse dissolvido, sinto muitas saudades desta sonoridade, a Norte!

Luares do Tâmega, em Dezembro!


Luares de Magia sobre este Tâmega Mágico!

26/12/07

Gipsy Kings - Os Reis da Música Cigana!



Gipsy Kings - "Djobi Djoba"

Gipsy Kings - "Volare"


Gipsy Kings - "Bamboleo"

Gipsy Kings - "Baila Me"

Gipsy Kings - "Bem Bem Maria" - Live

GIPSY KINGS - "A MI MANERA"

Gipsy Kings - "Si tu me quieres"

Gipsy Kings - "Hotel California"

Gipsy Kings - "No volveré"

Gipsy Kings - "El Camino"

Gipsy Kings - "Passion"

Gipsy Kings - "Rumba Tech"

Gipsy Kings - "Pharaon"

Gipsy Kings - "Amigo"

«Os Gipsy Kings são um grupo musical formado nas cidades de Arles e Montpellier na França. Os seus pais fugiram da Espanha durante a Guerra Civil Espanhola. Eles são uma banda composta por ciganos que tocam rumba flamenca, um estilo musical variante do flamenco tradicional
Eles ganharam grande notoriedade com o seu álbum Gipsy Kings, no qual havia vários sucessos do grupo, como "Djobi Djoba", "Bamboleo" e "Un Amor". A musica "Volare", em seu segundo album, Mosaique é uma versão rumba do hit "Nel Blu Dipinto Di Blu" do italiano Domenico Modugno. Os Gipsy Kings foram e ainda são enormemente populares na França independentemente do criticismo dos puristas flamencos. Os Gipsy Kings foram um sucesso na maioria da Europa Ocidental, especialmente na França e no [Reino Unido]]. Em 1989, Gipsy Kings foi lançado nos Estados Unidos e se manteve por 40 semanas nos charts, sendo um dos raríssimos albums em espanhol a conseguir tal proeza. A sua versão cover de 'Hotel California' é excelente exemplo do chamado "fast classical guitar leads" e do "flamenco strumming" (Tal versão aparece no filme dos Irmãos Coen', The Big Lebowski). Em 1991 os Gipsy Kings realizaram guitarra flamenca para a versão de Long Train Running por Bananarama, usando o pseudonimo "Alma de Noche" ("Alma da Noite").
Os Gipsy Kings são membros de duas familias: os Reyes e os Baliardo, que são primos do grande flamenco Manitas de Plata. O vocalista principal, Nicolás Reyes é filho do grande flamenco Jose Reyes. Os Gipsy Kings são compostos por:
Nicolas Reyes - vocalista principal
Pablo Reyes - vocais de suporte, guitarra
Canut Reyes - vocais de suporte, guitarra
Patchai Reyes - vocais de suporte, guitarra
Andre Reyes - guitarra/vocais
Diego Baliardo - guitarra
Paco Baliardo - guitarra
Tonino Baliardo - Guitarrista principal
Chico Bouchikhi também fez parte dos Gipsy Kings, mas abandonou o grupo após o album Mosaique.» in Wikipédia.

"A Mi Manera (Comme D'Habitude)
Yo sé que no vendrás
Por eso ya
Tanto al olvido
Dejar un nuevo amor
Tanto mejor
Hay como el mío
Dejar y la vive
En este mundo de tristeza
Dejar y la vive
A mi manera
Yo quiero ser y nada más
Prefieraré y recordar
Un nuevo amor
Tanto mejor
Quisiera olvidar
Tanto la dejar
Quisiera vivir
Hay nada m·s
O sí my way
Yo sé que no vendrás
Por eso ya
Tanto al olvido
Dejar un nuevo amor
Tanto mejor
Hay como el mío
Dejar y la vive
En este mundo de tristesa
Dejar y la vive
A mi manera
Yo quiero ser
Y nada más
Prefieraré y recordar
Un nuevo amor
Tanto mejor
Quisiera olvidar
Tanto la dejar
Quisiera vivir
Hay nada más
O sí my way
Lo li lo li
Lo li lo li
Lo li lo li
Lo li lo li
Lo li lo li
Lo li lo li
O sí my way."

------------------------------------------------------------------------------
Esta é uma das bandas dos loucos anos oitenta, das minhas incursões por bares e dicotecas, que recordo com enorme saudade. Embora o estilo musical não me seja particularmente sedutor, não posso negar que a meio da noite, quando o DJ metia Gipsy Kings, o impulso pela dança era enorme e a alegria era contagiante, em qualquer pista, em qualquer sítio. A seguir ao Ricardo Quaresma, o mágico jogador do F.C. do Porto, estes são os Ciganos que mais admiro. Grandes saudades daquelas danças alegres e bem dispostas, que faziam bem ao espírito mais desanimado. Grandes anos oitenta, de tantas revelações! E na guitarra, admiro muito o Tonino que delicia os apreciadores de guitarra, como eu...
------------------------------------------------------------------------------
Mais informações dete grupo famoso, em:
http://www.gipsykings.com/

Amarante Religião - Igreja de S. Domingos Amarante!




A Igreja de S. Domingos em Amarante é um Monumento belíssimo!


«Ordem de São Domingos


A Ordem Dominicana adquiriu especial relevo em Portugal e, nomeadamente, entre nós, em Amarante, com a edificação do Convento de São Gonçalo a partir de 1540. É, muito provavelmente, em face da conjuntura conciliar pós-tridentina, que deve ser compreendida a génese do crescente número de devotos de São Domingos e a consequente romaria que começou a ter cada vez maior dimensão, designadamente em São Gonçalo, à Capela do Populo, onde se encontrava a imagem de Nosso Senhor dos Aflitos. Só assim se explica a importância que a determinada altura extravasou a mera devoção ou a simples espiritualidade, com a edificação (material) da Igreja de Nosso Senhor dos Aflitos (vulgo, São Domingos), concluída em 1725, para além da constituição da Irmandade da Ordem Terceira de São Domingos da qual possuímos referências documentais balizadas entre 1719 e 1974.


Natureza e percurso histórico


A Irmandade da Ordem Terceira de São Domingos apresenta não só a especificidade de constituir-se enquanto Irmandade, como a particularidade de sê-lo em nome, e no âmbito, de uma Ordem Terceira. Deste modo, aproxima-a da Ordem a sua orgânica, com regra aprovada pela Santa Sé, o noviciado e profissão dos seus membros, podendo usar hábito especial, substituível por insígnias como o escapulário, a medalha ou o cordão e, ainda, a prerrogativa de beneficiar de uma certa isenção e participação de muitas das graças e privilégios da respectiva Ordem.


Nesse sentido, pela sua ambivalência enquanto Irmandade de uma Ordem Terceira, esta instituição acabou por comportar o duplo desgaste de uma evolução histórica (político-social), em nada favorável ao meio eclesial. Enquanto Irmandade (da Ordem Terceira de São Domingos) esta instituição viu, como as outras, a sua existência devidamente controlada e regulamentada pelas autoridades públicas, através de uma legislação específica que visou, concretamente, o seu afastamento da alçada eclesiástica.


De qualquer modo, apesar das dificuldades que se impuseram, a verdade é que muitas destas congregações conseguiram subsistir, essencialmente, à sombra de um carácter mais educativo, assistencial e beneficente, que não substituiu, mas que foi, antes, como que anexado ao rol de procedimentos que as caracterizava e cuja finalidade era, afinal, o fomento e fortalecimento da prática e da vivência católica.


A proclamação da República, no dealbar do século XX, trouxe uma renovada onda anticlerical que acabou, todavia, por esfumar-se sem danos de maior, concluindo-se, com o advento do Estado Novo, a pacificação e o estabelecimento de boas relações entre o Poder Temporal e o Poder Espiritual.


Documentação


É admirável como se conservaram mais ou menos resguardados os arquivos desta Irmandade da Ordem Terceira de São Domingos da villa de Amarante. Nestes arquivos, além de Livros de Actas Eleitorais, de Termos e Deliberações de Mesa, de Entradas e Registos dos Irmãos e da prestação de Contas, Orçamentos e Despesas, constam, ainda, os Livros de Missas pelos falecidos, Livros dos Estatutos e até alguma documentação avulsa a partir da qual se conhecem as vicissitudes internas e externas, pelas quais passaram.


A Festa


O momento alto da vida destas associações e, nomeadamente, desta, de São Domingos, era, sem dúvida, o da festa do respectivo patrono, ao qual guardavam especial veneração. Na globalidade, as festas confraternais consistiram, então, senão na melhor, certamente numa das melhores manifestações da identidade, da força, do dinamismo e da vitalidade destas associações religiosas que viram no século XIX, não obstante as adversidades, o seu melhor momento.


Relativamente à documentação existente no Arquivo Paroquial de São Gonçalo e, comparativamente com as Irmandades de São Pedro e Nossa Senhora do Rosário, é da Irmandade da Ordem Terceira de São Domingos que possuímos menos elementos, sendo a sua diversificação igualmente menor.


A última referência documental existente consiste numa Acta de Eleição de Setembro de 1974, remetendo-nos para o contexto do já extinto Estado Novo e do fervor revolucionário que se seguiu ao 25 de Abril. Afinal, “mudam-se os tempos, mudam-se as «vontades» ”… e o perigo de apropriação da Igreja e de seus bens, no contexto político em questão, terá levado a Irmandade como que a ressuscitar-se, ainda que, pelos vistos, somente no papel.»
Andreia Torresin Varanda dos Reis, n.8, Março de 2003, 5-6.
Fonte: http://ae.no-ip.org/par/10/noticia.asp?jornalid=10&noticiaid=6043


«Igreja de São Domingos


A Igreja do Nosso Senhor dos Aflitos (S. Domingos), foi construída pela Ordem Terceira de S. Domingos, tendo ficado concluída em 1725. A imagem de Nosso Senhor dos Aflitos, que dá nome ao templo, esteve primeiro na capela do Pópulo, no interior da Igreja de S. Gonçalo. Em 1725 foi mudada para a capela homónima da Venerável Ordem Terceira do Patriarca S. Domingos, erigida sobranceira à "Rocha" e em terreiro de S. Gonçalo.
A Igreja de S. Domingos possui uma fachada de estilo barroco, com um campanário na parte posterior. O interior da Igreja é pseudo-centrado.» in Site Câmara Municipal de Amarante.


«Domingos de Gusmão
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
São Domingos de Gusmão, O.P.
Fra Angelico 052.jpg
São Domingos de Gusmão, por Fra Angelico
Nascimento 24 de Junho de 1170 em Caleruega
Falecimento 6 de Agosto de 1221 em Bolonha
Canonização 1234, Roma por: Papa Gregório IX
Festa litúrgica 8 de Agosto
Padroeiro: Astrônomos, Tocantins, República Dominicana
Portal dos Santos
Fundador da Ordem dos Pregadores, cujos membros são também conhecidos por dominicanos.
São Domingos de Gusmão, O.P. (Caleruega, Reino de Castela, 24 de Junho de 1170 - Bolonha, 6 de Agosto de 1221). Fundador da Ordem Dominicana.
Filho de Joana de Aza e Félix de Gusmão, Domingos nasceu na zona de fronteira do Reino de Castela. Seus pais pertenciam à pequena nobreza guerreira, encarregue de assegurar as praças militares da fronteira com o sul dominado ainda pelos muçulmanos.
Domingos, que teve desde cedo inclinação para a vida religiosa, vai em 1189 estudar para Palência, tornando-se, após a conclusão dos estudos membro em 1196, do cabido da sua Diocese natal, Osma.
Em 1203, o rei de Castela solicita ao bispo de Osma que este fosse negociar e trazer uma princesa da Dinamarca para se tornar esposa do seu filho, tendo Domingos sido companheiro de viagem do seu bispo, Diogo. Durante a viagem, Domingos ficou para sempre impressionado com o desconhecimento da doutrina cristã dos povos da Europa do norte, tornando-se-lhe evidente que se tornava necessário ir evangelizar aqueles povos, em especial um com que certamente contactou, os cumanos.
Em 1205, Domingos e Diogo, para conclusão do objectivo inicial, realizaram nova missão ao norte da Europa, tendo também efectuado uma peregrinação a Roma e a Cister. No sul de França, junto a Montpellier, encontraram legados do Papa que pregavam contra as heresias dos Albigenses e Cátaros. Estes dois grupos, defendiam uma vida apostólica, baseada na vida de Cristo e dos primeiros apóstolos. Um modo de vida simples, sem hierarquias que em tudo contrastava com o cerimonial, as hierarquias e poder financeiro e político de grande parte das estruturas da Igreja do seu tempo. Tiveram grande adesão popular em virtude do seu carisma e honestidade de vida. No entanto, tornaram-se heréticos, ao defenderem ideias contrárias aos fundamentos da Igreja, razão pela qual o Papa entendeu intervir, enviando delegados seus por forma a catequizar, pregar, converter e denunciar os erros dos heréticos.
Diogo e Domingos, perante a evidência das dificuldades sentidas na missão dos legados papais, convencem-nos a adoptar uma estratégia de simplicidade ao estilo apostólico e mendicante, pois que os Legados, até aí, deslocavam-se com grande pompa, criados, e riquezas. Os Legados deixam-se convencer, despachando para casa tudo o que fosse supérfluo, na condição que Diogo e Domingos os acompanhassem e os dirigissem na missão. O que estes fizeram. O Papa Inocêncio III, descobrindo virtualidades nesta novo forma de pregação, aprova a mesma e mandata Diogo e Domingo para a “santa pregação”. Diogo, sendo bispo, por razão das suas responsabilidades e não podendo ficar muito mais tempo naquela região e regressou à sua diocese, falecendo pouco tempo depois. Domingos continuou na região, muitas vezes sozinho.

Índice

[esconder]

[editar] A pregação e o início da Ordem

Em 1206, um grupo de mulheres por si convertida do catarismo pedem-lhe apoio e ele encontra uma casa para elas morarem em Prouille, dá-lhes uma regra de vida, simples, de oração e reclusão, no que veio a ser a primeira comunidade religiosa dominicana de monjas de clausura. Domingos encarava esta comunidade como “ponto de apoio à santa pregação”, pois que aquelas religiosas, por intermédio da oração, seriam o apoio dos pregadores. Em 1208 encontra-se completamente sozinho na missão de pregar pelas localidades do sul de França. Em 1210 está na região de Toulouse, palco de violentos combates entre senhores feudais e heréticos cátaros.
Em 1214 está em Carcassonne onde assiste a duras batalhas entre as duas partes e onde começa a juntar um pequeno grupo de companheiros que com ele adoptam a vida de pregadores itinerantes. No mesmo ano, torna-se pároco de Fanjeaux, localidade junto a Prouille e à sua comunidade feminina.
Em 1215, em Toulouse adopta uma regra de vida para a sua comunidade de pregadores, obtendo a aprovação do Bispo local. No entanto, o seu objectivo era criar uma ordem religiosa que não ficasse restrita a uma local, a uma diocese, mas sim que tivesse um mandato geral, por forma a poder actuar em todos os territórios onde fosse necessário a evangelização. Dirige-se nesse mesmo ano a Roma, onde decorria o Concílio de Latrão por forma a obter o reconhecimento da sua Ordem. No entanto, o concílio, perante tantos e diferentes novos movimentos que surgiram um pouco por todo lado, e por forma a evitar a anarquia, decide proibir que sejam aceites novas ordens religiosas.
Aconselhado pelo Papa, e de regresso a Toulouse, Domingos e os seus companheiros estudam as várias Regras de vida religiosa já existentes e optam pela Regra de Santo Agostinho. Entretanto, o Papa Inocêncio III morre e Honório III torna-se Papa, sendo um admirador e amigo de Domingos e dos seus pregadores. Em 1216, Domingos volta a Roma com a sua Regra e a seu pedido, o Papa pede à Universidade de Paris o envio para Toulouse de alguns professores destinados ao ensino e à pregação. Entretanto, o Papa confirma a regra da Ordem dos Pregadores como religiosos “totalmente dedicados ao anúncio da palavra de Deus”. Logo após o reconhecimento da Ordem, Domingos envia os seus primeiros discípulos, dois a dois, a fundar novas comunidades em Paris, Bolonha, Roma e a Espanha. Domingos acreditava que apenas o estudo profundo da sagrada escritura poderia dar os meios necessários para uma pregação eficaz. Assim, envia os seus irmãos para as principais cidades universitárias do seu tempo, por forma a não só adquirem os conhecimentos necessários, como para agirem e recrutarem novos membros entre as camadas estudantis e intelectuais do seu tempo.

[editar] A fundação da Ordem


Domingos de Gusmão fresco em Cantarana, Denise Schenardi, 2007
Em 1218 Domingos está em Roma, a visitar as novas casas, dirigindo-se depois para a Península Ibérica onde um dos seus primeiros companheiros, o português Soeiro Gomes tinha fundado algumas casas. No principio de 1219, Domingos vai a Paris e posteriormente volta a Itália.
Em 1220 reúne em Bolonha o primeiro Capítulo da Ordem, fazendo-se algumas alteração às respectivas constituições canónicas, estando presentes dezenas de frades vindos de muitos pontos distantes da Europa. É adoptado o modelo de governo democrático, pelo qual todos os superiores de casas são eleitos por todos os membros da comunidade. Em 1221 funda em Roma o convento de monjas de São Sisto e realiza o segundo Capítulo da Ordem no qual esta passou a estar organizada em “províncias”. O modelo democrático estende-se a toda a Ordem, mediante o qual para cada Capítulo Geral participam por direito os Priores Provinciais e delegados eleitos por todas as comunidades, sendo que o Mestre Geral da Ordem é também eleito. São enviados irmãos pregadores para Inglaterra, Escandinávia, Polónia, Hungria e Alemanha.
Completamente desgastado pelo esforço, morre a 6 de Agosto, em Bolonha. É canonizado em 1234.

[editar] Igrejas de São Domingos de Gusmão na Bahia

Igreja da Ordem Terceira de São Domingos de Gusmão: construção de 1731, com fachada em estilo rococó. Em Salvador, Bahia, Brasil. Igreja de São Domingos de Gusmão, Niterói, Gragoatá. desde do tempo do império.

[editar] Ver também

[editar] Ligações externas



------------------------------------------------------------------------------
Hoje fui com a minha família visitar o Museu de Arte Sacra - Dr. Luís Coutinho, e fiquei bastante impressionado e até emocionado. Conheci o Dr. Luís Coutinho e tive oportunidade de observar todo o seu empenho nesta obra de preservação de Arte, que muito diz a Amarante. O Dr. Luís Coutinho era um coleccionador de tudo o que fosse antigo, que tivesse história e estórias para contar, designadamente, moedas, jóias, Arte Sacra, mobílias, louça, selos, brinquedos, documentos, livros, etc. A sua importante obra de estudo, pesquisa e inventariação, nos domínios da Arqueologia e Arte Sacra relativa ao Conselho de Amarante ficou por acabar, mas os primeiros e mais difíceis passos foram dados por este amante da História e de Amarante. Oxalá Amarante saiba honrar dignamente a sua memória. Quanto ao Museu, que posso dizer senão que é fantástico. De peças abandonadas, mas de grande valor histórico e monetário, construiu-se um Museu a que podemos aceder para nos extasiarmos e aumentar o nosso conhecimento cultural. Paralelamente estão, durante esta quadra natalícia, expostos lindíssimos presépios, alguns do Dr. Luís Coutinho, que a sua mãe, Dona Luísa Coutinho cedeu para a exposição. Gostei muito e convido os amarantinos a visitarem, até para honrar a memória deste ilustre amarantino, Dr. Luís Coutinho que, infelizmente já não está entre nós! Bem haja, Dr. Luís Coutinho e obrigado pelo legado, que amável e voluntariosamente, nos legou!
-------------------------------------------------------------------------------
Pode encontrar algumas informações sobre este Museu, nos seguintes links:
http://www.agencia.ecclesia.pt/paroquia/pub/10/noticia.asp?jornalid=10&noticiaid=30935
http://www.center.pt/PT/entevt.php?eventoid=381
http://museudrluiscoutinho.blogs.sapo.pt/1241.html?view=473#t473

25/12/07

Porto, a Cidade com mais encanto no Natal!


O Porto foi a Cidade do Natal 2007!

Apresentação com algumas noites deste Natal 2007, na Cidade do Porto!

A Cidade do Porto transformou-se este ano na Capital do Natal em Portugal! Foram noites de Dezembro inigualáveis na beleza exótica e a árvore de natal maior da Europa! O Porto é mesmo uma naçon, e também no Natal é Campeão!

24/12/07

Amarante F.C. 2 vs Oliveira do Douro 1 - Continuamos na frente!





video
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O Amarante levou de vencida a equipa de Oliveira do Douro, mantendo a sua condição de líder da Série B, da 3.ª Divisão Nacional. Depois de uma 1.ª parte muito bem conseguida em que marcou um golo pelo inevitável Quim, um excelente jogador, o Amarante entrou mal na 2.ª parte, muito recuado no terreno e pouco pressionante e deu-se o inevitável golo do empate, um excelente golo do camisola 10 da equipa forasteira, com um remate imparável, bem fora da área. O Amarante F.C. foi paulatinamente reagindo, vindo a conseguir o golo da vitória, através de Cafú que, com a sua garra habitual e uma arrancada à sua maneira, desfez o empate e repondo justiça no marcador. Mais uma vez tivemos uma actuação lamentável de mais uma equipa de arbitragem sem categoria, para militar nos campeonatos nacionais. O árbitro muito mal coadjuvado pelos seus auxiliares, foram a pior equipa em campo. Foras de jogo mal tirados foram muitos, com um tirado a Jorginho que, imagine-se, estava atrás da linha do meio campo, Inexplicáveis também os cinco minutos de compensação, quando na segunda parte não houve paragens por lesões... enfim, algumas falhas são azelhisse pura, outras, sinceramente, não parecem ser! Viva o Amarante F.C., somos os primeiros!

video
Alguns momentos desta vitória importante do Amarante F.C.!
video
Mais uma bela jogada do ataque do Amarante F.C.!
Pin It button on image hover